101 – Livide (2011)

Livid

2011 / França / 88 min / Direção: Alexandre Bustillo, Julien Maury / Roteiro: Alexandre Bustillo, Julien Maury / Produção: Vérane Frédiane e Frank Ribière / Elenco: Chloé Coulloud, Félix Moati, Jérémy Kapone, Catherine Jacob

 

Como venho dito anteriormente aqui no blog, os franceses vem produzindo a melhor safra de filmes do gênero. Livide, da dupla Alexandre Bustillo e Julien Maury é um dos melhores filmes de horror da atualidade. Uma fábula de terror surreal, onírica, assustadora.

Depois do sucesso de A Invasora, os promissores diretores franceses rejeitaram assumir o remake de Hellraiser – Renascido do Inferno por diferenças criativas e colocaram suas forças em seu novo filme autoral, depois de quatro anos desde sua estreia. Mas não pense que você irá encontrar o mesmo tipo de gore e brutalidade de A Invasora nessa produção. Apesar de abusar do sangue também (hey, estamos falando de um terror francês), Livide é mais um conto de fadas sombrio, estilizado, dotado de uma beleza sublime, repleto de bizarrice e de cenas tenebrosas, que lembra muito um pesadelo saído diretamente de Silent Hill.

Logo no começo da fita somos apresentados a Lucie Klavel, uma estagiária de enfermagem que possui heterocromia, anomalia genética responsável pela variação da coloração da íris (ou em português claro, a garota tem um olho de cada cor), e mora em uma cidade costeira na França. Em seu primeiro dia de treinamento, ela ajuda Catherine Wilson a visitar os pacientes idosos em suas residências para medicá-los e oferecer assistência. Afastado do centro, há um enorme e antigo casarão onde vive uma famosa professora de balé em estado vegetativo, respirando através de aparelhos e se alimentando de sonda intravenosa, chamada Sra. Jessel, que deixou claro em seu testamento que gostaria de morrer em casa.

Fale que essa porra não mete medo…

Jessel, segundo consta, é podre de rica e não tem nenhum familiar vivo, apenas uma filha que era surda e morrera há tempos. A Sra. Wilson conta a Lucie sobre uma lenda de que Jessel tem um tesouro escondido em algum lugar daquele imenso casarão. Mais tarde naquela mesma noite, Lucie encontra-se com seu namorado William, um pescador ambicioso sem muita chance de dar certo na vida, e conta a ele sobre o tal tesouro. Cifrões brilham nos olhos do rapaz que junto com Lucie e seu melhor amigo, o garçom Ben, resolvem invadir a casa à noite, atrás de dinheiro fácil para que os três possam sair da vidinha miserável e medíocre que levam.

Bom, dá para perceber que é mais uma daquelas ideias brilhantes que todos o personagens de filmes de terror tem, né? Entrar foi bem fácil, porém eles ficarão presos dentro do casarão e irão se deparar com um terror indescritível e vários elementos sinistros ali dentro, como o quarto da filha de Jessel, Anna, que possui uma mesa de chá com estranhíssimos bonecos sentados com cabeças de animais empalhados, ou mesmo quando descobrem que Anna está mumificada no porão da casa, transformada em uma boneca de corda de tamanho real. Claro que a visita também vai despertar a velha de seu coma (se é que ela realmente estava em coma) e através de flashbacks, Lucie vai descobrir a verdadeira e bizarra história entre mãe e filha.

A primeira metade do filme é construída em um baita clima de suspense e tensão constante pela dupla de diretores, auxiliado pela escura fotografia repleta de cores frias do Diretor de Fotografia Laurent Barès e com o design de produção impecável, com o aspecto velho da casa e o todo o seu mise-en-scéne. É muito perceptível a sensação de assistir um filme sobre casas mal-assombradas. Mas na metade final, ele ganha outro escopo, mergulhando de vez em um conto de fadas perturbador, misturando elementos de vampirismo e bruxaria para contar a história sobre a Sra. Jessel e Anna, e tome sangue em profusão em cenas de extrema violência visual, com direito a facadas, marteladas, tesouradas e canibalismo.

Velha decrépita!

Livide carrega um tom extremamente mórbido, mas ao mesmo tempo surreal e poético. O seu final, por exemplo, foge completamente do convencional e tem uma extrema peculiaridade. E as aparições da velha bruxa / bailarina / vampira / criatura / sei lá o que, são realmente tenebrosas, com seus trejeitos, aparência, voz e gritos guturais. Vale muito a pena ver o que essa dupla de diretores conseguiu aprontar, fugindo completamente do estilo do seu primeiro filme, e até mesmo do que se vinha fazendo no cinema francês de horror até então, e ficar na expectativa de saber qual será seu próximo trabalho e qual caminho eles irão trilhar.

Feliz Dia das Bruxas!

Cisne branco…e vermelho!

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Livide não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Gabriel Vince disse:

    Muito obrigado por disponibilizar!

  2. Marina disse:

    Continua a lista cara! XD

    • Marina disse:

      Continua a lista cara! XD
      Tenho procurado saber como anda o terror atual… Quem sabe você me indica algum bom! o

      • Oi Marina! Estou continuando a lista sim, mas eu aumentei para 1001 filmes, e comecei novamente e estou lá no final dos anos 80. Tem alguns filmes bons de terror atuais, sim. Qual tipo você curte, para eu te indicar alguns?

        Obrigado.

        Bjos

        Marcos

  3. Diego Lobato disse:

    Descobri seu site a pouco tempo e realmente é bom demais.
    Mas gostaria que você falasse de “Local God” que é um filme desse ano, gostaria de ver suas considerações a respeito dele.

    • Oi Diego. Muito obrigado.

      Como a lista está em ordem cronológico e acabei de entrar em 1988, vai demorar ainda um bom tempinho para chegar nesses filmes mais recentes.

      Valeu.

      Abs

      Marcos

  4. anonimo disse:

    bem primeiro otima iniciativa do site . este filme tava na minha lista . obrigado por disponibilizar . gostaria que você me indicasse outros parecidos com este pois confesso que sou nova neste estilo de filme e me interessei mto . e tbm se vc puder indicar outros que vc acha essenciais e se possivel que tenham no seu site mesmo .
    por fim é formidavel os seus comentarios , o humor . algo unico . um blog que vale a pena seguir .

    • Obrigado pelo comentário!!!!

      Recomendo todos os filmes franceses dessa nova levada, tipo Alta Tensão, A Invasora, Martyrs, A Fronteira… Acho que você vai curtir!

      Abs

      Marcos

  5. Janaina disse:

    Esse filme foi uma surpresa na Netflix quando esbarrei nele sem querer. É o filme de terror mais bonito Q já vi. Fantástico mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *