288 – O Homem de Palha (1973)

The Wicker Man

1973 / Reino Unido / 88 min / Direção: Robin Hardy / Roteiro: Anthony Shaffer / Produção: Peter Snell / Elenco: Edward Woodward, Christopher Lee, Diane Cilento, Britt Ekland, Ingrid Pitt

 

O Homem de Palha é um filme polêmico e extremamente controverso. Assim como todo bom filme que ouse propor concepções diferentes de religião e que batam de frente com o cristianismo. Se O Exorcista traz o poder cristão ao topo máximo da pirâmide contra o mal, já o filme escrito pelo excelente roteirista Anthony Shaffer (o mesmo de Frenesi, de Hitchcock), renega essa crença e aposta no paganismo como fonte da solução de todos os problemas de uma remota ilha na costa escocesa.

Bom, tudo começa quando o Sargento Howie (Edward Woodward) chega até a ilha, guiado por uma carta que recebeu no continente, para investigar o repentino sumiço de uma garota local, Rowan Morrison. Cristão fervoroso, a ponto de não acreditar no sexo antes do casamento e ser um daqueles sujeitos bem carolas, ao chegar no local fica extremamente chocado com a orientação religiosa dos moradores da ilha, que acreditam em deuses da fertilidade, sem nenhum pudor fazem sexo grupal pelos campos, ensinam sobre a importância de venerar o falo abertamente na escola e até recebe uma cantada descarada da filha do estalajadeiro, que fica dançando e batendo na porta do seu quarto nua em pelo (nessa cena, a atriz Britt Ekland usou uma dublê de corpo para fazer as cenas onde aparece dançando de costas), convidando-o para uma noite de luxúria.

Cada vez mais abismado com o que vê a sua volta, Howie então percebe que há uma imensa conspiração entre os moradores da ilha para ocultar o que realmente aconteceu (ou irá acontecer) com Rowan, incluindo o Lorde Summerisle (Christopher Lee, magnífico), neto do responsável por instalar a religião oficialmente por lá. Em suas investigações, o sargento descobre que a colheita do ano anterior tinha sido um fracasso, e segundo as tradições, um sacrifício humano deveria ser realizado para o Deus do Sol e a Deusa dos Pomares, afim de garantir uma farta colheita no próximo outono. E Rowan será sacrificada durantes esses festejos de 1º de maio (não, não será em nenhuma festa da CUT ou da Força Sindical).

ALERTA DE SPOILER – Pule para o próximo parágrafo ou leia por sua conta e risco. Apenas no finalzinho do filme que é revelada a verdadeira intenção de Summerisle e seus seguidores: tudo não passou de um embuste para atrair o virgem adulto Sargento Howie, que chegou ao local por livre e espontânea vontade, apenas para ser ele a vítima do sacrifício para aplacar os deuses da fertilidade da ilha, e ser queimado vivo dentro do tal homem de palha gigante construído na encosta.

Isso sim é religião!

O Homem de Palha é um filme bem excêntrico, que mistura elementos de terror e suspense, com doses de humor e muitas peças musicais (sim, isso mesmo: musicais). É extremamente bem executado pela dobradinha entre o diretor Hardy e o roteirista Shaffer, que vão nos conduzindo em uma trama quase policial, com um final extremamente impactante e sinistro, sem apelar para um banho de sangue ou para os estereótipos góticos das produções inglesas de terror que vinham sendo realizadas até os anos 70, principalmente da Hammer.

Talvez o quesito mais polêmico do filme foi o fato de escancarar o uso da religião de uma forma extremista, independente de qual seja, para que os fins justifiquem os meios, colocando no centro do debate toda a mesquinharia religiosa do ser humano, que pode muito bem fazer o mal a outra pessoa que não seja de sua crença para o seu proveito, ainda mais se essa tal crença julgar ser a certa e única do universo, enquanto todo o resto não passa de pecador e herege.

Enfim, discussões teológicas à parte, é um excelente filme que ficou por muito tempo desconhecido do grande público, uma vez que os negativos foram acidentalmente destruídos e a versão que se viu foi uma versão com cortes. O filme na íntegra só pode ser conferido quando em 2002, a versão original do diretor foi lançada em DVD nos EUA. Chegou até a ser lançado no Brasil pelo desbravador selo Dark Side da Works Editora. E para provar que eu não estou mentindo, Christopher Lee considera esse seu principal papel no cinema (e olha que não há nenhum outro ator no mundo com mais filme no currículo que ele) e trabalhou na produção sem receber cachê, pois sabia do orçamento baixo e principalmente, acreditava muito no potencial do filme.

Potencial esse que Hollywood e sua fábrica de estupidez conseguiu estragar de uma forma sem precedentes, ao refilmar o clássico em 2006, com ninguém mais, ninguém menos que Nicholas Cage, o maior canastrão do cinema, no papel do detetive e Ellen Burstyn (coitada!) no papel da Irmã Summerisle (sim, uma mulher), em uma trama que se passa nos Estados Unidos e deturpou toda a história original do filme. Aqui no Brasil, recebeu o nome de O Sacrifício sendo que sacrifício mesmo é conseguir assistir essa bomba até o final. Corra!

Pastor Lee a a igreja invisível

 Serviço de utilidade pública:

Compre o DVD de O Homem de Palha aqui.

Download: Torrent + legenda aqui.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=m5GM1jiwk6c]


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

23 Comentários

  1. […] de Arthur Le Bern, e adaptado por Anthony Shaffer, que mais tarde escreveria o controverso O Homem de Palha. Hitchcock nunca deixa de ser uma boa pedida. Frenesi não foge a […]

  2. Assisti faz uns 15 dias. Gostei muito. Lee está soberbo. Gostei quando ele dá as explicações para o sargento, tudo na maior naturalidade, a coisa mais normal do mundo (rsrsrsr). Acho que este filme não só chocou a sociedade como ainda deve fazê-lo. Tudo que se diz contrário a um padrão, é condenável e por aí vai. O filme tem muita música, acho eu, devido a mostrar um costume antigo, que remonta aos antigos celtas, e estes não transmitiam seu folclore em escritas, mas de maneira falada, e é mais fácil decorar em forma de rimas ou canções.
    Ainda não vi “O Sacrifício”, verei mesmo assim (,é farei esse sacrifício) para ver o quão ruim ficou esse remake.
    Ah, e queria dizer que adoro ler suas resenhas!
    Obrigada.

    • Oi Ana Paula.

      Concordo com seu comentário. O Homem de Palha é uma baita filme! E toda essas referências as antigas religiões pagãs e celtas certamente são motivos suficientes para contradição e choque, até mesmo nos dias de hoje.

      Conselho de amigo? Não veja O Sacrifício…hahahahahahaha… Não tem necessidade! 😉

      E ah, muito obrigado. Que bom que você gosta de ler minhas resenhas. Já sinto minha missão cumprida.

      Bjos

      Marcos

  3. Allan disse:

    Vi recentemente e achei um ótimo filme. Quanto ao remake, já começa mal pelo nome que deram aqui no Brasil. Lembro de ter alugado, mas devo ter dormido, pois não lembro de nada do filme.
    E quanto às resenhas, copiei todas para um arquivo de texto para ir lendo no trabalho, ehehe.

    • Mas até que o título aqui no Brasil tem tudo a ver, Allan. Afinal, é um sacrifício mesmo conseguir assisti-lo até o final! 😉

      Poxa, que bacana! Fiquei feliz em saber que você dá umas escapadas na rotina de trabalho diária para ler as minhas resenhas. Obrigado, mesmo!

      Abs

      Marcos

  4. Cross (Clausner) disse:

    A cena da loira dançando na porta já vale um dez para o filme.

  5. […] chamada Lucy (vivida pela loirinha Britt Eckland, famosa por seu papel e sua suposta nudez em O Homem de Palha), que parece influenciá-la em diversas decisões, só que ninguém mais a vê. Mantida em cárcere […]

  6. oscar_b disse:

    Lembro que, assim como muita gente, tomei conhecimento deste site que tanto gosto por meio desta postagem. Logo me senti na obrigação de assistir o filme e escrever algo sobre ele. Então vamos lá…
    Além dos dos aspectos filme já retratados na postagem, é impressionante como um filme de terror que não utiliza muitos elementos de ação, susto ou gore, consiga incomodar o espectador de uma forma tão intensa, principalmente em seu final acachapante. A ideia de uma pessoa que seguiu fielmente os princípios religiosos ser “abandonado” por seu Deus à outras pessoas que, ironicamente, estão seguindo fielmente o princípio de seus Deuses é genial e ao mesmo tempo dá aflição pra caramba!
    Valeu pela dica!

  7. Raphael Travassos disse:

    Olha, esse filme provocou uma influência enorme em mim. Depois que assisti comecei a dançar pelado pulando uma fogueira querendo engravidar. Sem sucesso, desisti.

    Sério. Esse filme é de tão magnético que deixa o cara em suspensão até o último minuto. É tudo tão estranho e ao mesmo tempo atraente… e o final? Chocante, pra dizer o mínimo. Posso até exagerar, mas esse é um dos meus horror favoritos.

    • HAHHAHAHAHAHAHA… Melhor nem imaginar a cena, Raphael.

      Com certeza é um dos melhores filmes de terror de todos os tempo, muito por esses aspectos que você levantou.

      Obrigado por comentar.

      Abs

  8. Walter Gomes disse:

    Christopher Lee deve ter adorado mesmo o roteiro do filme, pois trabalhou brilhantemente sem receber cachê. Lembro de ter visto esse filme pela primeira vez quando estudava no primário (por volta de 1976). Na época, não entendi muito o filme, mas voltei a assisti-lo quando comprei o DVD em 2008. Não tenho a menor dúvida sobre o imenso valor dessa obra!

  9. Dave Santos disse:

    Sempre quis ver isto. E graças ao seu site sensacional… consegui!
    É impressionante, e com certeza, entrou na minha lista de filmes preferidos.
    Contestador até a medula, chocaria muita gente ainda hoje.
    E eu vou chocar muita gente com ele, nas sessões de cinemas em casa que fazemos por aqui, rs.

    Grande abraço!

  10. cabalbone disse:

    A questão do Remake ser ruim nem é o caso do Nicolas Cage ser o ator, é que Remake num geral são ruins mesmo. Dá para contar no dedo algum remake que valha a pena ser visto.

  11. Eduardo disse:

    Eu vi este filme com qualidade blu ray… e apesar de próprio Lee falar que é um filme brilhante…
    Eu achei bem chato com cenas entediantes e além de Lee aparece pouco mas o filme é bom somente em suas poucas cenas … ele é um Lord que domina um ilha onde uma seita meio sádica tem um rituais para que as colheitas sejam sempre prosperas … o Detetive Policial e um tanto quanto tosco enfim … o filme é tão ruim quanto o remake com Cage … That´s All !! Lee viveu momentos bem melhor no Rasputim !!!!!!!

  12. […] ode ao personagem interpretado pelo lendário Christopher Lee no clássico de 1973, O Homem de Palha. Um destaque especial para a execução da flauta utilizada pela vocalista Alia O’Brien. A […]

  13. Carol disse:

    Perturbador. Acabei de ver e nenhum filme atual consegue me deixar assim há anos. Os anos 70 renderam filmes incrivelmente perturbadores.

  14. Cheyenne disse:

    Assisti anteontem este filme. Achei muito bom, o final pra mim foi de fato surpreendente. Um fato engraçado é que a música que a filha do estalajadeiro canta dançando nua, eu ja havia ouvido antes de ver o filme, por intermédio da banda Faith and the muse, o proprio nome da versão cantada por ele é “Willow”, outro fato interessante é a vocalista da banda ser de origem irlandesa, o que liga muito o filme à musica. Foi uma experiencia muito interessante ver no filme uma musica que ja me era familiar. Percebi que esse filme tem a participação da saudosa Ingrid Pitt, um grande nome dos filmes de terror da Hammer, o qual eu adoro; mas achei meio estranho ela ter ficado com um papel tão coadjuvante. Não sei também se posso estar errada, mas deu a entender que willow tentou “salvar” o sargento de seu destino tragico quando tentou seduzi-lo em sua primeira noite na ilha, afinal se ele não fosse mais virgem, não teria serventia para o sacrificio. Irônico, pois ele tinha uma salvação, mas a sua crença acabou o matando. Outra ironia, como a propria resenha e a epoca apntavam é que muitos filmes de terror enalteciam a fé cristã e a biblia, e ali, naquela ilha, o sargento apenas parecia um maluco fanático.

    • walter170366 disse:

      Legal o seu comentário.

      Na verdade, a Willow quando faz a tal dança para seduzir o sargento, ela está testando-o para ver se ele não cairia na tentação da carne. O objetivo disso era para saber se realmente ele serviria para o sacrifício, já que era um católico fanático.

  15. Leitor Assustado disse:

    Boa noite a todos. Cheguei a esta página graças a uma pesquisa no Google depois de assistir ao vídeo da música BURN THE WITCH do Radiohead, que se baseia nesse filme. Não sabia da existência desse filme até hoje, também conheci a música hoje e recomendo que vcs assistam ao clipe. Perturbador. https://www.youtube.com/watch?v=yI2oS2hoL0k. Também recomendo que vejam a letra.
    Abraços.
    PS: Desnecessária a piadinha da festa “da cut e da força sindical” (sic).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *