531 – O Escondido (1987)

501455-hidden_poster_01

The Hidden

1987 / EUA / 96 min / Direção: Jack Sholder / Roteiro: Jim Kouf / Produção: Michael Meltzer, Gerald T. Olson, Robert Shaye; Stephen Diener, Dennis Harris, Jeffrey Klein, Lee Muhl (Produtores Executivos) / Elenco: Kyle MacLachlan, Michael Nouri, Claudia Christian, Clarence Felder, Clu Gulager, Ed O’Ross,

O Escondido é um clássico do sci-fi B dos anos 80. O filme cult do diretor Jack Sholder (que já havia dirigido Noite de Pânico e A Hora do Pesadelo Parte 2: A Vingança de Freddy) é na medida certa para aqueles que curtem filmes de ficção científica e os que curtem policiais aos moldes Máquina Mortífera.

Considerado pela crítica na época uma mistura de Exterminador do Futuro com Os Invasores de Corpos, O Escondido pode pegar de surpresa os desavisados (mas só até certo ponto, vai) com todos seus clichês de filme de ação dos anos 80: excesso de testosterona, a conturbada relação entre os dois policiais que caçam um assassino impiedoso, tiroteio aos montes, perseguições em alta velocidade e por aí vai.

Só que realmente o charme da produção é o fato do criminoso ser na verdade hospedeiro de um parasita alienígena que entra por sua boca e toma controle do corpo da pessoa, dando-lhe um instinto assassino incontrolável, completa falta de moral, apreço por Ferraris e gosto por música no último volume.

MIG - Homens de Cinza

MIG – Homens de Cinza

O filme começa com uma câmera de segurança de um banco mostrando o outrora pacato cidadão de bem Jack DeVries (John McCann) fazendo suas primeiras vítimas, roubando o local e saindo em disparada em uma Ferrari. Após cenas de perseguição de alta octanagem, ele finalmente é detido e fuzilado pelo time de policiais do Sargento Tom Beck (Michael Nouri).

Levado ao hospital nas últimas, o parasita alienígena sai de DeVrit e passa para o corpo do sujeito ao lado, Jonathan Miller (William Boyett), que começará a arruaça da vez. Paralelo a isso, o agente do FBI, Lloyd Gallagher (Kyle MacLachlan, famoso pelo papel de outro agente do FBI, Dale Cooper, da série Twin Peaks) é designado do escritório de Seattle (aparentemente) e pede ajuda de Beck para caçar agora Miller, alegando que ele e DeVrit estavam mancomunados.

Não precisa ser cientista de foguete para descobrir logo de cara que Gallagher também é um alienígena e vem caçando o extraterrestre malvado por anos e planetas, uma vez que ele foi o responsável pela morte do parceiro, esposa e filha do ET. Nisso o mais legal é acompanhar Beck se metendo em uma situação inverossímil e sem entender muito do que está acontecendo, mas com seu faro policial de que algo está errado e não está sendo contado. A ficha começa a cair quando o parasita sai do corpo de Miller para possuir a stripper Brenda ( a deliciosa Claudia Christian que mais tarde voltaria ao sci-fi na série Babylon 5) e depois de tomar pelo menos uns 15 tiros à queima-roupa, não consegue ser abatida.

Auto honka honka

Auto honka honka

Tratando-se de anos 80, tenho que dizer que a aparência do verme espacial é bem decente. A cena em que sai da boca de DeVries para se transferir a Miller foi filmada em stop-motion. A cada pausa do frame, o bichinho era colocado em uma nova posição dentro do molde da cabeça do ator. O responsável foi Kevin Yagher, que anteriormente trabalhou na equipe de Tom Savini em Sexta-Feira 13 – O Capítulo Final e cuidou da maquiagem de Freddy Krueger em A Hora do Pesadelo Parte 2: A Vingança de Freddy. Quanto ao efeito visual do raio da arminha estilo Homens de Preto de Gallagher, esse aí é precário.

Uma curiosidade é que se você reparar bem, na cena da fuga da prisão quando o alienígena chega arrebentando tudo querendo acabar com a raça de Gallagher, um dos prisioneiros é ninguém menos que Danny Trejo, que aparece por apenas alguns segundos no frame e foi uma das suas primeiras participações no cinema, antes de virar ator fetiche de Robert Rodriguez.

O Escondido é mais um daqueles filmes que vi na TV Globo durante a minha infância no final dos anos 80 e começo dos anos 90 e só fui revê-lo muito tempo depois na TV a cabo (acho que foi no Telecine 2, se não me engano), com lembranças bem escassas de apenas algumas cenas (mas que meu primo sempre me lembrava por adorar o filme). Vendo novamente para resenha-lo continuo atestando que é um filme dos mais divertidos. Ganhou uma continuação depois de seis anos que nem é digna de nota.

De saída

De saída

Serviço de utilidade pública:

O DVD de O Escondido está atualmente fora de catálogo.

Download: torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

6 Comentários

  1. Niia Silveira disse:

    Dei a sorte de ver em alguma madrugada na Globo, quando criança. Ou azar, já que tinha um medo danado dos sci-fi naquela época.

    Tá na lista dos que preciso rever em breve.

  2. Diego disse:

    Filmaço! Um dos meus filmes favoritos, também assisti na TV quando era mais novo, só fui rever por volta de 2006, e depois de um tempo encontrei o dvd pra comprar. Esse é daqueles que revendo depois de anos continua muito bom.

  3. […] o projeto deveria ser dirigido por Jack Sholder (diretor de Noite de Pânico, O Escondido e A Hora do Pesadelo Parte 2: A Vingança de Freddy), com Lara Flynn Boyle, recém saída de Twin […]

  4. […] e tem em seu currículo Dia dos Mortos, Vamp – A Noite dos Vampiros, Aliens – O Resgate, O Escondido, Dois Olhos Satânicos, a refilmagem de A Noite dos Mortos-Vivos e olhem só, Necronomicon – O […]

  5. Marcos disse:

    Filmaço que apesar dos efeitos especiais são serem uma primazia, merece ser visto e revisto.
    O enredo ágil e estória muito bem construída colaboram e muito para o fator principal a que o filme se propõe: Diversão total.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: