380 – Tubarão 2 (1978)

jaws-2-poster

Jaws 2

1978 / EUA / 116 min / Direção: Jeannot Szwarc / Roteiro: Carl Gottlieb, Howard Sacker / Produção: David Brown, Richard D. Zanuck, Joe Alves (Produtor Associado) / Elenco: Roy Scheider, Lorraine Gary, Murray Hamilton, Joseph Mascolo, Jeffrey Kramer, Collin Wilcox

 

Tubarão 2 é uma das mais decentes sequências do cinema, ainda mais pensando na dificuldade em fazer uma continuação de um filme como Tubarão, o primeiro blockbuster da história do cinema. Claro que não é melhor que o original, afinal, a fita de Spielberg é o filme de minha vida, mas esta também está enraizado no meu imaginário tanto quanto, afinal, quando garoto, assisti zilhões de vezes no Supercine, Sessão da Tarde e Temperatura Máxima (um parêntese: que diabo de nome de sessão de filmes é essa???? Temperatura Máxima!!!).

A verdade é que uma série de problemas rondaram a realização de Tubarão 2, desde condições climáticas, passando demissão do diretor original John D. Hancok por diferenças criativas e uma queda de braço entre o produtor Richard Zanuck e o presidente da MCA Sid Sheinberg (que queria um papel de maior destaque para sua então esposa Lorraine Gary – que repete o papel de Ellen Brody) até bate-bocas constante entre o novo diretor contratado, Jeannot Szwarc e Roy Scheider, que também volta como Martin Brody, participando do filme a contragosto, obrigado pela Universal por ter quebrado contrato e pulado fora de atuar em O Franco Atirador.

O próprio percursor do gênero que gerou uma infinidade de plágios e spin offs obviamente tentaria abocanhar mais grana da plateia com uma sequência e deu MUITO certo, afinal até então foi considerada a mais rentável continuação da história do cinema, faturando mais de 200 milhões de dólares de bilheteria (contra os 30 milhões de orçamento, filme mais caro feito pela Universal naqueles tempos). Fora isso, foi o responsável por uma das mais famosas taglines da indústria: “justo quando você achou que era seguro voltar à água”.

Duas Caras

Duas Caras

Novamente a outrora pacata Amity Island está à mercê de um grande branco, e também novamente as autoridades não dão a mínima trela para as suspeitas do Chefe Brody. Será que não aprenderam nada com ele no incidente ocorrido há três anos? O prefeito Larry Vaughn (também reprise de Murray Hamilton) finge demência quanto aos desaparecimentos e provas fotográficas e o inescrupuloso Len Peterson (Joseph Mascolo) só se preocupa com a especulação imobiliária crescente na ilha e vender terrenos, e nada traria pior publicidade para o negócio do que um pânico em massa por conta de um tubarão naquelas águas.

Enquanto isso, os filhos do casal cresceram e Michael (Mark Gruner) é um adolescente com hormônios em ebulição e paixão por barcos, saindo para velejar durante todo o verão com seus amigos e com sua paixonite, prima de uma amiga. Já o menorzinho Sean (Marc Gilpin) continua um garoto pentelho e que irá se meter em confusão na sequência final por sua chantagem com o irmão mais velho, sabiamente colocado de castigo pelo pai (mas que irá desobedece-lo como manda o figurino). Os adolescentes partem em uma manhã ensolarada para velejar, não parando no farol de costume e indo até Cable Junction, e no caminho são atacados pela besta marinha sedenta por sangue, com seus mais de 7,5m de comprimento. Brody tem de correr contra o tempo para salvar seus filhos e os demais jovens das mandíbulas da faminta criatura.

Tubarão 2 é cheio de cenas emblemáticas, que fazem parte dos grandes momentos memoráveis da franquia, como: a famosa cena do ski aquático quando a garota é atacada e o irmão mais novo do Bruce (apelido do tubarão do primeiro filme, em alusão ao advogado de Spielberg) consegue uma horrenda cicatriz de queimadura no rosto quando a piloto mete fogo no barco; a orca encontrada parcialmente devorada encalhada na praia; Brody histérico gritando a famosa frase “saiam todos da água” e atirando contra um cardume de peixes que julgava ser um tubarão; um helicóptero atacado pelo leviatã e afundado; e claro, a antológica cena do peixe sendo eletrocutado por um cabo de eletricidade mostrando obviamente que aquilo era uma mecatrônico (com fumaça saindo dos olhos…desde quando sai fumaça dos olhos de um animal quando eletrocutado?).

Saudosismo grita alto quando assisto Tubarão 2, tanto quanto vejo o primeiro. Afinal, um garoto louco por tubarões como eu não tinha como não gostar do filme e ter lembranças respeitosas dele. E acho legal que essas duas fitas da franquia são imbatíveis até hoje (nunca mais se fez filmes sobre essas “máquinas de matar marinhas” no mesmo nível até esse presente momento). Só que depois vieram as desgraças que são a terceira e quarta parte, mas isso fica para depois.

Rola uma carona?

Rola uma carona?

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Tubarão 2 está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

7 Comentários

  1. […] (e acaba virando comida de jacaré, mas serve para tirar fotos do mesmo – ao melhor estilo Tubarão 2 – fazendo com que Madison deixe de ser desacreditado e motivo de xacota do departamento); e o […]

  2. […] Último Tubarão é a deliciosa picaretagem italiana rip off de Tubarão e até mais ainda de Tubarão 2, sequência do arrasa-quarteirão de Steven Spielberg lançado três anos antes. E é impossível […]

  3. […] diretor), que até trabalhou como diretor de segunda unidade e designer de produção de Tubarão e Tubarão 2. A pior coisa foi ele ter sido lançado em 3D, indo no embalo da febre dos filmes em terceira […]

  4. […] diretor), que até trabalhou como diretor de segunda unidade e designer de produção de Tubarão e Tubarão 2. A pior coisa foi ele ter sido lançado em 3D, indo no embalo da febre dos filmes em terceira […]

  5. […] Brow e da Universal Pictures, que transformaram Tubarão em uma quadrilogia!!! O segundo filme, Tubarão 2, até que é bacana, vai. Mas Tubarão 3, filmado em 3D e o quarto, Tubarão – A Vingança, […]

  6. […] como se parece a família Brody, sendo que o patriarca matou dois deles distintos em Tubarão e Tubarão 2? E como DIABOS ele sabe que eles se mudaram para Bahamas? Somos obrigados a presumir duas coisas: […]

  7. […] filmes da franquia Tubarão: um deles explode, como em Tubarão, outro é eletrocutado, como em Tubarão 2 , e finalmente, incinerado como em Tubarão 3. Legal, né? Ou não, sei […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: