426 – Dia dos Namorados Macabro (1981)

MyBloodyValentine

My Bloody Valentine

1981 / Canadá / 90 min / Direção: George Mihalka / Roteiro: Stephen A. Miller, John Beaird / Produção: John Durning, Andre Link, Stephen A. Miller, Lawrence Nesis (Produtor Executivo) / Elenco: Paul Kelman, Lori Hallier, Neil Affleck, Keith Knight, Alf Humphreys

 

O sucesso de Sexta-Feira 13 fez com que uma enxurrada de filmes slasher invadissem os cinemas no início dos anos 80. Entre eles, o canadense Dia dos Namorados Macabros é um dos mais famosos e cultuados do gênero.

Além disso, Dia dos Namorados Macabro é mais um daqueles filmes que tem, hã, sabor de infância, se assim posso dizer. Foi um dos filmes que assisti em VHS quando era bem pivete, quando foi lançado por aqui pela extinta CIC Vídeo, lembram? E um detalhe bem interessante é que na fita, havia um trailer de Sexta-Feira 13 – Parte 2, também do ano de 1981 (que foi um ano extremamente frutífero para os slasher movies, tendo a quantidade de 30 deles produzidos!!!). Sim, eu lembro dessas coisas! Enfim…

Dirigido pelo desconhecido George Mihalka, a trama se passa na cidade mineradora de Valentine Bluff, onde uma tragédia assolou toda a comunidade durante o Dia dos Namorados (que por lá é comemorado em 14 de fevereiro, dia de São Valentim, e não enxertado no meio de junho por motivos meramente comerciais como aqui no Brasil). Empolgados com o tradicional baile anual, dois supervisores das minas fizeram seu trabalho de forma meia-boca, sem checar os níveis de gás metano, e foram correndo para a festa, deixando cinco mineiros no local, que devido a um vazamento resultando em uma explosão, são enterrados vivos. Durante semanas houve um intenso trabalho de resgate para tirá-los do interior das minas, quando finalmente eles encontram apenas um mineiro com vida: Harry Warden, que sobreviveu esse tempo se alimentando dos companheiros mortos e caiu na mais profunda loucura.

Warden foi direto das minas para o sanatório, onde ficou durante um ano, até receber alta. E olhe só que coincidência, ele é colocado na rua na véspera do Dia dos Namorados. Desequilibrado e sedento por vingança, Harry veste sua roupa com capacete e mata violentamente os dois supervisores, arrancando o coração de um e metendo dentro de uma daquelas caixas em formato de coração, junto com um aviso: nunca mais o baile dos namorados deveria se realizado!

A cozinha maravilhosa de Harry Warden

A cozinha maravilhosa de Harry Warden

Pois bem, passam-se 20 anos e a atual administração de Valentine Bluff resolve ignorar o aviso, preparando-se para dar o primeiro baile depois em todo esse tempo. Essa é a deixa para que novos assassinatos brutais comecem a acontecer pela cidade. O prefeito Hanniger (Larry Reynolds) e o chefe de polícia Jake Newby (Don Francks) acreditam que a culpa é de Harry Warden, que escapou do hospital e está atormentando a cidade novamente, vestido com a sua roupa de minerador, lanterna no capacete, picareta nas mãos e uma sinistra respiração ofegante enquanto espreita suas vítimas.

Paralelo a isso, somos apresentados ao grupo de mineiros e a um triângulo amoroso entre T.J. (Paul Kelman), filho do prefeito que havia deixado a cidadezinha e voltara a pouco tempo, sua ex-namorada Sarah (Lori Hallier) e Axel Palmer (Neil Affleck), atual namorado dela. Claro que sempre vai sair faísca enquanto esses três estiverem perto. Após uma série de mortes, o baile finalmente é cancelado. Mas como a festa não pode parar, os mineiros farristas e suas garotas resolvem dar uma festinha na mina, prato cheio para que Warden coloque sua vingança em prática.

Mas será que Warden é mesmo o responsável por toda aquela matança? (música de suspense). Claro que o filme irá reservar uma reviravolta no final quando a descoberta do assassino é revelada. Algo que na época era até bacana, mas que hoje em dia assistido de novo é um tremendo clichê, ainda mais para a geração vinda depois de Pânico. Fora que ele segue aquela velha fórmula dos filmes slasher, colocando dezenas de personagens inúteis para terem suas vidas tiradas. E há várias incongruências no roteiro. Buracos que ficam do tamanho do Grand Canyon quando a verdadeira face do assassinos nos é mostrada.

A lavanderia maravilhosa de Warry Warden

A lavanderia maravilhosa de Warry Warden

Mas o grande problema de Dia dos Namorados Macabro é que ele foi mutilado pela censura, que atacou mais que a picareta de Harry Warden. Ao todo, nove minutos foram cortados do filme, fazendo com que ele ficasse extremamente raso, com todas as mortes off screen, tornando a fita muito bobinha, perto de tanta coisa escabrosa que já havíamos visto até então no cinema de terror. E isso acabou prejudicando muito o desempenho nas bilheterias e frustrando o espectador pós-Sexta-Feira 13 com os efeitos de maquiagem de Tom Savini.

Além disso, algumas cenas ficaram até confusas e desconexas por conta de tantos cortes severos que o filme recebeu. Mas eis que finalmente, em uma das poucas vezes na história de Hollywood, uma refilmagem idiota e sem sentido teve a sua serventia. Explico: em 2009 foi lançado o remake de Dia dos Namorados Macabro, em 3D (não vou gastar dedo falando dessa bomba). E foi quando finalmente a versão sem cortes do original foi lançada em DVD na terra do Tio Sam. Com três minutos a mais, o que era um slasher sem graça virou outro filme, que dá até gosto de assistir, graças ao produtor John Dunning, que tinha os originais guardados.

As mortes em Dia dos Namorados Macabro ficaram então muito mais pesadas, gráficas e completamente explícitas, com direito a um close do coração da primeira vítima de Warden sendo arrancado; uma picaretada em um dos infelizes que atravessa sua garganta e arrance seu olho da órbita; uma senhorinha sendo encontrada toda estropiada dentro e uma máquina de lavar e duas cenas estarrecedoras dentro da mina: quando Warden é pego canibalizando os companheiros mortos e no final, quando o assassino decepa o próprio braço para conseguir escapar. Aí sim fomos surpreendidos novamente! E ao assistir a versão do diretor, o fotograma dessas cenas perdidas são de uma cor diferente, ficando evidente (e deliciosamente tosco) todas as partes que o filme foi cortado pela censura.

Vamos matar nossas namoradas!

Take another little piece of my heart now, baby!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando DIa dos Namorados Macabro:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Dia dos Namorados Macabro não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

10 Comentários

  1. […] Leia minha resenha sobre Dia dos Namorados Macabro aqui. […]

  2. […] pelo Sloth, de Os Goonies, e alguns conhecidos filmes de terror como A Ilha do Dr. Moreau, Dia dos Namorados Macabro, A Mão e Halloween III: A Noite das Bruxas) e ponha na conta do cara também as impressionantes […]

  3. Marcus Vinícius disse:

    Qual é, o remake é ajeitadinho, com suspense, violência, o goore… É legal.

  4. alexandre prata disse:

    Primeiramente tenho a obrigação de te parabenizar pelo fantástico blog, cara vc me surpreendeu imensamente com a impecável organização e as excelentes criticas sempre assertivas e objetivas. Todo dia volto pra conferir novas resenhas. Sou um maníaco devoto do horror desde de moleque, tenho 38 anos e me lembro que sempre me hipnotizava o vermelho característico desse estilo, posso admitir que tenho uma adicção e contra ela nada posso fazer. Procuro filmes em sites estrangeiros( ainda não sei como baixar kkkkkk ) onde tem um material vastíssimo de terror oriental podendo sitar entre tantas pérolas Strange circus, Suicide club, I saw the devil, Revenge – a love story, o recente Confessions , enfim a insana e doentia filmografia oriental me fascina. Antes de terminar queria salientar que acabei de assistir o videocast desse clássico Dia dos namorados macabro que assisti no supercine aos 8 anos e fiquei extremamente perturbado e olha que era a versão light. Há uns 2 anos tive a honra de encontrar em um site gringo a versão uncut , te confesso que ao mesmo tempo fiquei maravilhado e demasiadamente impactado com a brutalidade das cenas. O filme sem cortes se tornou atemporal !!!!! Na matéria, vocês só esqueceram de mostrar a cena final, logo ápos o desabamento, o assassino que fica com o braço preso nas pedras o arranca, ficando mutilado e ensandecido dando gargalhadas bizarras enquanto foge.
    Sigo acompanhando o blog com muita ansiedade e mais uma vez agradecendo e afirmando a qualidade e a eficiencia pelo ótimo trabalho. Abraço grande !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Hey, Alexandre. Desculpe pela demora pela resposta. Voltando de férias do blog agora.

      Que comentário bacana. Só tenho a agradecer demais por ele, e por você curtir o blog e contar um pouco aqui da sua predileção. É deixamos o final de fora do Horrorcast por uma questão de edição mesmo. Mas aquele final uncut é incrível.

      Mais uma vez agradeço, e fique a vontade para comentar quando quiser.

      Abs

      Marcos

  5. Cristiano disse:

    Eu gosto deste filme, assisti várias vezes.

  6. Matheus L. Carvalho disse:

    É a versão UNCUT?

  7. Aline disse:

    Olá amigos, tudo bem? Gosto muito desse site, sempre baixo os filmes aqui. Infelizmente, em alguns filmes tenho tido problemas com a sincronia da legenda. Mesmo quando uso o programa e sincronizo a legenda, ela perde a sincronia durante o filme. Mais alguém tem tido esse tipo de problema? Será que é o player? Eu uso o VLC. Se alguém já tiver passado por isso e quiser ajudar seria ótimo. Obrigado

  8. Juli disse:

    Vc falou o nome do assassino.
    Isso é spoiler,a da próxima vez avisa tá?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: