477 – Tubarão 3 (1983)

tiburon 3d - jaws 3-d - joe alves - 1981 - poster010

Jaws 3-D

1983 / EUA / 99 min / Direção: Joe Alves / Roteiro: Richard Matheson e Carl Gottilebe, Guerdon Trueblood (história) / Produção: Rupert Hitzig, David Kappes (Produtor Associado), Alan Landsburg e Howard Lipstone (Produtores Executivos) / Elenco: Dennis Quaid, Bess Armstrong, Simon MacCorkindale, Louis Gossett Jr., John Putch, Lea Thompson, P.H. Moriarty

 

Como bem sabemos, Tubarão de Steven Spielberg foi um puta sucesso e o primeiro blockbuster da história. Até aí tudo legal, porque é um baita filme, um dos maiores clássicos do cinema, catapultou o diretor ao estrelato, meteu medo de entrar na água em um monte de gente. Mas como tudo que faz sucesso e coloca dinheiro no bolso dos estúdios, os inescrupulosos produtores sempre aproveitam para fazer sequências. Tubarão 3 foi lançado oito anos depois do original e cinco depois da sua continuação.

Mas ser uma sequência salafrária não é o pior que poderia acontecer à fita dirigida pelo ilustre desconhecido Joe Alves (acredite esse é seu único trabalho como diretor), que até trabalhou como diretor de segunda unidade e designer de produção de Tubarão e Tubarão 2. A pior coisa foi ele ter sido lançado em 3D, indo no embalo da febre dos filmes em terceira dimensão no começo dos anos 80, para você usar nas salas de cinema aqueles óculos com lentes de celofane vermelha e azul. Claro que há uma defasagem tecnológica da época e tudo mais, mas os efeitos em 3D são os mais toscos possíveis. Impossível não soltar gargalhadas na sequência em que o tubarão branco estático vem se aproximando do restaurante, completamente sobreposto na cena, ou quando o submarino amarelinho está explorando os mares.

Fato é que nada se salva em Tubarão 3. Talvez o tubarão mecatrônico que seja mais bem feito que o Bruce original e seu comparsa no segundo longa. Completamente caça níquel e motivo de chacota, Richard Matheson tinha sido escalado para escrever, porém o roteiro passou por tantas revisões do estúdio que não se aproveitou nada da história contada por um dos melhores roteiristas de Hollywood. Outro fato curioso é que inicialmente os produtores dos filmes anteriores, David Brown e Richard D. Zanuck tinham a intenção de que o filme fosse uma comédia, porém Spielberg ficou putinho quando descobriu, rejeitou a ideia, ameaçou quebrar o contrato que tinha com a Universal e ganhou a queda de braço, com os dois produtores pedindo demissão do estúdio.

Cuidado tubarão vai te pegar…

Mas o filme na verdade acabou se tornando uma comédia. Não no sentido literal, mas tem de ser zoada por se levar tão a sério. A trama se passa no Sea World (o que me dá uma raiva inenarrável, ainda mais depois de assistir ao documentário Blackfish) e o filho do Chefe Brody, Mike (Dennis Quiad) se tornou um oceanógrafo e trabalha com sua namorada, a bióloga marinha Dra. Kathryn Morgan (Bess Armstrong) no parque, que é gerido pelo inescrupuloso Calvin Bouchard (Louis Gossett Jr.). Enquanto Mike recebe a visita de seu irmão mais novo, Sean (John Putch), que se mudou para o Colorado e desenvolveu um tremendo trauma de água por conta do acontecido durante aquela derradeira velejada em Tubarão 2 (mas que logo perde esse medo tão fácil quando instigado por um rabo de saia), um tubarão branco (o que mais seria?) surge nos arredores do parque.

Ele é capturado por uma equipe formada por Mike, a Dra. Kathryn e o britânico showman aquático Philip FitzRoyce (Simon MacCorkindale) e torna-se o primeiro carcharodon carcharia em cativeiro do mundo. Mas o peixe acaba sucumbindo em um dos tanques e não é que a mãe tubaroa dele, uma grande branco de 10 metros, puta da vida, resolve atacar o parque e a atração Reino Submarino, deixando diversos turistas presos dentro do complexo embaixo d’água? Daí cabe aos heróis exterminar o bicho e blá blá blá…

Bem, para resumir a reação ao filme, Dennis Quaid em uma entrevista posterior ao ser questionado sobre estar em Tubarão 3, respondeu: “Eu estava em Tubarão o quê?”. Roy Scheider que já tinha ficado possesso de participar de Tubarão 2, obrigado por uma questão contratual por ter desistido de participar de O Franco Atirador, naquele momento concordou em atuar em Trovão Azul só para garantir contratualmente que estaria fora dessa bomba. E ainda disse em sua biografia: “Nem Mephistopheles me obrigaria a fazer aquilo. Eles sabiam disso tão bem que nem me procuraram”. Taí, nem precisa de mais resenha depois disso.

Aquashow

Aquashow

Mas sabem o que é o mais legal, mas assim, O MAIS LEGAL de tudo? Você lembra do infame O Último Tubarão do picareta Enzo G. Castellari, que até rendeu o primeiro Horrorcast de 2014? Pois bem, a Universal processou os idealizadores do rip off italiano por plágio que foi até retirado dos cinemas. E não é que Tubarão 3 simplesmente SURRUPIA ideias da sua versão spaghetti? Só reparar no tubarão que ruge, a mesma medida de ambos e o caçador dentro da bocarra do animal levando uma bomba que será detonada pelo mocinho. Se eu fosse Castellari, processava esses sabichões!

Mas como estamos falando de uma das franquias mais lucrativas do cinema, faturou mais de 13 milhões de dólares só no final de semana de estreia. Foi a maior bilheteria de estreia de um filme 3D até ser ultrapassado muitos anos depois por Pequenos Espiões 3-D. E um tubarão só voltou a ganhar a terceira dimensão nas telas nos recentes Terror na Água e Bait 3D (aquele do tubarão preso no supermercado depois de um Tsunami).

Mas a falta de escrúpulos dessa galera não parou por aqui. Tubarão 3 é vexatório. Mas Tubarão – A Vingança, o quarto e último da série é execrável. Mas isso fica para outro post.

Penetra

Penetra

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Tubarão 3 está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

5 Comentários

  1. […] Tubarão em uma quadrilogia!!! O segundo filme, Tubarão 2, até que é bacana, vai. Mas Tubarão 3, filmado em 3D e o quarto, Tubarão – A Vingança, principalmente, são duas bombas. Todos os […]

  2. […] Pois é, essa é a premissa espetacular do filme. Ignorando todos os acontecimentos do anterior, Tubarão 3, este aqui começa em uma cena até que bastante sangrenta (mas mal executada que é o diabo, que […]

  3. […] como em Tubarão, outro é eletrocutado, como em Tubarão 2 , e finalmente, incinerado como em Tubarão 3. Legal, né? Ou não, sei […]

  4. […] estourar as correntes e toca o terror no parque aquático, sendo um espécie de predecessor de Tubarão 3 e Piranha, até voltar para o mar. Então várias manchetes de jornais dão conta de ataques que o […]

  5. Diego/RS disse:

    Cara, acabei de rever no Telecine Cult!
    E que tosqueira, meu Deus do Céu!! rssss…
    Não lembrava de certas partes (a primeira vez que vi foi lá pelos anos 80), mas tem umas bizarrices não mencionadas no post tipo o tubarão dando “caudadas”, “discosta”, insistentemente num portão para abri-lo… e depois de conseguir, entrando “de ré” no vão aberto rssss!…
    O cara ainda na boca dele no final, e com a bomba ali, firme e forte, na mão, esperando alguém só vir puxar o pino – o que é obviamente providenciado pelo Denis Quaid – é realmente demais, mas, não menos bizarro, a mocinha passa por cima do fuço do tubarão e depois fica cutucando ele, ao lado da sua boca (nada temerária tática, não!? : )…
    Quanto ao tubarão rugindo embaixo da água, nem se fala, mas o auge acho que é mesmo a parte do tubarão (em “3D”) se achegando perto da vidraça e a estourando! hehehe (Parece um peixe de papelão, sendo esfregado na tela, fora da tv! rsss…)
    Inacreditável que após os ótimos Tubarão e Tubarão 2, os caras tiveram coragem de fazer isso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: