527 – Os Adoradores do Diabo (1987)

believers_poster_01

The Believers

1987 / EUA / 114 min / Direção: John Schlesinger / Roteiro: Mark Frost (baseado no livro de Nicholas Conde) / Produção: Beverly Camhe, Michael Childres, John Schlesinger; Mark Frost (Produtor Associado); Edward Teets (Produtor Executivo) / Elenco: Martin Sheen, Helen Shaver, Harley Cross, Robert Loggia, Elizabeth Wilson, Harris Yulin, Lee Richardson

 

Talvez se colocado dentro do panteão de todos os filmes de terror que tem como pano de fundo rituais e possessão, Os Adoradores do Diabo seja apenas um bom filme. Mas se você está fazendo um blog analisando 1001 filmes de terror cronologicamente e chega no ano de 1987 empapuçado de produções trash, “terrir” e slashers da década, encarar esse thriller sobrenatural é como encontrar um oásis no deserto.

O diretor ganhador do Oscar® por Perdidos na Noite, John Schlesinger pega o roteiro de Mark Frost adaptado do livro “Religion” de Nicholas Conde e finalmente coloca um pouco de seriedade e do macabro no cinema de terror oitentista, muito inspirado em O Bebê de Rosemary, evocando a Santeria, religião surgida da mistura entre as crenças católicas e africanas trazida para as Américas pelos ancestrais escravos, ganhando adeptos da comunidade hispânica. O dogma religioso envolve rituais secretos, sacrifícios de animais, adoração de figuras de santos, danças, invocações, tambores e atabaques, tal qual o próprio vodu ou candomblé.

Feitiçaria, seitas secretas e pactos demoníacos sempre foi uma boa fonte de inspiração para o cinema de terror, tendo seu auge até hoje no seminal filme de Roman Polanski, mas com diversos excelentes exemplares (lembrando aqui de cabeça: A Sétima Vítima, A Noite do Demônio, As Bodas de Satã, A Irmandade de Satanás, entre outros). As incertezas religiosas inerentes ao final dos anos 80 e a cultura da busca pela popularidade, dinheiro e sucesso fizeram com que o tema abordado em Os Adoradores do Diabo caíssem como uma luva.

Após as imagens antes dos créditos mostrarem um ritual de sacrifício africano (que será devidamente esclarecido no terceiro ato), a trama do filme segue Cal Jamison (papel do sempre ótimo Martin Sheen) cuja esposa é morta em um terrível acidente doméstico no começo da fita e ele muda com seu filho, Chris (Harley Cross), para Nova York, se envolvendo amorosamente com Jessica (Helen Shaver), a senhoria do apartamento que alugou, e começando a trabalhar como psicólogo da polícia.

Tá precisando de um esfoliante aí...

Tá precisando de um esfoliante aí…

Certa tarde quando passeia com o pai pelo Central Park, Chris encontra uma concha utilizada em um ritual ao lado de um gato sacrificado sem cabeça e a guarda. Tudo devidamente arquitetado. Paralelo a isso, Cal é chamado pelo Tenente McTaggert (Robert Loggia) para atender a um policial latino, Tom Lopez (Jimmy Smitz) que trabalhava infiltrado em um caso envolvendo rituais humanos praticados por adeptos da Santeria, e demonstra sinais de insanidade e até tentativa de suicídio.

Esse desenrolar do roteiro que irá dar pano para manga para as investigações de Cal começar a leva-lo cada vez mais profundamente para o mundo do oculto e envolve-lo, assim como seu filho Chris e sua nova namorada, Jessica, para os perigos de uma poderosa seita ritualística de gente graúda que atua na cidade. O desenrolar das situações trabalhadas por Schlesinger conduzem o espectador pelo horror psicológico (muito mais subentendido que explícito) a uma sequência de fatos intrincados até chegar ao seu final, que mesmo que seja clichê e nada inédito no gênero, consegue prender a atenção e ainda assim agradar. Além disso, o final pessimista e em aberto do prólogo do filme também é dos mais interessantes.

Dois momentos que se mostram pontos altos do longa é quando Lopez, vítima da poderosa feitiçaria, abre seu próprio bucho em um restaurante reclamando ter cobras dentro de seu ventre (e depois na autópsia vemos que tinha realmente cobras de VERDADE em seu estômago) e quando uma bolha pustulenta estoura no rosto de Jessica, liberando aranhas pela sua face. Tudo obra de macumba da braba!!!!! Macumba essa inclusive que o diretor culpa o tema escolhido para seu filme pela morte de sua mãe logo após o término das filmagens. Para quem acredita…

Os Adoradores do Diabo (e que não são adoradores do diabo em si na verdade e sim mais uma tosca tradução em português para um título) é um suspense sobrenatural interessante que se sobrepõe às produções porcarias da época feitas em quantidade avassaladora. O que significa um alívio tê-lo assistido em meio à uma verdadeira maratona trash que venho fazendo para escrever esse blog (e como vocês podem acompanhar nos posts).

Suncê tá carregado, mizifio!

Suncê tá carregado, mizifio!

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Os Adoradores do Diabo está atualmente fora de catálogo.

Download: torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

9 Comentários

  1. Paulão Geovanão disse:

    Filme que, mesmo se passado 27 anos do seu lançamento, impressiona.
    Bem vindo 1987! Ano das continuações.

  2. luiz beagle disse:

    lembro que em 1992 eu estava morando em natal-RN, quando anunciaram esse filme no supercine durante toda a semana, só que 2 comerciais antes da novela das 8 acabar(sim a novela da globo antigamente começava as 20 Hs e 30M e terminava as 21 Hs e 30 M) simplesmente anunciaram e passaram outro filme a ficção cherry2000, somente alguns anos atrás eu descobri o motivo da mudança brusca e única na história da tv globo dessa troca,pq no mesmo dia ocorreu um brutal caso de assassinato de um menino envolvendo magia negra,passou até no jornal nacional,não me lembro de tero ocorrido caso semelhante…

    • Caraca, que memória, Luiz!!!!! Vixe, isso aí sim é de dar medo mesmo, como disse o Paulão!!!!

      • luiz beagle disse:

        sim,eu não entendi nada na época e fiquei puto,mas assisti cherry 2000, tem uns 2 anos que descobri o motivo,isso marcou porque nunca vi acontecendo antes nem depois da globo mudar um filme em cima da hora…

      • Ricardo disse:

        Acompanho o seu 101 HORROR MOVIES, por favor você poderia me explicar o final quando o personagem de Sheen acha aqueles objetos no celeiro e olhando para a mulher?

  3. Paulão Geovanão disse:

    Por isso filmes com esse tema assustam tanto. Vampiros, lobisomens, duendes, extraterrestres, fantasmas… tudo isso são lendas ou frutos de mentes criativas. A magia negra, macumba, vodu ou qualquer ritual que mexa com sacrifícios humanos ou de animais fazem parte da nossa realidade.

    • Não depois que você estuda elas um pouquinho mais a fundo do que essa sociedade coxinha católica impede incutindo medos bestas nas nossas cabeças desde crianças, nos fazendo assumir coisas como “a cruz invertida é um símbolo satânico há séculos” como verdadeiras e outros absurdos que a Igreja Católica safademente vem inventando há quase 2000 anos… xD

  4. Bandas de “rock progressivo/hard rock/psycho rock” como Black Widow/Led Zeppelin/Black Sabbath/Coven. Nestas bandas tem muito da literatura de horror/terror como H P lovercraft,Ira Levin. Ocultistas como Eliphas Levi (influência pra Aleister Crowley, Papus entre outros).

  5. lenx disse:

    Saudaçoes, Marcos Brolia.

    Seguinte: para qualquer internauta que deseja obter este filme singular de 1987, eu afirmo que ele esta disponivel no website (brasileiro) minhateca. Confiram la …

    Apenas uma ressalva: cuidado para nao confundirem o titulo nacional de 1987 com um outro filme ianque chamado de forma homonima aqui no Brasil e que este ultimo foi lançado em 2007; foi uma pelicula chata bagarai com o veterano do terror Jensen Ackles (astrozinho do seriado SUPERNATURAL); olhem la …

    Tchau e ate mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: