438 – Noites de Terror (1981)

Le Notti del Terrore - Burial Ground

Le notti del terrore / Burial Ground / Nights of Terror

1981 / Itália / 85 min / Direção: Andrea Bianchi / Roteiro: Piero Regnoli/ Produção: Gabriele Crisanti / Elenco: Karin Well, Gian Luigi Chirizzi, Simone Mattiolli, Antonietta Antinoir, Roberto Caporali

 

Pense em um filme podre de zumbis. Essa é a mais perfeita definição de Noites de Terror, produção italiana sem vergonha, dirigida por Andrea Bianchi, que de tão safada e mal feita, torna-se deliciosamente divertida e um prato cheio para os fãs do trash.

Pertencente ao hall de podreiras que nasceram durante o ciclo splatter italiano, que foi do final dos anos 70 até meados dos anos 80, Noites de Terror é uma daquelas aulas de cinema, só que ao contrário. Se quiser um dia fazer um filme e ser levado a sério, esqueça absolutamente tudo que é colocado em prática nesse filme, que traz como vilões os temíveis e famigerados zumbis etruscos.

Como já havia falado aqui no blog, Despertar dos Mortos de George Romero fez um baita sucesso na terra do macarrão. E uma infinidade de cópias, e sequências, e prequelas, e o diabo que você puder imaginar, foram feitas por lá para pegar carona e faturar algumas liras. Alguns de qualidade ímpar, como Zumbi 2 – A Volta dos Mortos, de Lucio Fulci. Outros, ruins de doer como Predadores de Noite. Nesse Noites de Terror a coisa é tão ridícula que os zumbis apodrecidos aqui, vestindo o que parecem ser sacos de estopa, com uma maquiagem precária e tosca (que faria Gianetto de Rossi corar), conseguem ser uma cópia decadente dos zumbis de Fulci, misturados com os templários cegos de Amando de Ossorio.

Esse zumbi comeu algo MUITO azedo

Esse zumbi comeu algo MUITO azedo

O professor Ayres (Raimondo Barbieri), clone de Nostradamus, um estudioso de ciências ocultas, está participando de uma escavação arqueológica, quando acidentalmente abre uma passagem secreta que liberta os zumbis etruscos de três mil anos de clausura. Ele mora em uma mansão isolada, e alguns convidados vão passar o final de semana por lá. Os primeiros minutos do filme parece que você está assistindo a um pornô softcore do extinto Cine Privê da Band. Como se fosse “Emanuelle encontra os Zumbis”. Isso porque o grupo formado por três casais, estão lá só para fornicar.

Dentre os personagens, há um em especial que é a cereja do bolo. Evelyn (Mariangela Giordano) é casada com George (Roberto Caporalli), e ela tem um filho de seu casamento anterior, Michael, interpretado por Peter Bark, um ator italiano que possui hipopituitarismo, deficiência no hormônio de crescimento, e parece uma cópia anã de Dario Argento. Michael na trama é para ser um criança, só que ele tem essas feições adultas!!! É simplesmente bizarro!!! Isso porque no filme, Michael sofre de um complexo de Édipo no nível um milhão, louquinho de tesão na mãe e morre de ciúmes do padrasto. Como há cenas em que ele bolina a própria mãe, beija-a na boca e dá uma mamada em seus seios (depois arranca a dentadas quando vira zumbi), não seria prudente colocar uma criança para esse papel, então a escolha de Bianchi foi escalar o estranho ator.

Bom, os zumbis esfarrapados fecham o cerco aos visitantes da mansão, e diferentes dos mortos-vivos de Romero, aqui eles são capazes de desenvolver estratagemas de ataque e utilizar até ferramentas, como picaretas, rastelos e foices!!! Em uma cena antológica, eles prendem a governanta da mansão na janela atirando certeiramente um prego que a deixa com a mão pregada no batente, e os zumbis a decepam utilizando uma foice. Isso enquanto eles ainda estão do lado de fora da mansão, antes de conseguir escalar os pilares e entrar no local.

Zumbis maltrapilhos

Tragam as cabeças!

As mortes são todas extremamente gráficas e nojentas (mas tudo falso de dar dó), e vira e mexe vamos ver os zumbis abrindo suas vítimas para devorar suas tripas e órgãos internos. Tem até uma morte que é uma cópia escarrada de Zumbi 2 de Fulci, quando uma garota é pega pelos cabelos e arrastada contra o vidro de uma janela quebrada. Além disso, os atores são todos péssimos, sem exceção, a dublagem americana é bisonha e Bianchi acha que fazer as coisas acontecerem beeeeem devagar vai meter medo em alguém. Sério, tem horas que parece que os zumbis vão demorar uns dez minutos para atacar sua vítima. E outra, esses mortos-vivos são uma meia dúzia de gatos pingados, revezando os figurantes e as maquiagens por conta da verba pífia, tão lerdos, mas tão lerdos, que é difícil de acreditar que eles conseguiram fazer o estrago que fizeram.

E no final, sem mais nem menos, na última e pessimista cena, entra os dizeres sobre uma tal Profecia do Aranha Negra, um monge profeta que viveu na Baviera no Século XVI, que não foi citada em momento nenhum do filme, que diz o seguinte: “A terra tremerá… Sepulturas se abrirão… Eles estarão entre os vivos como mensageiros da morte e haverá noites de terror”. Será que o roteirista Piero Regnoli quis dar um ar sobrenatural e intelectual na história? Vai saber.

Mesmo espinafrando tanto o longa, Noites de Terror é fantástico. Juro!!! É daqueles filmes de guardar no coração, não conseguindo acreditar o quão ruim pode ser e que seus olhos estão mesmo vendo aquele monte de podreira. É só para aqueles iniciados mesmo que não leva a sério certas produções Z e nem queiram posar de cult. Para esses, recomendo que passe longe para não ter uma síncope nervosa.

MAMA!

Pega no peitinho…

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando Noites de Terror:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Noites de Terror não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

6 Comentários

  1. Talitha Saeki disse:

    Poxa, no seeds… 🙁

  2. Lucas Modler disse:

    Tenho esse filme no meu coração há muito tempo! Realmente, é daquelas obras que tu não acredita que foram realizadas e vendidas, simplesmente podre demais, hahahaha. Detalhe que aqui no Brasil foi lançado em VHS como A NOITE DOS MORTOS-VIVOS!! Inclusive a primeira vez que vi, aos 6 ou 7 anos de idade, aluguei pensando ser o filme de 1990 do Tom Savini, aí eu coloco o filme e de repente estou assistindo zumbis etruscos saindo de floreiras, lâmpadas explodindo pelos poderes dos zumbis e uma criança bizarríssima arrancando o seio da mãe na dentada. Obrigatório a todo fã do cinema classe Z mesmo!

  3. sandro disse:

    CARA TU CURTE FILMES DE TERROR ? SÉRIO ? NÃO É MELHOR TU PEGAR UM CURRICULO E LEVAR PRO ZORRA TOTAL ?

    • Não fera, eu estou há dois anos escrevendo esse blog, já assisti e resenhei pra cá mais de 600 filmes e eu não curto, não. É que não tenho nada melhor para fazer…

  4. Gustavo disse:

    Terminei há pouco de assistir, novamente, e continua absurdamente horroroso.
    Por sinal, a Versátil lançou recentemente o box Zumbis no Cinema Volume 2 em DVD, e essa obra de arte faz parte do pacote.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: