297 – Capitão Kronos – O Caçador de Vampiros (1974)

captain_kronos_poster_01

Captain Kronos – Vampire Hunter

1974 / Reino Unido / 91 min / Direção: Brian Clemens / Roteiro: Brian Clamens / Produção: Brian Clemens, Albert Fennell / Elenco: Horst Janson, John Carson, Shane Briant, Caroline Munro, John Carter, Lois Dane

 

Uma certeza que temos ao assistir Capitão Kronos – O Caçador de Vampiros, é que se podemos apontar para um ponto específico que a Hammer realmente foi para o buraco de vez, foi quando essa fita foi lançada. E não é só porque o filme é bem ruinzinho. É por conta de todas as consequências causadas.

Fato é que o longa foi desenvolvido inicialmente para ser uma série de filmes e tornar-se uma nova franquia da Casa do Horror. Capitão Kronos teve um resultado pífio nas bilheterias que cancelou todos esses planos, e o pobre retorno financeiro também figurou como o maior recorde negativo de bilheteria da Hammer. Deveria dar um novo gás para o estúdio britânico, o que não aconteceu, e as dificuldades financeiras decorrentes acabaram por fechar suas portas.

Mais tarde Capitão Kronos – O Caçador de Vampiros se tornaria um daqueles filmes cultuados, marginalizado na época de seu lançamento em 1974, sendo que havia sido filmado em 1972 e lançado nos cinemas somente dois anos depois. Um mix de ação com terror, como o título bem diz, Kronos é um espadachim caçador de vampiros fora do usual, uma espécie de Blade da Inglaterra do Século XVII, que foge do estereótipo impresso por Peter Cushing e seu Abraham Van Helsing.

Na trama, um vilarejo do interior inglês está sofrendo com a misteriosa morte de garotas que tem sua força vital sugada, apresentando sinais de um envelhecimento acelerado. O Dr. Marcus (John Carson) pede ajuda para Kronos (Horst Janson) e seu ajudante, o corcunda Grost (John Carter) para tentar solucionar o mistério e caçar o vampiro que está não sugando o sangue, mas a juventude das damas, afinal como ele mesmo explica: “há várias espécies de vampiros”, desmistificando certos dogmas relacionados às criaturas, como apenas se alimentar de sangue e não poder sair à luz do sol.

Nobre caçador

Nobre caçador

Kronos e Grost, na companhia da bela e espevitada morena Carla (Caroline Munro), começam uma investigação, ao melhor estilo Monster Quest do History Channel, para detectar a presença dos vampiros e eliminá-los. Enquanto isso, uma história paralela se desenvolve por meio da família Durward, aristocratas ingleses, onde dois ambiciosos irmãos, Paul (Shane Briant) e Sara (Lois Dane), vivem em um casarão afastado com sua convalescente e velha mãe (Wanda Wentham, papel oferecido para Ingird Pitt e recusado), viúva do Lodre Durnwald, o melhor espadachim que o mundo já viu, segundo seu epitáfio.

Resumo da ópera é que obviamente a família Durnwald estará envolvida até o pescoço com essa história de vampirismo e chupação de energia vital, e durante um confronto no casarão, em uma simplista e patética reviravolta final, o espectador conhecerá na verdade quem é o terrível vampiro e as suas pretensões malignas. Chato, chato, chato…

O clima de aventura de capa e espada e o estilo Errol Flynn não funcionam, incluindo um desnecessário embate final de esgrima que chega a dar sono, e em contrapartida o clima de horror gótico também não, pois já estamos com o saco na lua de ver essa mesma fórmula de filme da Hammer, além do orçamento não ajudar nem um pouco na ambientação, cenários, figurinos, etc. O desenvolvimento da narrativa também é fraquinho, e uma ou outra cena interessante de sangue é vista, como durante uma briga na taverna que Kronos decepa um malfeitor.

Saudades da Hammer do final dos anos 50 e anos 60!!! Ao invés daqueles filmes mágicos e deslumbrantes, em sua decadência, nos resta assistir a Capitão Kronos – O Caçador de Vampiros. É o que tem para hoje. Mas pela importância do estúdio, deve ser visto.

Sua maldade bate na minha espada e reflete!

Sua maldade bate na minha espada e reflete!

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Capitão Kronos – O Caçador de Vampiros não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Paulão Geovanão disse:

    Você é fã da Hammer?

  2. Paulão Geovanão disse:

    Então me responda: Qual foi o último filme produzido lançado pela Hammer?

  3. Paulão Geovanão disse:

    Eu perguntei sobre o último filme dessa fase gloriosa da Hammer. Qual foi?

  4. Paulão Geovanão disse:

    Valeu. Vou procurar. Como o estúdio estava na pindaíba, deve ser um trashão daqueles.

  5. Paulão Geovanão disse:

    O Filmow indica que o último filme da Hammer é “Mistérios na Bavária” de 1979.

    • É verdade. Como eu disse Uma Filha Para o Diabo foi o último filme de terror, lançado em 76. Olha, é ruim, mas nada tão ruim quanto A Lenda dos Sete Vampiros, Circo dos Horrores, Capitão Kronos ou Os Ritos Satânicos de Drácula, não…

  6. Paulão Geovanão disse:

    Que meda! rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: