476 – O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal (1983)

deadly_spawn_poster_01

The Deadly Spawn

1983 / EUA / 81 min / Direção: Douglas McKeown / Roteiro: Ted A. Bohus, John Dods, Douglas McKewon / Produção: Ted A. Bohus, John Dods (Produtor Associado), Ron Giannotto, Jonathan Neil Harris, Susan Harris, Rita Hildebrandt, Tim Hildebrandt e Jeff Kimelman (Produtores Executivos) / Elenco: Charles George Hildebrandt, Tom DeFranco, Richard Lee Porter, Jean Tafler, Karen Tighe, James L. Brewster

 

Trasheira até a medula extraterrestre! Isso é O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal, um dos títulos mais WTF que o mercado brasileiro de home vídeo já pode conceber. Claro que a ideia era pegar uma picareta carona em Alien – O Oitavo Passageiro. Mas até aí, é demais.

Fato é que o longa do bravo diretor Douglas McKeown é uma daquelas gemas obscuras do cinema sci-fi camp, desconhecido até de muitos fãs do horror. Feito com um parco orçamento de apenas 20 mil dólares (o filme tem UMA única locação em seus quase 81 minutos), O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal é feito claramente por um apaixonado. Entusiasta do cinema de terror, entuba diversas referências ao gênero, desde sua concepção e inspirações, e principalmente por conta do personagem Charles, papel de Charles George Hildebrandt, diga-se de passagem, um dos piores atores mirins da história.

O moleque é fanático por filmes clássicos de terror e ficção científica, obcecado por monstros, máscaras, maquiagens e efeitos especiais (percebe-se uma idolatria por Ray Harryhausen), possui pôsteres no seu quarto de filmes como A Maldição da Aranha e O Monstro do Mar e lista entre seus preferidos Frankenstein, O Templo do Pavor, O Monstro do Ártico e O Terror que Vem do Espaço. Isso é bastante legal!

Quem tem boca vai à Terra...

Quem tem boca vai à Terra…

O roteiro é o mais manjado e clichê possível. Um meteoro cai na terra com sedentos vermes alienígenas que se guiam por meio do som e se instalam no porão da casa de uma família tipicamente suburbana de uma cidadezinha americana. Quatro jovens e o moleque têm de tentar sobreviver da ameaça alienígena. Parece besta né? Só que é o filme é um verdadeiro banho de sangue.

O visual da alienígena mãe com suas bocarras e dentes pontiagudos, que parecem uma mistura de um pepino do mar com planta carnívora (ao melhor estilo A Loja dos Horrores), criado por John Dodds, e suas larvinhas que parecem girinos anabolizados são extremamente toscos, mas daquele jeito que adoramos, sabe? Só pensar no parco orçamento que já dá para imaginar que não teríamos uma superprodução. Mas o gore não deixa nada a desejar.

A cena em que o garoto vê a o eletricista e a cabeça de sua mãe sendo devorados pela criatura interplanetária é sensacionalmente nojenta e sanguinária. Sem economia. E vale também a passividade com que o péssimo ator encara tudo aquilo, de forma incólume, ainda mais se tratando da progenitora sendo estraçalhada. Também fique ligado na hilária cena do almoço vegetariano quando as velhinhas são atacadas pelos girinos espaciais, logo após um deles ter caído no processador e servido de aperitivo. Total Peter Jackson feelings.

Um homem sem face

Um homem sem face

Outro fato interessantíssimo da produção e aí vai um ALERTA DE SPOILER é que a personagem de Ellen, pretê de Peter (Tom DeFranco), o até então mocinho da trama, surpreendentemente morre no meio da fita, tendo sua cabeça mastigada e seu corpo jogado janela abaixo. Havia um boato de que a morte foi uma forma de se livrar da personagem, pois a atriz Jean Tafler havia arrumado outro trabalho, mas McKeown contestou isso, tendo já decidido previamente o fatídico destino da moça exatamente para fugir das expectativas convencionais e chocar a audiência (fato que ele realmente consegue, pois você fica boquiaberto com o acontecido) e explorar o subsequente colapso de Peter.

O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal por muito tempo ficou no anonimato. Ele quase foi comprado pela Paramount Pictures para ser lançado no cinema, mas não rolou. A famosa revista de terror Fangoria que fez uma baita divulgação do filme mais tarde, ajudou a popularizá-lo e o tornou um daqueles cults das produções B. Uma curiosidade é que Tim Sullivan trabalhou como assistente de produção (e escreveu os diálogos adicionais) e ao entrevistar Gene Simmons para a mesma Fangoria deu de presente para o roqueiro a tal cabeça decepada da mãe do garoto. Depois ele produziu Detroit – A Cidade do Rock e dirigiu 2001 Maníacos e Driftwood – O Reformatório.

Vale muitíssimo a pena assistir O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal. Claro, se você esperar um espetáculo de roteiro, atuações oscarizadas e os alienígenas mortais verossímeis, passe longe, pois é tudo exatamente ao contrário. Mas se você é fã da podreira, do trash e do gore, aposto um picolé de limão que você irá adorar.

Fome animal

Fome animal

Serviço de utilidade pública:

O DVD de O Retorno dos Aliens – A Geração Mortal não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

2 Comentários

  1. Diego disse:

    Muito bom! Com história bacana, e gore bem feito. O filme é daqueles divertido de assistir e ainda tem um final muito legal.

  2. Alkaizen disse:

    Olá, a legenda que você disponibilizou não é compatível com o filme do torrent, tentei sincronizar até que desisti e fiz uma legenda eu mesmo (pegando a tradução de uma legenda francesa como base), ficou muito melhor por sinal: http://www.opensubtitles.org/pt/subtitles/6812016/the-deadly-spawn-pb

    Abraços,
    Alkaizen

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: