417 – Sexta-Feira 13 (1980)

Friday the 13th

1980 / EUA / 95 min / Direção: Sean S. Cunningham / Roteiro: Victor Miller, Sean S. Cunninggham e Victor Miller (história) / Produção: Sean S. Cunningham, Steve Miner (Produtor Associado), Alvin Geiler (Produtor Executivo) / Elenco: Betsy Palmer, Adrienne King, Jeannine Taylor, Robbi Morgan, Kevin Bacon

 

Bem-vindos ao Acampamento Crystal Lake! Sean S. Cunningham e seu Sexta-Feira 13 foram responsáveis por inserir na geografia do terror o amaldiçoado local, conhecido como “Acampamento Sangrento”, e colocar na cultura pop o vilão mais conhecido do gênero no cinema: Jason Voohrees.

Sexta-Feira 13 pega o que Halloween – A Noite do Terror de Carpenter começou e dá vida ao subgênero slasher com elementos muito bem definido que seriam copiados à exaustão tanto nas suas próprias sequências, como nas centenas de filmes que seguiriam sua fórmula: um assassino serial killer, geralmente motivado por vingança, perseguindo suas vítimas em acampamentos, fraternidades universitárias e afins, que são adolescentes em busca de sexo, bebidas e drogas, com a profundidade psicológica de um pires, que só estão ali para cumprir tabela e serem mortos no decorrer do filme.

Acrescente nessa mistura muito sangue, peitos de fora e uma morte mais engenhosa e gráfica que a outra e voilá, você tem um estouro de bilheteria por traduzir exatamente o que os jovens nos anos 80 (e 90 e 00 e 10…) querem ver. Prova disso é que com um orçamento de aproximadamente 600 mil dólares, Sexta-Feira 13 faturou mais de 70 milhões na bilheteria mundial e deu origem a nada menos que 10 continuações, um crossover com Freddy Krueger e um reboot no século XXI.

É uma machadada na cabeça

Mas vamos por partes, como diria Jack, O Estripador, ou mesmo o próprio Jason. Acho que nessa altura do campeonato da vida, todo mundo deve saber que o assassino do primeiro filme não é o indestrutível ser que usa uma máscara de hóquei. Nem é um assassino na verdade. É uma assassina: Pamela Voorhees, a mãe de Jason, que quer vingança de todo e qualquer monitor do Acampamento Crystal Lake, não importa a idade, sexo ou ano corrente, por terem deixado seu filho deformado e retardado se afogar no lago no verão de 1958, enquanto faziam sexo ao invés de cuidarem do garoto.

Pois bem, trinta anos passados, Steve Christy, proprietário do acampamento resolve reabri-lo e contrata um grupo de monitores para ajudar na reforma, e isso mesmo avisados por aquele velhinho bêbado profeta do Apocalipse que nunca dão ouvido nesses tipo de filme, mas que sempre está com a razão. E ali estão todos os estereótipos possíveis de adolescentes: o casal apaixonado que só quer transar (o rapaz é Kevin Bacon novinho, antes de Footloose), o idiota engraçado que vive pregando peças, o cara solícito, a mocinha com fogo na periquita, a comportada que torna-se a heroína… Um a um vão sendo eliminados pela Sra. Voohrees.

Tom Savini assina a maquiagem do filme. Após Despertar dos Mortos já começamos a perceber nitidamente a evolução de seu trabalho e como as mortes vão ficando mais realistas. As machadadas, facadas, flechadas e tudo mais são extremamente bem-feitas e o restante do seu trabalho nas sequências (mais especificamente até a quarta parte), o credenciaram como um dos mais importantes maquiadores do cinema de terror de todos os tempos. Além disso, a trilha sonora também foi imortalizada, com a famosa musiquinha que se houve quando os Voorhees estão à espreita (kill, kill, kill, die, die, die) ou na quase cópia da música de Psicose que surge quando eles estão praticando o ataque. Detalhe que coloquei no plural pois a trilha sonora acompanha a franquia e a troca de posto entre mãe e filho assassino.

Sempre acredite no velho bêbado que parece maluco. Sempre!

Somente em Sexta-Feira 13 – Parte 2, lançado no ano seguinte, que Jason aparece com o sangue nos olhos, substituindo sua mãe morta no final do primeiro filme. Nessa continuação ele usa um pano para cobrir seu rosto deformado e durante uma história de terror contada ao redor da fogueira, por um novo grupo de monitores que chegaram ao acampamento (essa galera não aprende mesmo!), conhecemos a lenda de que ele sobreviveu ao afogamento e vive perambulando na mata, caçando e aperfeiçoando suas habilidades durante anos, para tornar-se o assassino implacável que veríamos depois.

Na terceira parte (lançado em 3D) ele encontra a máscara de hóquei que se tornaria sua marca registrada. A quarta parte deveria ser a última, pois foi lançada como Sexta-Feira 13 – O Capítulo Final. É o meu preferido de toda a série. Introduz o personagem Tommy Jarvis, interpretado pelo fedelho Corey Feldman, que em uma cena final clássica, rapa a cabeça para se parecer com o vilão e mutila Jason em pedacinhos. Daí para frente vira Brasil. Na parte cinco é um outro assassino que assume a máscara em um manicômio e a partir da sexta parte que ele se torna um semideus, voltando dos mortos através de um raio, com o corpo inteiraço (mesmo tendo sido picotado na parte quatro) e ressuscitando seguidas vezes, cada vez mais feio, até ser transformado em um ciborgue no futuro (isso mesmo: ciborgue no futuro) em Jason X.

Pô, mas querem saber a real? Eu adoro o Jason! É meu personagem preferido dos filmes de terror. Lembro que quando eu tinha oito anos de idade, eu tinha um álbum de figurinhas do Jason! E na escola, quando brincávamos de pega-pega (a molecada ainda brinca disso hoje em dia?), fazíamos uma versão estilizada da brincadeira onde eu era o Jason, e estávamos todos em Crystal Lake e eu perseguia os amiguinhos no pátio. Dá para perceber que eu nunca fui uma criança muito normal e o porquê de estar escrevendo esse blog hoje em dia né?

Olha o Jason aí! Menino lindo!!!

TOP CINCO: mortes de Jason pelo 101 Horror Movies:

Serviço de utilidade pública:

Compre o DVD de Sexta-Feira 13 aqui.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. […] e bem definidos, diferente dos jovens idiotas que só prestavam para serem mortos, como em Sexta-Feira 13, por […]

  2. […] para sempre na história do gênero e seriam venerados pelos fãs, como o caso de Jason Voohrees de Sexta-Feira 13 e Freddy Krueger de A Hora do Pesadelo, juntando-se aos setentistas Michael Myers de Halloween e […]

  3. […] valeriam sua vida e de seu namorado. E ela erra quando ele pergunta quem era o assassino de Sexta-Feira 13 e ela responde Jason com toda convicção. E não, é sua mãe na verdade. É brilhante! O espanto […]

  4. […] É um daqueles casos de filme que você para sempre vai lembrar: poxa vida, o primeiro foi tão bom! Como conseguiram cagar com tudo depois? Com um orçamento de 1,2 milhão de dólares (considerado baixo para os padrões Hollywoodianos), faturou mais de 102 milhões ao redor do mundo, encheu o rabo da, então pequena, Lions Gates, de dinheiro e deu orgiem a uma interminável franquia, destinada a ser uma espécie de novo Sexta-Feira 13. […]

  5. […] estética do gênero slasher (filmes com assassinos seriais implacáveis que perseguem jovens, como Sexta-Feira 13 e Pânico) e por determinar as três regras básicas de sobrevivência dos filmes slasher: “não […]

  6. […] dos filmes de Frankenstein. O Fantasma de Frankenstein já é o quarto da série. É tipo o Sexta-Feira 13, A Hora do Pesadelo e Jogos Mortais da […]

  7. […] assistiu Sexta-Feira 13, certo? E se eu dissesse para você que ele é uma cópia deslavada de A Mansão da Morte, que no […]

  8. […] ridículo, Craven e o produtor Sean S. Cunningham (que na década seguinte criaria a cinesérie Sexta-Feira 13) se inspiraram em A Fonte da Donzela, filme do sueco Ingmar Bergman e entraram de cabeça no […]

  9. Paulão Geovanão disse:

    A primeira vez que assisti a esse foi em um “Corujão” da vida. E é de longe o meu preferido na série.

  10. […] que muito cineasta e muitos filmes vindouros, desde Halloween – A Noite do Terror, passando por Sexta-Feira 13 e terminando em Pânico, beberam, mas beberam com gosto, na fonte desta fita de Sergio […]

  11. Paulão Geovanão disse:

    Se as crianças ainda brincam de pega – pega? Só ser for WhattsAp

  12. Aruã Silva Vargas disse:

    Hey, sabia que nesse filme copiaram quase que todas as mortes de Reazione a Catena?

  13. Parabéns pela resenha. Como sempre, criativa.

  14. Allan disse:

    Cara, tu já tem, mais ou menos a lista dos 1001 filmes?
    Imagino que tenha muita coisa dos anos 80.

    • Hey, Allan.

      Tenho mais ou menos. Na verdade a lista ultrapassa esse número e vou ter que ir editando. Mas sim, tem bastante coisa dos 80’s. Tem pelo menos uns 200 filmes da lista que são dessa década maravilhosa!!!!

      Abs

      Marcos

  15. Solange disse:

    Adorei a década de 70, ansiosa pela de 80, e tenho um pedido para a de 90, por favor, você colocaria A Morte Veste Vermelho? Sempre lembro desse filme, assisti criança e nas minhas lembranças era assustador, é bem difícil de achar, mesmo se não conseguir, obrigada, adorando os filmes que você escolheu, muito bom gosto.

    • Oi Solange. Muito obrigado pelo comentário! Anos 80 vindo por aí com tudo e depois os 90. Vou dar uma olhada na sua sugestão para ver se entra na lista, senão, pode ficar para uma segunda parte do blog!

      Abs

      Marcos

  16. Classicaço! O primeiro slasher que assisti e estará para sempre em minha memória! Só uma informação: os fonemas da trilha sonora não dizem “kill kill kill die die die” e sim “ki ki ki ma ma ma” de “kill, mamma” ou seja, a véia ouvindo ordens de seu filhote defunto para que matasse a todos. Abração. 8)

  17. […] um dos melhores já feitos em toda o gênero durante os frutíferos anos 80. De colocar o primeiro Sexta-Feira 13 no chinelo com todo o respeito. E isso por conta de dois simples fatores primordiais: a maquiagem […]

  18. […] um dos melhores já feitos em toda o gênero durante os frutíferos anos 80. De colocar o primeiro Sexta-Feira 13 no chinelo com todo o respeito. E isso por conta de dois simples fatores primordiais: a maquiagem […]

  19. […] sucesso de Sexta-Feira 13 fez com que uma enxurrada de filmes slasher invadissem os cinemas no início dos anos 80. Entre […]

  20. […] e bem definidos, diferente dos jovens idiotas que só prestavam para serem mortos, como em Sexta-Feira 13, por […]

  21. […] violentas e elaboradas, como vinha acontecendo com todos os slashers da época, desencadeado por Sexta-Feira 13 e copiado à exaustão, Pague para Entrar, Reze para Sair acabou se tornando malfadado, um filme […]

  22. […] dotes em Despertar dos Mortos de Romero, e depois feito fama nos slasher movies, como o primeiro Sexta-Feira 13, o violentíssimo Chamas da Morte e em O Maníaco. Aqui em Quem Matou Rosemary?, ele executa seu […]

  23. […] Sra. Pamela Voohrees está morta. Sexta-Feira 13 faturou 40 milhões de dólares na bilheteria. E agora? Como vamos fazer para alguém continuar […]

  24. […] mestre dos efeitos de maquiagem, responsável por filmes como Despertar dos Mortos, O Maníaco e Sexta-Feira 13, entre outros, como um lixeiro no epílogo encontrando a revista em quadrinhos jogada no lixo no […]

  25. […] em Halloween 2 – O Pesadelo Continua (ah, vá) e não queriam tornar a franquia mais um Sexta-Feira 13 (ah, vá) colocando o assassino mascarado matando gente à rodo com toda sua criatividade […]

  26. […] americano durante aquela década, tentando abocanhar uma fatia de público e renda conquistados por Sexta-Feira 13, de longe, a franquia mais conhecida e rentável do subgênero. E todos pareciam cópias em carbono […]

  27. […] do icônico Jason Voohrees não poderia terminar em apenas um filme (lembrando sempre que em Sexta-Feira 13 a assassina era Pamela, a senhora sua mãe). Aproveitando a febre dos slasher movies que a própria […]

  28. […] Eu sei, eu sei que é mais do mesmo, recauchuta só a mesma história iniciada lá no primeiro Sexta-Feira 13 de 1980, não traz nada de novo, mas, é aquele que tem as mortes mais escabrosas e violentas até […]

  29. […] Jason Voohrees é Jason Voohrees. Como o subtítulo entrega, a ideia era dar um novo começo para Sexta-Feira 13. Afinal, se bem lembramos e ainda temos um pouco de juízo (apesar de adorarmos ser enganados por […]

  30. […] por Steve Miner e produzido por Sean S. Cunninghan, ambos oriundos dos primórdios da série Sexta-Feira 13 e com a história de Fred Dekker (diretor de A Noite dos Arrepios, simplesmente um dos meus filmes […]

  31. […] o cinema e arrecadar mais alguns tostões explorando a fórmula que ajudara a popularizar na série Sexta-Feira 13. Até a loirinha sobrevivente de Sexta-Feira 13: Parte 2, Amy Steel, está no elenco de […]

  32. […] resenha dessa forma para quem ainda não viu esse capítulo da série que começou há seis anos em Sexta-Feira 13, pode achar que é apenas mais do mesmo, mas não é o caso, porque pelo menos até seu terceiro […]

  33. […] resenha dessa forma para quem ainda não viu esse capítulo da série que começou há seis anos em Sexta-Feira 13, pode achar que é apenas mais do mesmo, mas não é o caso, porque pelo menos até seu terceiro […]

  34. […] para sempre na história do gênero e seriam venerados pelos fãs, como o caso de Jason Voohrees de Sexta-Feira 13 e Freddy Krueger de A Hora do Pesadelo, juntando-se aos setentistas Michael Myers de Halloween e […]

  35. […] Sexta-Feira 13 encontra Carrie – A Estranha! Eu fico imaginando a reunião dos executivos da Paramount tentando espremer o bagaço da laranja chamada Jason Voorhes e tendo a ~brilhante ideia de meter uma menina com poderes telecinéticos para enfrentar o famoso serial killer. Alguém achou que isso poderia dar certo de verdade? […]

  36. […] é que a direção era de Sean S. Cunningham, ninguém mais, ninguém menos que o criador de Sexta-Feira 13. A segunda é que certos filmes não deveriam ser revistos e viver para sempre no seu intocado […]

  37. Cristiano disse:

    É o meu filme favorito, foi o primeiro filme de terror que eu vi na minha vida, gosto muito, se sair outro filme do Jason eu vejo.

  38. […] um filme em uma franquia que dá início a uma quase infindável cinesérie, como aconteceu com Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo, por […]

  39. […] de emular Freddy Krueger e se iniciar uma nova série slasher aos moldes de A Hora do Pesadelo e Sexta-Feira 13. Um personagem é morto de forma cruel e volta à vida munido de uma arma cortante (nesse caso um […]

  40. […] Adam Marcus na concepção da história), o produtor Sean S. Cunningham, que criara a série lá em Sexta-Feira 13 no ano de 1980 e os engravatados da New Line, uma vez que a Paramount vendera os direitos depois do […]

  41. […] corretas valeriam sua vida e de seu namorado. Ela errar quando ele pergunta quem era o assassino de Sexta-Feira 13 ao responder Jason com toda convicção, ao invés de sua mãe na verdade, é […]

  42. […] filmes que pareciam cópia carbono um dos outros, isso sem contar as infindáveis cineséries, tipo Sexta-Feira 13, A Hora do Pesadelo e Halloween, gerando tubos de dinheiro e arrastando uma grande quantidade de […]

  43. […] reviver sua criação de plástico tão famosa. Diferente de todas as outras cineséries, como Sexta-Feira 13, A Hora do Pesadelo, O Massacre da Serra Elétrica ou Halloween, a franquia derivada de Brinquedo […]

  44. […] dos filmes de Frankenstein. O Fantasma de Frankenstein já é o quarto da série. É tipo o Sexta-Feira 13, A Hora do Pesadelo e Jogos Mortais da […]

  45. […] Sexta-Feira 13 é excelente até O Capítulo Final e depois Jason Vive também é ótimo. A Hora do Pesadelo tem o querido Os Guerreiros dos Sonhos e o incrível O Novo Pesadelo. Halloween 2 – O Pesadelo Continua é quase tão bom quanto o primeiro. Até os filmes do Chucky, Pânico, Jogos Mortais, e mesmo alguns mais recentes, como Atividade Paranormal, todos tem pelo menos algum outro filme, que não seu original, que seja interessante. Menos Hellraiser! […]

  46. […] acampamento, é uma deliciosa surpresa, e a trilha sonora também é praticamente igual a usada em Sexta-Feira 13. Como nada é perfeito, o filme, por sua vez, tem seus pontos baixos: o gore quase não existe, as […]

  47. […] sempre fui #JasonTeam. Sexta-Feira 13 era minha série de filmes de terror favorita, e eu quase tive uma sincope nervosa quando […]

  48. […] Adaptação de um curta metragem da época da faculdade, que depois de 13 anos tornou-se um longa, a fita teve sua história toda remodelada, incluindo aí a criação de dois personagens chaves, os palhaços Cangaço (Francisco Gaspar) e Bola 8 (Fernando de Paula), mantendo do original apenas o nome e um único personagem, Jonas (Beto Britto), que na verdade é um anagrama de Jason, o vilão clássico da série Sexta-Feira 13. […]

  49. […] Content), o alienígena Predador, da série de filmes de mesmo nome, e Jason Vorhees da série Sexta-Feira 13. A NetherRealm Studios e a Warner Bros. Interactive Studios acabaram de anunciar o mais novo pacote […]

  50. […] de horror: o cara é uma lenda dos efeitos especiais práticos tendo trabalhado em filmes como Sexta-Feira 13, Creepshow – Show de Horrores, A Noite dos Mortos-Vivos e por aí vai. Tá bom ou ainda quer […]

  51. […] rede de televisão The CW está desenvolvendo uma série de Sexta-Feira 13. Muitos estão receosos pelo fato de uma série baseada em uma franquia de filmes slasher ser […]

  52. […] continuou: “Você não vai encontrar uma imagem elegante e impactante em Sexta-Feira 13 como você encontra em O Iluminado. Consequentemente, O Iluminado é um suspense psicológico, […]

  53. […] É um daqueles casos de filme que você sempre irá indagar: poxa vida, o primeiro foi tão bom, como conseguiram cagar com tudo depois? Com um orçamento de 1,2 milhão de dólares (considerado baixo para os padrões Hollywoodianos), faturou mais de 102 milhões ao redor do mundo, encheu o rabo da, então pequena, Lions Gates, de dinheiro e deu orgiem a uma interminável franquia, destinada a ser uma espécie de novo Sexta-Feira 13. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: