356 – Ondas de Pavor (1977)

shock_waves_poster_01

Shock Waves

 1977 / EUA / 85 min / Direção: Ken Wiederhorn / Roteiro: John Kent Harrison, Ken Pare, Ken Wiederhorn / Produção: Reuben Trane / Elenco: Peter Cushing, Brooke Adams, Fred Buch, Jack Davidson, Luke Halpin, D.J. Sidney, John Carradine

 

Ondas de Pavor é um filme “maomeno” sobre zumbis nazistas aquáticos, com o Cavaleiro do Horror Peter Cushing no elenco. Não chega a ser ruim, mas também não chega a ser bom, então fica naquele nível de se assistir a título de curiosidade e apenas isso.

Ainda assim, ganhou o status de filme cult, principalmente pelo roteiro inusitado trazendo zumbis nazistas submersos (porque só zumbis aquáticos nós já havíamos visto na década de 50 em Os Zumbis de Mora Tau da Clover Productions), e a presença de dois grandes nomes do cinema de horror no elenco: Cushing e John Carradine.

Dirigido por Ken Wiederhorn com um orçamento de 200 mil dólares aproximados, a completa falta de recurso para o uso de efeitos especiais, maquiagens e figurantes, acabou sendo driblada pela produção com o velho e bom uso da criatividade. Destes 200 mil, Cushing e Carradine embolsaram parcos 5 mil dólares cada um (para trabalharem durante quatro dias), e 250 dólares foram gastos para alugar o hotel abandonado na época onde foram feitas as filmagens de Ondas de Pavor. Atualmente, depois de reaberto, 250 verdinhas é o preço da estada de uma noite de apenas um quarto.

A premissa é interessante: nazistas começam a brincar com o sobrenatural e em uma de suas desvairadas pesquisas macabras, e foram escolhidos maníacos homicidas para darem origem a uma nova raça de supersoldados imbatíveis, que não precisassem de armas de fogo, não teriam medo, não precisariam se alimentar e poderiam equipar submarinos, já que também não precisariam respirar. Com o enlouquecimento desta tropa sem controle, coube ao capitão do pelotão, vivido por Peter Cushing (já doente e bastante magro), afundar o navio e mantê-los aprisionados debaixo d’água.

Zumbis refrescantes

Zumbis refrescantes

Até um grupo de turistas em um barco caindo aos pedaços em direção aos trópicos, pilotado por Carradine, onde uma das tripulantes é a bela Brooke Adams (a mesma de Os Invasores de Corpos) que passa praticamente todo o filme apenas de biquíni, acaba tendo uma avaria e eles tem de procurar ajuda na ilha mais próxima, exatamente quando um estranho e inexplicável fenômeno climático (o dia fica literalmente laranja) faz os zumbis despertarem e saírem de seus leitos no fundo do mar, assim como emergir a antiga embarcação alemã que foi afundada junto com eles.

Em uma dinâmica mequetrefe, com um roteiro que pouco explora os personagens e um clima de suspense quase nulo, os sobrevivente, alertados por Cushing a darem o fora do local, não ouvem o velho, e um a um, passam a ser caçados por aquele terrível pelotão morto-vivo albino, que caminha por debaixo d’água com seu fardamento completo da SS. Não podendo abusar de mortes gráficas e violentas, regra para um bom filme de zumbi, Ondas de Pavor aposta em mortes sistemáticas, através de afogamento, asfixia e coisas do tipo (algumas até off screen), porém executadas com perfeição, como é de se esperar de um grupo do alto escalão nazi. Outro detalhe interessante é que foram usados apenas oito atores para fazer os zumbis idênticos, mesmo que às vezes parecem que são mais, e às vezes parecem que são menos.

Nunca chega a desenvolver o medo zumbi como algo sólido, realmente assustador, e apesar de apostar na atmosfera mais do que na matança e sustos desenfreados, acabou caindo em uma obscuridade merecida, tendo seus negativos misteriosamente desaparecidos há mais de 20 anos. A versão que vemos em DVD hoje em dia é da própria coleção particular de Wiederhonr (que mais tarde voltaria ao gênero zumbi ao dirigir A Volta dos Mortos-Vivos 2).

Zumbis e nazistas não eram novidades já naquela época. Alguns filmes (mais obscuros ainda) foram lançados durante a década de 40 com esse tema, sendo seu primeiro A Vingança dos Zumbis, com o mesmo John Carradine. E ainda assim após o lançamento de Ondas de Pavor, iniciou-se um rápido ciclo, contendo Night of the Zombies, de Joel M. Reed (o mesmo diretor maluco de O Incrível Show de Torturas), de 1980, e duas produções trash ao extremo da Eurociné, uma assinada por Jean Rollin, O Lago dos Zumbis em 1981 e outra por Jesús Franco, Oásis dos Zumbis, de 1983. Mais recentemente, essa onda de zumbis nazis foi revivida, principalmente por conta do interessantíssimo filme norueguês Zumbis na Neve.

Peter Cushing só o pó

Peter Cushing só o pó

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Ondas de Pavor não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

4 Comentários

  1. Paulão Geovanão disse:

    Parece legal. Nesse filme os zumbis nazistas não são lentos como os outros.

  2. […] que os corpos putrefatos pertencem a um bando de soldados nazistas (expediente já usado em Ondas da Pavor, e mais tarde novamente em O Oásis dos Zumbis, esse dirigido de fato por Franco, e até no recente […]

  3. […] apesar de oriundo do cinema de horror (o ótimo Ondas de Pavor, dos zumbis nazistas aquáticos com Peter Cushing foi sua estreia na direção), nunca foi fã do […]

  4. Leandro 2112 disse:

    Poderia ter ido muito mais além.

    Mas é um filme razoável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *