325 – Satanico Pandemonium (1975)

Satanico_pandemonium-507827847-large_thumb[3]

Satánico pandemonium / La Sexorcista

 1975 / México / 87 min / Direção: Gilberto Martínez Solares / Roteiro: Adolfo Martínez Solares, Gilberto Martínez Solares, Jorge Barragán (história) / Produção: Jorge Barragán / Elenco: Enrique Rocha, Cecilia Pezet, Delia Magaña, Clemencia Colin, Sandra Torres, Adarene San Martin

 

De esposa de Cristo para escrava de Satã. A sensacional tagline de Satanico Pandemonium já diz tudo sobre essa obra cult do cinema mexicano e um dos exemplos máximos do gênero nunsploitation. Sim, para aqueles inocentes que não sabem, há um subgênero dos filmes exploitation dos anos 70 que era dedicado a mostrar as safadezas e tentações demoníacas dentro de um convento.

O nunsploitation, assim como o nazixploitation, pegava o mesmo conceito dos filmes women in prison e subvertia-os para outros ambientes e meios culturais. No caso dos filmes de freiras, vindos de países católicos como Itália e Espanha (esse aqui no caso é mexicano) veremos as garotas que outrora dedicaram sua vida ao celibato e comunhão à Deus, confinadas em um convento (geralmente na Idade Média, durante o terrível período da Inquisição) cercadas de tentações mundanas como lesbianismo, pedofilia e assassinato.

Entre os grandes clássicos deste gênero, temos A Freira Assassina, Atrás dos Muros do Convento, A Monja e o Demônio, Alucarda e Imagens de um Convento, sem contar algumas adições recentes como Nude Nuns With Big Guns, de Joseph Guzman e até a freirinha safada vivida por Lindsay Lohan em Machete, de Robert Rodriguez. E vale lembrar que lá atrás, em 1922, em Häxan – A Feitiçaria Através dos Tempos, já víamos freiras possuídas pelo tinhoso. E ah, aproveitando o ensejo que estamos falando de Rodriguez, muita gente conhece esse nome, Satanico Pandemonium, por conta da sensualíssima personagem de Salma Hayek fazendo sua dança com a cobra em Um Drink no Inferno. Claramente foi mais uma daquelas homenagens que Rodriguez e seu parça, Quentin Tarantino, fizeram em seus longas.

Sobre o filme, não espere muita coisa de Satanico Pandemonium, essa é a real. É um filme arrastado, com algumas cenas eróticas muito das mal conduzidas (acho que até o Cine Privé ou os filmes do Telecine Action de madrugada são mais excitantes), atuações péssimas, sem carisma e sem lascívia, e efeitos especiais de aparecimento e desaparecimento do diabo, ao melhor estilo Chaves, já que estamos falando de México. A bonitinha Cecilia Pezet interpreta a irmã Maria, pobre coitada casta, pura e devota, que começará a ser tentada por Luzbel, Lúcifer, Satanás, como preferir chamá-lo, vivido por Enrique Rocha, que mais parece o Hector Bonilla (comparações de filmes mexicanos com o Chaves são inevitáveis, desculpem).

Prove dessa fruta!

Prove dessa fruta!

O capeta vive a tentando com uma maçã, cobras, gatos pretos, todos aqueles simbolismos e arquétipos que estamos mais que acostumados em histórias cristãs, até que certo dia, disfarçado de outra freira, finalmente ele consegue traçar a moça e possuí-la. Daí por diante, Maria vai virar uma verdadeira rameira de satã e fazer de tudo para desvirtuar outras pobres almas, como de uma das freiras, tentando colar o velcro com ela, ou tirar a virgindade do jovem pastor pré-adolescente Marcello, ao melhor estilo Xuxa em Amor, Estranho Amor.

Mas os pecados da irmã Maria não param só na fornicação, não! Ela ainda comete uma série de sangrentos assassinatos, incluindo aí a Madre Superiora, que descobre que ela está com o capiroto no corpo, e o próprio Marcello e sua mãe idosa, colocando fogo em seu humilde casebre após uma tentativa frustrada em estuprar o garoto e esfaqueá-lo. Após todas essas blasfêmias, a irmã Maria resolve esconder-se nas montanhas e pedir por perdão, mas ao ver a procissão de freiras carregando uma cruz de fogo, pronta para levá-la a inquisição, cai mais uma vez no papinho de Luzbel e vende sua alma definitivamente em troca de tornar-se a Madre Superiora. Porém ao voltar ao seu convento, ela encontra uma orgia no local, com as freiras peladas dançando e tocando violão. Detalhe curioso é que todas as freiras na verdade foram interpretadas por prostitutas.

ALERTA DE SPOILER. Pule para o próximo parágrafo ou leia por sua conta e risco. Em sua sangrenta conclusão, Maria é esfaqueada pelas demais freiras e morre assassinada em seu quarto. O filme podia acabar aí, mas ao invés disso, vemos a moça deitada em sua cama com suas vestimentas de freira, e as demais, incluindo aí a Madre Superiora, rezando pelo sua alma, pois ela acabara de falecer vítima da peste. Ou seja, tudo não passava de uma baita de uma alucinação sofrida por decorrência da febre. Ou não… Pois na última cena, o Hector Bonilla demoníaco aparece com sua capa e cara de canastrão para nos assombrar.

Obviamente Satanico Pandemonium causou um furor na sociedade mexicana ao ser exibido. Ver freiras peladinhas, batendo bolacha, cometendo assassinatos impiedosos e cenas de autoflagelo, tortura e mutilações não é algo que cai muito bem em um país católico. Temas como profanação, religião e sexo não deveriam caminhar juntos, mas sabemos muito bem que o fazem desde que o mundo é mundo e que o tal pecado foi inventando e a repressão sexual vinda da religiosidade foi instalada para nos manter no cabresto. Apesar dos apesares, tem seríssimos defeitos, principalmente de técnica e ritmo, mas vale a conferida, principalmente por conta dos belos cenários e construções góticas medievais, filmados no Convento de Tepoztlán, no México.

Aí sim é religião!

Aí sim é religião!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando Satanico Pandemonium:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Satanico Pandemonium não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

16 Comentários

  1. Lembrando também que o maravilhoso “Madre Joana dos Anjos”, de Jerzy Kawalerowicz, foi um dos grandes precursores do nunsploitation, baseando sua história no caso das freiras possuídas de Loudun.

  2. Allan disse:

    Quando vi, me decepcionei um pouco por esperar algo como Alucarda. Mas é sempre bom ver freiras safadinhas.

  3. Eu vi quando era um mini-fã do horror. Aquela cena das freiras capirotadas é bem bizarra, gosto do filme.

  4. Gerúndio disse:

    Depois desse post, fiquei até curioso para ver alguns títulos desse gênero, que aparentemente, é o ponto mais louco que o exploitation conseguiu atingir.

  5. […] canhestras, passa longe de ser um dos mais chocantes do nunsploitation (é filme colegial perto de Satanico Pandemonium ou Alucarda) e econômico até demais tantos nas cenas de nudez quanto de sacanagem, tirando a […]

  6. André Coletti disse:

    a legenda do arquivo não está syncronizada. e não consegui fazê-lo. então traduzi a do release “candiru-sp.avi” [ http://kickass.to/satanico-pandemonium-aka-la-sexorcista-english-subs-t727400.html – ao contrário do que indica no kickass, tem seeds sim! dá pra baixar de boa], do inglês, nessa legenda aqui: http://www.opensubtitles.org/en/subtitles/5720768/satanico-pandemonium-pb

  7. […] Leia a minha resenha sobre Satanico Pandemonium aqui. […]

  8. […] Quiçá, a única! Aliás, você sabia que esse nome é inspirado no filme nunsploitation mexicano, Satanico Pandemonium que já rendeu até […]

  9. Demencia13 disse:

    Vou ver se a minha mãe quer assistir este filme… Nada demais é que a coroa, sei lá porque cargas d’água acha o Enrique Rocha bonitão, tipo ela não gosta de novela mexicana, mas assiste as que ele aparece e sei lá, vai que a veía curte ver seu galã latino quando mais novo. Preciso mudar meus remédios, acabo de dizer que gostaria de mostrar para uma senhora que já tem direito de ocupar o assento reservado para idosos no transporte público um filme cheio de sangue, tripas e nudez… Tô mal mesmo.

  10. Gutcho disse:

    não vi listado aqui, mas The Devils (1971) é muito mais absurdo do que tudo que Satanico Pandemonium se propõe a ser! história igualmente chatinha mas muito mais freiras despirocando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: