138 – O Solar Maldito (1960)

House of Usher 1960 poster


House of Usher


1960 / EUA / 79 min / Direção: Roger Corman / Roteiro: Richard Matheson / Produção: Roger Corman, James H. Nicholson (Produtor Executivo) / Elenco: Vincent Price, Mark Damon, Myrna Fahey, Harry Ellerbe


O Solar Maldito é o primeiro dos muitos filmes da parceria bem sucedidas entre o diretor Roger Corman e o ator Vincent Price, nas adaptações das obras do escritor americano Edgar Allan Poe para as telas de cinema. E o conto escolhido para esse debute foi A Queda da Casa de Usher.

A dobradinha Corman/ Price foi responsável pelas melhores adaptações de Poe para o cinema. Além de O Solar Maldito, os dois também foram responsáveis por A Mansão do Terror, Muralhas do Pavor, O Castelo Assombrado, O Corvo, A Orgia da Morte e O Túmulo Sinistro. Aqui nessa primeira incursão, além da mais uma vez extraordinária atuação desse monstro do gênero do horror que é Price, o filme conta com roteiro escrito por uma das mais geniais mentes de Hollywood, Richard Matheson, o mesmo de Eu Sou A Lenda, O Incrível Homem que Encolheu, Ecos do Além e As Bodas de Satã, entre outros.

Outra importância de O Solar Maldito foi que ele estabeleceu a fórmula básica que seria utilizada por Corman nos próximos filmes de Poe: a filmagem em Cinemascope, a preocupação com a construção cenográfica de época, a indumentária, o apelo teatral e a utilização do Technicolor para dar vivacidade às cenas.  E tratando-se de roteiro, os contos de Poe são usados como pano de fundo com uma liberdade maior criativa na construção de subtramas maniqueístas, sempre colocando um personagem puro e bem intencionado, vindo de fora, dentro em um ambiente vil e sinistro comandado pelo personagem de Price, gerando um conflito iminente entre o bem e o mal.

Nesse caso, esse personagem é o recluso Roderick Usher (Price com seus cabelos descoloridos), que vê esse tal ambiente, aqui o antigo casarão dos Usher,  posto à prova com a chegada de Phillip Winthrop (Mark Damon), apaixonado por Madeline (Myrna Fahey), irmã de Roderick, que vive sob cárcere privado e aparentemente encontra-se terrivelmente doente. Após uma longa viagem à procura de sua amada, a troca de faíscas entre Winthrop e Usher é quase que imediata, pois o péssimo anfitrião quer proibir o viajante de ver a mulher com quem irá se casar e sugere que ele parta imediatamente daquela casa.

nononono

Vincent Price pós ida ao Jaça

Aos poucos vamos conhecendo todas as excentricidades de Roderick, um homem atormentado por todo o peso de uma maldição familiar, além de sofrer por possuir todos os seus sentidos extremamente aguçados, como a audição, onde é capaz de ouvir os ratos andando pelas paredes de pedra da mansão, o tato, onde só pode vestir as roupas do mais macio veludo e a visão, que o faz deixar a casa na mais completa penumbra para não afetar sua fotossensibilidade.

Como se não bastasse, o casarão é envolto em uma neblina sinistra, um lago pútrido e uma terra infértil, e está literalmente caindo aos pedaços, podendo desmoronar a qualquer momento. E além disso tudo, a família Usher carrega consigo uma maldade secular, “sangue contaminado pelo mal” como Roderick explica, pois os seus ancestrais eram piratas, assassinos, ladrões, prostitutas, falsários e toda sorte imaginável de malfeitores. Aos poucos Winthrop vai percebendo na roubada que está se metendo e tenta tirar de qualquer forma sua amada da casa, mas sempre impedido pela loucura obsessiva de Roderick e por forças sobrenaturais malignas que permeiam o local.

Um dos pontos altos do filme é a sequência pós suposta morte de Madeline forjada por Roderick (na verdade efeito da catalepsia que a garota sofre) quando Winthrop é acometido por um sonho bizarro e tétrico, onde os espíritos dos Usher estão assombrando-o, assim como o próprio personagem de Price, com a tela tomada por uma fotografia em cores frias, efeitos sonoros assustadores e atuações apavorantes daqueles envolvidos na cena. Isso sem contar quando Madline retorna dos mortos, possessa, vestida em fúria com os olhos vermelhos de sangue, em busca de sua vingança contra o irmão controlador e insano.

Corman sempre foi conhecido como o Rei dos Filmes B. Mas esse chamado Ciclo Poe, sequência de filmes que fez com Price (onde claramente ele tirou a sorte grande por conseguir contar com ele, inigualável na exagerada arte de viver os personagens excêntricos do escritor) mostra o verdadeiro talento e potencial do diretor, que afinaria ainda mais nas próximas produções até chegar em seu auge.

nonononono

Ora, seu…



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. […] de filme adaptado da obra de Poe que havia sido feito até então. Nos dois filmes anteriores, O Solar Maldito e A Mansão do Terror, e mesmo no próprio Muralhas do Pavor e os demais filmes da fase Poe (seriam […]

  2. […] época, direção de arte e figurino que parece que foi copiado em todos os filmes anteriores (como O Solar Maldito e A Mansão do Terror), com seus casarões vitorianos ou castelos empoeirados, interpretação […]

  3. […] já que as adaptações anteriores da parceria Corman e Price havia sido um baita sucesso, como O Solar Maldito, A Mansão do Terror e Muralhas do Pavor. Price faz o papel tanto do bruxo Curwen, perseguido pela […]

  4. […] melhor conseguiu transportar os contos de Poe para às telas. Tudo começou em 1960, quando filmou O Solar Maldito, para a American International Pictures (adaptação de A Queda da Casa de Usher) já com o […]

  5. […] você já leu o conto de Poe, ou assistiu alguma outra adaptação do conto, como O Solar Maldito, dirigido por Roger Corman e estrelado por Vincent Price nos anos 60, já sabe o desfecho dessa […]

  6. […] de filme adaptado da obra de Poe que havia sido feito até então. Nos dois filmes anteriores, O Solar Maldito e A Mansão do Terror, e mesmo no próprio Muralhas do Pavor e os demais filmes da fase Poe (seriam […]

  7. […] (incluindo o famoso episódio da criatura na asa do avião) e também roteirizou filmes como O Solar Maldito, A Mansão do Terror e O Corvo (adaptações de Edgar Allan Poe dirigidas por Roger Corman e […]

  8. […] maior mérito de A Mansão do Terror é exatamente seguir um padrão que deu certo, surgido em O Solar Maldito no ano anterior e que permaneceu até O Túmulo Sinistro, último filme da santíssima trindade […]

  9. Solange disse:

    Baixar alguma coisa no 4shared realmente é dose de paciência
    Torrent solar maldito.exe?

    • Oi Solange. Não entendi o torrent solar maldito.exe.

      Nenhum dos arquivos é exe. O filme está em .torrent, que precisa de um gerenciador para baixar e as legendas em trt.

      Marcos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: