302 – Frankenstein e o Monstro do Inferno (1974)

frankenstein_and_the_monster_from_hell_poster_01

Frankenstein and the Monster From Hell

1973 / Reino Unido / 99 min / Direção: Terence Fisher / Roteiro: John Elder / Produção: Roy Skeggs / Elenco: Peter Cushing, Shane Briant, Madeline Smith, David Prowse, John Stratton

 

Frankenstein e o Monstro do Inferno é o último filme da franquia da Hammer, trazendo Peter Cushing para seu derradeiro papel como o Barão cientista louco que queria brincar de Deus, sendo também o último longa dirigido por Terence Fisher, diretor que tem em sua bagagem talvez os mais importantes filmes do estúdio inglês.

Uma saga que começara em 1957 com o lançamento de A Maldição de Frankenstein e daria o pontapé inicial para tornar o estúdio inglês na Casa do Horror, lar da revitalização dos monstros clássicos da Universal e responsável por colocar o nome de Cushing e de Christopher Lee (que interpretou o primeiro monstro) no eterno hall da fama do cinema de horror. Depois de outros cinco filmes, o grand finale de Fisher também pode ser considerado o epitáfio ou a pregada final no caixão da Hammer, destoando completamente do estilo de fita que o estúdio entregava durante os 70, dando a ele até uma espécie de ar clássico e saudosista.

Na série, as desventuras científicas do Barão Frankenstein de Cushing sempre foram o foco das tramas, e não a criatura em si, que voltava em cada uma de suas sequências nas produções da Universal da Era de Ouro. O louco cientista já esteve às voltas com sua principal criação em A Maldição de Frankenstein e O Monstro de Frankenstein, fez operações de cirurgia plástica e transplantes de cérebro mal sucedidos em A Vingança de Frankenstein e Frankenstein tem que ser Destruído e até já realizou uma operação de “troca de sexo” por meio de transfusão de almas (???!!!) em Frankenstein Criou a Mulher.

Com isso, ele inspirou vários médicos cirurgiões e cientista ao redor do mundo a fazer experiências com pedaços de cadáveres, e um deles é Simon Helder (Shane Briant), pego no flagra fazendo seus experimentos macabros e condenado a cinco anos de confinamento em uma instituição psiquiátrica, onde, olhem só, o Dr. Frankenstein havia sido preso anos antes. Mas claro que o famigerado médico não está morto, como dito pelo afetado diretor do asilo, Adolf Klauss (John Stratton), e continua atuando como o médico do local, chantageando-o graças a uma terrível descoberta, tendo passe livre para fazer o que quiser lá dentro.

Frankenstein nunca desiste

Frankenstein nunca desiste

Auxiliado por Simon e pela bela mudinha Sarah (Madeline Smith), também conhecida como “Anjo”, mesmo com suas mãos queimadas o impossibilitando de praticar cirurgias delicadas, Frankenstein irá continuar suas maluquices no hospício, utilizando os pacientes da ala de criminosos insanos como cobaias perfeitas. Assim, ele irá criar sua mais nova criatura, um monstrengo feio e peludo, usando o corpo de um dos pacientes que havia regredido ao período Neolítico (mas, hein???), as mãos de um artesão e o cérebro de um sensível professor e violinista, utilizando as habilidades de Simon para realizar as cirurgias.

Por estarmos escolados na série, já sabemos que o monstro (interpretado por David Prowse, o ator que vestiu a roupa de Darth Vader na trilogia original de Star Wars, e já havia vivido a criatura em O Horror de Frankenstein, filme que não pertence à franquia) não irá obedece-lo, e revoltado, dotado de selvageria e força sobre-humana, irá tocar o terror no asilo, contra tudo e todos, principalmente contra o Barão e o diretor, por motivos que descobriremos mais tarde, deixando um rastro de morte e destruição.

ALERTA DE SPOILER. Pule para o próximo parágrafo ou leia por sua conta e risco. No final da fita, magistralmente Terence Fisher nos entrega uma das cenas mais bacanas e violentas de toda a filmografia da Hammer, com o monstro sendo literalmente linchado e destroçado pelos demais loucos do hospício, como se fosse vítima de um ataque zumbi. E logo depois, antes dos créditos subirem, o amoral Victor Frankenstein age como se nada tivesse acontecido, pronto para continuar suas aterradoras experiências, não mostrando nem um pingo de ressentimento, pensando em quem poderá ser o próximo “doador” para seu novo experimento. E acabamos por aí, com o cientista sempre saindo incólume na medida do possível, como um dos mais sensacionais vilões, ou porque não, anti-heróis, do cinema de terror.

Com 59 anos de idade na época das filmagens (o filme foi concluído em 1972 mas lançado apenas em 1974), já com a saúde debilitada e frágil, Peter Cushing continua sendo um verdadeiro lorde, extremamente contido, elegante, preocupado com cada pequeno detalhe da produção, e entrega mais uma vez um papel interpretado com afinco e maestria, mostrando mais uma vez porque ele é o verdadeiro Cavalheiro do Horror. Já Terence Fisher, diretor subestimado que com toda certeza deveria estar no hall da fama do gênero, mas que estava em declínio por problemas de alcoolismo e desavenças com o estúdio, entrega mais uma peça redonda, coesa e interessante, com toda o mise-en-scène gótico tão característica da Hammer, que já estava deveras ultrapassado naqueles tempos, em um clima claustrofóbico e cruel por entre os corredores e celas do sanatório, além de uma iminente sensação melancólica de despedida subentendida. Frankenstein e o Monstro do Inferno de longe não é o melhor da série, mas a fecha com chave de ouro.

Pobre monstro...

Fight…

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Frankenstein e o Monstro do Inferno está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Pedro Galvão disse:

    Esse não seria o 301?

  2. Joelmo disse:

    Não consigo baixar o filme. Quando vou ao link, pedem para baixar primeiro alguns aplicativos (halo123, etc). Há alguma outra forma?
    obrigado

    • Eita, Joelmo. Não faço ideia do que você esteja falando…

      Cliquei aqui para abrir ao link, e apareceu a página do 4Shared, daí é só clicar no botão download. Feche qualquer outra janela que abrir. E depois clique no botão FREE DOWNLOAD e aí logo já vai aparecer pra baixar o arquivo compactado.

      Veja se conseguiu e me avise.

      Abs

      Marcos

  3. Joelmo disse:

    Agora consegui. Acho que eu estava sem o winrar instalado aqui. Mas obrigado mesmo assim Marcos. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: