102 – A Noite do Demônio (1957)

curse_of_demon_poster_01


Night of the Demon / Curse of the Demon


1957 / Reino Unido / P&B / 95 min / Direção: Jacques Tourneur / Roteiro: Charles Bennett, Hal E. Chester (baseado na obra de Montague R. James) / Produção: Frank Bevis; Hal E. Chester (Produtor Executivo) / Elenco: Dana Andrews, Peggy Cummins, Niall MacGinnis, Maurice Denham, Athene Seyler


 

A Noite do Demônio é mais um daqueles grandes filmes de terror. Encontra-se enxertado no meio de um monte de bobagens sci-fi que eram feitas durante toda a década de 50, e isso que dá um enorme respaldo para a produção, já que traz um tema que fugia do usual na época e sempre é complexo e assustador: satanismo.

Fora isso, temos na direção (mais uma vez brilhante, diga-se de passagem), Jacques Tourneur, que já havia emplacado alguns dos principais filmes de terror feitos até então: Sangue de Pantera, A Morta-Viva e O Homem Leopardo. O roteiro do filme, escrito por Charles Bennett, que comprou os direitos do livro Casting the Runes de Montague R. James, foi vendido ao produtor executivo Hal E. Chester, que decidiu levá-lo as telas.

Só que Bennet se arrependeu amargamente de ter vendido o texto para Chester, pois logo após o fechamento do negócio, ao chegar à América, foi procurado pela RKO Radio Pictures interessada em produzir o longa e colocá-lo como diretor. Mas a grande verdade é que A Noite de Demônio está envolvido em grandes polêmicas em sua produção, incluindo aí brigas entre o diretor Tourneur e o roteirista Charles Bennett com Hal E. Chester.

E se você já assistiu ao filme, sabe exatamente qual deve ter sido o maior motivo da briga entre produtor e diretor. Quem conhece o trabalho genial de Tourneur, sabe muito bem seu apreço pelo suspense e pelo terror psicológico, sempre deixando nas entrelinhas um horror maior do que a exposição explícita, que poderia muito bem, estragar todo o clima do filme. Assim como aconteceu em Sangue de Pantera, quando Tourneur quebrou o pau com Val Lewton para não mostrar a tal mulher pantera com seu baixo orçamento e trabalhou o enredo meticulosamente mais com sugestão e apenas um vislumbre final, aqui a treta foi no mesmo nível, para não colocar o demônio gigante com asas, chifre, pés de bode e cara de lobo literalmente em cena, pois sabia do efeito cômico que a coisa poderia obter.

Não venha dando uma palhaço!

Não venha dando uma palhaço!

E não deu outra. Chester estava decidido a mostrar o demônio para “chocar” e aterrorizar os espectadores, e duas vezes ainda, uma no começo do filme e outra em seu clímax. Tourneur foi contra e não teve parte nas cenas filmadas com a criatura, adicionadas depois na edição. Para ele, o que seria o ideal era a audiência nunca ter a real certeza de ter visto um demônio e manter até essa dúvida nos próprios personagens centrais. Ray Harryhausen, o mestre do stop-motion havia sido requisitado pela Columbia Pictures para criar as cenas com o tinhoso, mas já estava comprometido com os efeitos especiais de outro filme e recusou o trabalho. E aí amigo, deu no que deu.

O filme é impecável, até a criatura aparecer, principalmente na tosca sequência final, transformando a cena em um pastiche que só serve para dar risada, com o coisa-ruim amassando o vilão do filme como uma bolinha de papel na estação de trem de Southampton. Segundo o livro Beating the Devil – The Making of Night of the Demon, de Tony Earnshaw, para Chester desde o começo estava claro que o demônio ia sim aparecer em cena, mesmo com todo o protesto de Tourneur, para deixar o público ciente de que os poderes infernais são reais. No mesmo livro, Bennett diz que “se Chester aparecesse no meu caminho nesse momento, eu atiraria para matá-lo”.

Bom, vamos à trama. Dr. John Holden (Dana Andrews – muito parecido fisicamente com Lon Chaney Jr.) é um especialista americano em parapsicologia, extremamente cético, que vive para desmascarar e colocar em xeque alguns fenômenos paranormais, principalmente tratando-se de demonologia. Ao viajar para a Inglaterra para ajudar o Prof. Henry Harrington (Maurice Denham) em sua tentativa de desmascarar uma seita satânica chefiada pelo adorador do oculto, Dr. Julian Karswell (Niall MacGinnis), começa a presenciar na pele, mesmo mantendo seu ceticismo, eventos sobrenaturais inexplicáveis.

nononon

Sessão de terapia

Junto com a sobrinha do Prof. Harrington, Joanna (Peggy Cummins) começa a investigar a estranha morte do companheiro, que morreu eletrocutado em um acidente de carro contra um poste de força, mas que nós sabemos que foi obra do cramunhão, conjurado por Karswell através do uso de runas. Isso por meter demais o bedelho na seita que o vilão comanda, chamada Ordem do Verdadeiro Crente, algo que Holden acaba também fazendo e por isso partilha do mesmo destino, também sendo amaldiçoado por Karswell, que lhe entrega um pergaminho, sem seu conhecimento, fixando uma data e horário para sua morte.

Aos poucos, Holden vai se aprofundando nesse ciclo diabólico e estranhos acontecimentos começam a colocar à prova sua crença no sobrenatural, e a única forma de Holden se livrar da maldição e impedir a chegada do demônio para levar sua alma, é entregando esse pergaminho para outra pessoa, transferindo a morte iminente para o próximo. SPOILER ALERT, pule para o próximo parágrafo ou leia por conta e risco: e isso acontece exatamente quando Holden, que já transformou-se em um crédulo nesta altura do campeonato, ludibria Karswell enfiando o pergaminho no bolso do paletó e devolvendo a maldição, fazendo com que o diabão venha tomar sua alma nos trilhos de uma estação de trem, algo que lembra bastante o recente Arraste-me para o Inferno de Sam Raimi, dada suas devidas proporções.

Todos os aspectos do roteiro e a criação do clima pertinente de suspense imposto por Tourneur através de sua fotografia preto e branca quase expressionista, ângulos inusitados e a mistura de cortes rápidos para mostrar sempre menos e planos sequências arrasadores, transformam A Noite do Demônio em um filmaço. E vários elementos assustadores estão ali para meter medo nos incautos, como tempestades de vento, farfalhar de árvores e arbustos em um bosque escuro, e até um gato que se transforma em um leopardo em um apartamento. Mas infelizmente o demônio focinhudo, com asas e garras que aparece no final, consegue jogar tudo isso fora e estragar um filme que poderia ser perfeito.

Para o lançamento nos EUA, A Noite do Demônio ganhou um corte de oito minutos, para torná-lo mais dinâmico ao publico americano, além de ter seu título alterado para Curse of the Demon. Lançado apenas em meados de 58 nos cinemas yankees, chegou a ser exibido em double features com outro filme inglês, A Vingança de Frankenstein, do famoso estúdio Hammer, com Peter Cushing no elenco.

Coisa ruim!!!

Coisa ruim!!!



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Guilherme disse:

    Olá, será que você poderia fazer o upload do filme de novo? É que está abrindo uma página dizendo que o arquivo não está disponível. Adoro esse filme, consta sempre da minha lista dos melhores filmes de terror de todos os tempos, e já faz um tempão que assisti a ele pela última vez, portanto gostaria muito de vê-lo de novo. A propósito, vale dizer que, no início dos anos 80, a Columbia Pictures substituiu a sua versão americana editada de 83 min pela versão original sem cortes de 95 min, porém mantendo o mesmo título, “Curse of the Demon”. Desde então, a versão veiculada no mercado americano, seja em TV a cabo ou em lançamentos em VHS e DVD, tem sido esta. Curiosamente, existe uma edição americana em DVD, lançada em 2002, contendo as duas versões.

    Muito obrigado!

    Guilherme

    • Olá Guilherme. Claro que posso! Já arrumei o link. Só baixar.

      E também já tem a versão lançada em Blu-Ray do filme, uncut, que pode ser baixada por aí também.

      Obrigado pelo toque do link quebrado.

      Abs

      Marcos

  2. Guilherme disse:

    Valeu, Marcos! Fico muito agradecido pela atenção e por ter prontamente atendido ao meu pedido.

    Um abraço!

    Guilherme

  3. Marcos, gostaria de agradecer pela postagem. Vi esse filme há muitos anos pela televisão(mais de 30 anos). Recentemente tinha comentado sobre ele com a minha esposa, mas não lembrava do título, apenas do seu final, que ao contrário de vc, achei muito climático e assustador.Hoje vendo um documentário da BBC sobre filmes de terror, apareceram trechos do filme e consegui descobrir o nome. Fico satisfeito de ter conseguido achar no seu blog.

    • Oi Marcelo. Poxa, que legal. Fico muito feliz quando aparecem comentários como os seus contando histórias de quando assistiu ao filme, ou que pode revê-lo por conta do 101.

      Eu que fico satisfeito por tê-lo ajudado.

      Grande abraço.

      Marcos

  4. Nunca assisti, mas fiquei curiosa…. e entendo muito bem a irritação de Torneur, principalmente ao ver a cara do troço…..é de chorar…

  5. […] Polanski, mas com diversos excelentes exemplares (lembrando aqui de cabeça: A Sétima Vítima, A Noite do Demônio, As Bodas de Satã, A Irmandade de Satanás, entre outros). As incertezas religiosas inerentes ao […]

  6. Joao disse:

    Vc poderia disponibilizar o link para download desse filme ? nao encontrei aqui , obrigado !!!

  7. popcorn4 disse:

    Olá, gostaria de parabenizá-lo por disponibilizar tanto conteúdo com ótima qualidade. Imagino o tempo e dedicação gasto!!! Também queria saber se há link para torrent desse filme (a noite do demônio) e do Na Solidão da Noite (1945) pois não encontro o “botão” para download. Novamente, parabéns!!!

    • Hey hey. Muito obrigado pelo comentário e elogio! Tempo e dedicação para vocês, fãs do horror.

      Então, o blog tem uma parceria com a Versátil que lançou os filmes em DVD aqui na excelente coleção Obras-Primas do Terror, então por isso não disponibilizo o link para download. Mas compre o box se puder que é imperdível.

      Abs

      Marcos

  8. guilherme disse:

    o que ouve com o link pra baixar? quero muito ver esse filme

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *