515 – Monster – A Ressureição do Mal (1986)

rawhead_rex_poster_01

 

Rawhead Rex

1986 / Reino Unido, Irlanda, EUA / 89 min / Direção: George Pavlou / Roteiro: Clive Barker / Produção:Kevin Attew e Don Hawkins, David Collins (Co-Produtor), Al Burgess e Paul Gwyn (Produtores Executivos) /Elenco: David Dukes, Kelly Piper, Niall Toibin, Ronan Wilmot, Niall O’Brien, Hugh O´Connor

 

 

PUTA PODREIRA PORCARIA CLÁSSICA SAUDOSISTA DO CINE TRASH ESCRITA POR CLIVE BARKER. Isso mesmo, tudo em caixa alta para essa bagaceira homérica intitulada com um nome dos mais estúpidos da sétima arte: Monster – A Ressurreição do Mal.

Antes de ficar conhecido nas telonas por conta de Pinhead e seus brothers cenobitas SM de Hellraiser – Renascido do Inferno, o britânico, um dos mais importantes nomes da literatura de horror moderna, escreveu essa bomba (vai, a história até que se salva um pouco), dirigida por George Pavlou (que tem TRÊS filmes em sua filmografia, um mais podre do que o outro), que é impossível de se levar a sério.

A partir do momento que o tal Rawhead Rex (título original do filme), o monstro pagão celta violento, malvado e sedento por carne humana, dá as caras, é uma explosão de gargalhada. O troncho parece um vilão saído dos desenhos do He-Man (consigo claramente imaginar o Rex ao lado do Mandíbula, Homem-Fera, Aquático, Triclope, Aríete, e por aí vai), com uma estatura e força avantajadas (“interpretado” pelo alemão Heinrich von Schellendorf – desafio a pronunciar isso rapidamente em voz alta), seu visual metaleiro e sua cabeçorra de borracha sem movimentos e olhos vermelhos fixos. É trasheira até a medula.

Como disse um pouco acima, a história até que é interessante: O fotógrafo e historiador Howard Hallenbeck (David Dukes) viaja com sua família para uma cidadezinha no interior da Irlanda, quando descobre uma antiga igreja com um passado misterioso que envolve uma seita pagã celta e adoração de um demônio pré-cristão, que está enterrado (supõe-se que por toda a eternidade) embaixo de um monumento, arrancado por um dos caipiras, fazendo com que o mesmo volte à vida para praticar sua barbárie.

Vade retro!

Vade retro!

Rex terá um cupinhca involuntário nessa história, que é o vigário Declan O’Brien (Ronan Wilmot), que de uma hora para outra só por tocar um altar maldito dentro da igreja, irá se tornar um ímpio seguidor do monstrengo, que em uma cena bizarríssima, será batizado com um golden shower da criatura. Howard resolverá partir para a forra depois de o monstro matar seu filho e tocado o terror no povoado, estripando, dilacerando, desmembrando e decapitando a galera a torto e a direito com sua força sobrehumana, garras e dentes afiados.

Howard contará com a ajuda do Reverendo Coot (Niall Toibin), do inspetor de polícia Isaac Gissing (Niall O’Brien) – outro que se tornará um devoto de Rex – e do improvável, ridículo, patético e vergonha alheia auxílio de sua esposa, Elaine (Kelly Piper) que vai evocar os poderes de Greyskull no final e literalmente fazer a She-Ra, desancando a criatura.

Monster – A Ressureição do Mal vale por duas coisas: primeiro o gore, pois há uma boa dose de mortes violentas praticados pela besta, e segundo, a fotografia com algumas belas paisagens da Irlanda, já que tem County Wicklow, nos arredores de Dublin, como locação. Nem os créditos lá para Cliver Barker salvam essa bomba, sendo que o filme foi baseado em um dos seus contos do volume 3 dos “Livros de Sangue” do autor.

Lá nos idos de 2010 o próprio Barker cogitou uma refilmagem de Monster – A Ressureição do Mal, pois não havia gostado nem um pouco do visual da criatura (ah, vá!) e descrito o próprio como um “falo de dois metros e meio de altura com dentes”. Se nem o pai da criança elogia, quem somos nós para discordar? A ideia acabou sendo engavetada até então. Aqui no Brasil, foi exibido no saudoso Cine Trash da Band e lançado em VHS pela também saudosa VTI.

Blanka Wins!

Blanka Wins!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando Monster – A Ressurreição do Mal:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Monster – A Ressurreição do Mal não foi lançado no Brasil.

Download: torrent + legenda aqui.

 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Diego disse:

    Tosco demais, mas extremamente divertido.

  2. Rafael Véras disse:

    tinha curiosidade de assistir esse filme
    há uma banda de heavy metal com esse nome(rawhead rex).

  3. Henrique disse:

    Eu conhecia o conto do Clive Barker, tá no volume 3 do Livros de Sangue. Não sabia que existia um filme! Mas a cara do monstro acaba com qualquer chance de levar esse filme a sério. É hilária! O pior é que não tem nada a ver com o visual do monstro no conto, rs! Uma pena, o conto é bem interessante e violento. Aliás, os contos do Clive Barker são todos ótimos. Infelizmente nenhum teve uma adaptação a altura.

  4. […] frente nos brindou com pérolas como Re-Animator – A Hora dos Mortos-Vivos, Do Além, Ghoulies, Monster – A Ressurreição do Mal, Bonecos da Morte, O Monstro Canibal e muitas outras películas desse […]

  5. Papa Emeritus disse:

    Você acha esse filme ruim? Você tem que ver a pérola “Grim” de 1995 (um filme com um monstro no mesmo estilo). Faz Rawhead Rex parecer blockbuster!

  6. […] parte de uma série em quatro episódios chamado Brivido giallo e com um monstro que faz o Rawhead Rex parecer a mais incrível criatura do cinema de terror, e você tem a porcaria mor chamada Demons 3 […]

  7. […] que as outras, e demais incursões de sua excelente obra nunca tiveram um tratamento decente, desde Monster – A Ressurreição do Mal, passando por bombas como O Mestre das Ilusões e até mais recente, O Último Trem, por […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: