502 – A Volta dos Mortos-Vivos (1985)

The Return of the Living Dead

1985 / EUA / 91 min / Direção: Dan O’Bannon / Roteiro: Dan O’Bannon (baseado na história de John Russo e Russell Streiner) / Produção: Tom Fox, Graham Anderson (Coprodutor), John Daly e Derek Gibson (Produtores Executivos) / Elenco: Clu Gulager, James Karen, Don Calfa, Thom Mathews, Beverly Randolph

 

No ano de 1985 os zumbis já tinham invadido o universo pop, muito por conta do sucesso estrondoso do videoclipe Thriller de Michael Jackson lançado em 1982. E em 85 foi a vez do roteirista e diretor Dan O’Bannon apresentar sua história de zumbis em A Volta dos Mortos-Vivos, um dos mais famosos filmes do gênero, que pega emprestado o gore cartunesco de Romero em Despertar dos Mortos, retirando todo e qualquer contexto sócio-político, preocupando-se apenas em apresentar sangue e uma boa dose de bom humor.

Essa carga cômica foi o que deixou A Volta dos Mortos-Vivos tão popular, inclusive aqui no Brasil, com os zumbis dublados em português pela Herbert Richards gritando “mioooolos” na Tela Quente. Talvez tenha sido o primeiro contato de grande parte da molecada da minha geração com os filmes de zumbi, já que os dois filmes anteriores de Romero, e mesmo as produções italianas, não chegavam a ser exibidas com frequência (não que eu me lembre pelo menos) na televisão aberta, muito menos em um horário tão nobre.

Dan O’Bannon já tinha dado sua contribuição incalculável ao cinema ao criar e escrever o roteiro de Alien – O Oitavo Passageiro, e por pouco não dirigiu o filme no lugar de Ridley Scott. A Volta dos Mortos-Vivos foi a sua homenagem a George Romero, que originalmente até tinha pretendido processar o filme por utilizar “mortos-vivos” no título mas depois desistiu ao ver o resultado final.

Miooooooolos!

Na verdade o roteiro original de A Volta foi escrito por John Russo, o mesmo que havia escrito A Noite dos Mortos-Vivos junto com Romero. Após desavenças com o diretor, Russo resolveu criar o seu próprio filme de zumbis e ofereceu o roteiro a Tom Fox que decidiu produzi-lo. Entregou nas mãos de O’Bannon para dirigi-lo, que não gostou por achar que seria uma mera continuação da então duologia de Romero e acabou reescrevendo. Mas a citação ao filme que revolucionou o gênero está lá.

Logo na abertura do filme o aviso de que foi baseado em fatos reais, mas que nomes e lugares foram modificados e todo aquele blá blá blá de sempre. É o primeiro dia de Freddy em seu novo emprego em um depósito de suprimentos hospitalares, onde entre outras coisas, há cadáveres para serem usados em dissecação em faculdades ou testes balísticos. Frank é o responsável por apresentar as funções inerentes ao cargo, e ao ser questionado sobre qual a coisa mais esquisita que já havia visto, ele pergunta se Freddy já assistiu A Noite dos Mortos-Vivos, e se ele sabia que era baseado em fatos reais.

Um tipo de arma química havia sido criada pelo exército e vazou em um hospital militar em Pittsburgh, onde os mortos voltaram a vida. Só que por questões de segurança e pressão militar, Romero foi obrigado a alterar a história do filme. Pois bem, esses mesmos mortos foram colocados em contêineres e por um erro administrativo do exército foram parar ali no armazém. Em um acidente, os dois funcionários patetas liberam um gás misterioso que traz os mortos de volta a vida.

Uma galera da pesada!

Após se livrarem do problema desmembrando um dos cadáveres reanimados do depósito junto com seu patrão, Burt, eles decidem queimar o corpo na fornalha do necrotério vizinho que pertence a Ernie, um antigo amigo de Burt. Ao cremá-lo, as substância sobe em forma de fumaça pela chaminé e a chuva a espalha pelo chão do cemitério logo ali do lado, fazendo com que os zumbis devoradores de cérebro saiam de seus túmulos para perseguir os quatro e mais Tina, a namorada de Freddy, e seus amigos punks que foram encontrar o rapaz após o expediente.

O que se segue é sangue, correria e cenas hilárias, embaladas por uma trilha sonora punk rock sensacional de bandas como The Damned e The Cramps e um estiloso figurino totalmente anos 80. E uma sequência de cenas antológicas, como Trash, a garota que faz um strip-tease no cemitério e fica pelada o resto do filme inteiro; ou Suicídio, o punk incompreendido reclamando que ninguém o entende e que aquilo é um modo de vida, e não uma fantasia; ou a explicação de um dos mortos capturados do porquê da fascinação por cérebros, já que a massa encefálica é a única coisa que aplaca a terrível dor de estar morto; ou a impagável cena onde os zumbis, após devorarem dois paramédicos, pedem reforços pelo rádio (“Mandem mais paramédicos!!!!”). E isso é um baita update no conceito zumbi. Aqui eles falam, são capazes de manejar instrumentos e virtualmente indestrutíveis, já que tiros ou fortes pancadas no cérebro não surtem efeito contra eles.

O final do filme também é simplesmente genial. Quando você pensa que as coisas não podem ficar piores…BUM! A Volta dos Mortos-Vivos com certeza é um dos filmes saudosistas que marcou história. Daqueles impossíveis de não gostar, independente de sua idade. Tanto que muitas pessoas até hoje gritam “cérebroooo” ou “mioooolos” quando querem imitar um zumbi. Gerou mais quatro (!!!!) continuações, uma pior do que a outra.

Dói estar morto!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando A Volta dos Mortos-Vivos:

Trailer:


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

28 Comentários

  1. […] uns bons exemplares, como o próprio A Morte do Demônio, Re-Animator – A Hora dos Mortos Vivos e A Volta dos Mortos Vivos. E o que há em comum em todas as produções do splastick é a noção do visceral, do grotesco e […]

  2. […] Por mais que filmes anteriores como Uma Noite Alucinante, Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos e A Volta dos Mortos-Vivos tenham se esforçado, Peter Jackson aqui chuta o balde e leva esse título com honrarias, com uma […]

  3. […] mais sádico e brutal, vindo a recuperar esse ar de “terrir” somente nos anos 80 com fitas como A Volta dos Mortos-Vivos, A Hora do Espanto e Uma Noite Alucinante. O sucesso foi tão grande que ganhou uma continuação […]

  4. […] antes que você ache que Os Devoradores de Cérebro tenha alguma ligação com zumbis, por conta de A Volta dos Mortos-Vivos, a resposta é não. A ameaça ao nosso status quo dessa vez são parasitas que são capazes de se […]

  5. […] Leia a minha resenha de A Volta dos Mortos-Vivos aqui. […]

  6. […] mas um estilo que ficaria famosíssimo principalmente por conta de clássicos vindouros como A Volta dos Mortos-Vivos, Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos, Fome Animal e até os mais recentes Todo Mundo Quase […]

  7. Pedro Luca disse:

    Poderia reupar esse por favor ??

  8. thiago disse:

    lembro ter visto esse filme, e ter ficado até com algum medo, apesar de toda a palhaçada! Muito boa a crítica!

  9. Jessica disse:

    o mais legal!! <3
    e a trilha sonora?!

  10. Marcus Vinícius disse:

    Eu sempre confundia com A Noite dos Mortos Vivos, quando falavam dele.

  11. […] Queen, Karen Black, e o general Wilson (James Karen – que você deve conhecer muito mais por A Volta dos Mortos-Vivos, dirigido por O’Bannon, roteirista do filme). O exército resolve adentrar o covil dos […]

  12. […] o filme anterior, Sexta-Feira – Parte 5 – Um Novo Começo, Tommy Jarvis (Thom Mathews, de A Volta dos Mortos-Vivos) retorna como nêmese do assassino de máscara de hóquei, fugindo do hospício junto com um amigo […]

  13. […] o filme anterior, Sexta-Feira – Parte 5 – Um Novo Começo, Tommy Jarvis (Thom Mathews, de A Volta dos Mortos-Vivos) retorna como nêmese do assassino de máscara de hóquei, fugindo do hospício junto com um amigo […]

  14. […] uns bons exemplares, como o próprio A Morte do Demônio, Re-Animator – A Hora dos Mortos Vivos e A Volta dos Mortos Vivos e os longas de Peter Jackson futuramente em seu início de carreira. E o que há em comum em […]

  15. […] Hora dos Mortos-Vivos, O Despertar dos Mortos, Demons – Filhos das Trevas, O Expresso do Horror, A Volta dos Mortos-Vivos, Quadrilha de Sádicos, entre outros, a maioria dos VHS alugados na 2001 Vídeo da Av. Paulista ou […]

  16. […] para mim, o melhor filme de zumbis dos anos 80 foi A Volta dos Mortos-Vivos. A espirituosa galhofa dos zumbis comedores de miolos marcou toda uma geração de trintões, fez […]

  17. Vinicius disse:

    Se eu, no alto dos meus 33 anos, sou fanático por zumbis até hoje, tenho certeza que 95% desse meu fanatismo vem desse filme, exibido à exaustão na Globo com a sensacional dublagem da Herbert Richards (ah, bons tempos). O filme é fodástico, indo do humor (o morto do estudo para começo, e a conclusão de que a noite dos mortos vivos mentiu é genial) a momentos assustadores e claustrofóbicos (Tina e o Dr presos no sótão, enquanto Joey grita por ela e tentar entrar me dava um medo do caramba). E o final mais putaqpariu que tinha visto num filme até então…E, como bônus, a delícia da Linnea Quuigley pelada, no que deve ter sido a primeira mulher pelada que vi na vida (ou foi ela, o a nadadora pelada do Sexta Feira 13 parte 4). Ai, ai, oh, tempo bom que não volta

  18. […] em si). “Thriller” sepultou a reputação assustadora e pessimista dos cadáveres ambulantes e A Volta dos Mortos-Vivos serviu como o último prego do caixão, transformando-os em objetos da cultura pop, motivo de […]

  19. […] a criatura xenomorfa alienígena. Como diretor, acrescente o clássico dos clássicos oitentista A Volta dos Mortos-Vivos (miooooooolos). Aqui em O Filho das Trevas ele repete o 100% de aproveitamento. Isso sem contar que […]

  20. […] todo mundo deve saber que A Volta dos Mortos-Vivos é um dos maiores clássicos do gênero zumbi. Com seus cadáveres ambulantes devoradores de […]

  21. […] antes que você ache que Os Devoradores de Cérebro tenha alguma ligação com zumbis, por conta de A Volta dos Mortos-Vivos, a resposta é não. A ameaça ao nosso status quo dessa vez são parasitas que são capazes de se […]

  22. […] 07 – A Volta dos Mortos Vivos (1985) […]

  23. […] 3) A Volta dos Mortos-Vivos (1985) […]

  24. Fabio disse:

    Cade o link p baixar?

  25. Germano Henriques disse:

    Cadê o link, caralho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *