533 – Hellraiser – Renascido do Inferno (1987)

Hellraiser

1987 / Reino Unido / 94 min / Direção: Clive Barker / Roteiro: Clive Barker / Produção: Christopher Figg, Selwyn Roberts (Produtor Associado), Mark Armstrong, Davis Saunders e Christopher Webster (Produtores Executivos) / Elenco: Andrew Robinson, Clare Higgins, Ashley Laurence, Sean Chapman, Doug Bradley

Os anos 80 realmente foram muito significativos para o cinema de terror. Algumas excelentes produções foram feitas nessa década e serviu para colocar personagens que ficariam marcados para sempre na história do gênero e seriam venerados pelos fãs, como o caso de Jason Voohrees de Sexta-Feira 13 e Freddy Krueger de A Hora do Pesadelo, juntando-se aos setentistas Michael Myers de Halloween e Leatherface de O Massacre da Serra Elétrica. Outro desses personagens que também se tornaria um ícone é Pinhead, de Hellraiser – Renascido do Inferno, de Clive Barker.

Hellraiser é baseado no conto “Hellbound Heart” escrito por Barker, parte da coletânea chamada “Livros de Sangue”, que chamou a atenção de ninguém menos que Stephen King, que escreveu a seguinte resenha: “Eu vi o futuro da ficção de horror, e seu nome é Clive Barker”. Com um marketing espontâneo como esse, Barker estava pronto para transportá-lo para as telas, em um filme que ele mesmo dirigiu, deixando a história ainda mais sádica e repleta de elementos gore. Na verdade o título original da película deveria ser homônimo ao conto, mas vetado pelos executivos do estúdio por parecer-se com um romance. O fanfarrão Barker sugeriu algumas outras pérolas como “Sadomasoquistas do Além Túmulo” ou “O que uma mulher faz por uma boa foda”, em tradução literal, obviamente mais vetados ainda.

Frank Cotton (Sean Chapman) é um hedonista aventureiro sexual que quer de qualquer forma descobrir novas formas de prazer que o satisfaça. Nessa busca incessante ele acaba se deparando com um artefato mágico, uma espécie de cubo que abre portais dimensionais que o leva até um universo fantástico repleto de criaturas masoquistas conhecidas como Cenobitas, que o destroçam e o aprisionam numa realidade paralela localizada no sótão da antiga casa dos seus pais, fazendo com que viva sensações onde a dor e o prazer são inseparáveis, por toda a eternidade.

Igual aquele cubo mágico que brincávamos na infância. Só que não!!!

Um parêntese sobre o cubo, que se tornaria um dos mais famosos gadgets do cinema de terror, é que seu conceito de portal para o inferno tem base na lenda urbana chamada “The Devil’s Toy Box” (ou a caixa de brinquedo do Diabo), um cubo de seis lados construído de espelhos virados para dentro. Segundo a lenda, você fica lá sentado na frente do cubo, que irá acionar um loop de energia e com o tempo você ouvirá barulhos estranhos vindo de seu interior, como rosnados, e poderá visualizar imagens bizarras refletidas no espelho.

Voltando a trama, o irmão de Frank, Larry (Andrew Robbins), um sujeito que é um verdadeiro bundão, resolve se mudar para a antiga casa junto com sua esposa frígida e entediada, Julia (Clare Higgins). Só que a casa começa a trazer várias lembranças a Julia, que colocava um belo par de chifres em Larry tendo um selvagem caso sexual com Frank. No dia da mudança, Larry machuca a mão em um prego e perde uma boa quantidade de sangue no chão do sótão, o suficiente para que Frank comece a materializar seu corpo novamente, após enganar os Cenobitas e conseguir fugir do seu encalço.

Julia então resolve ajudar o antigo amante voltar à vida novamente, providenciando outras vítimas que ela seduz e leva para casa, e assim vai o alimentando. Porém a filha de Larry, Kristy (Ashley Lawrence), que já não se dá nem um pouco bem com a madrasta, descobre o plano e encontra o cubo, libertando os Cenobitas que vem atrás de sua alma. Dedando que o tio havia fugido deles, e nunca ninguém fizera isso antes, Kristy convence as criaturas de que irá leva-los até ele, para recuperarem o fujão.

Pele sensível

Pele sensível

Hellraiser – Renascido do Inferno é um clássico moderno do gênero, e um dos melhores filmes dos anos 80, sem dúvida, além de ser totalmente inovador, fugir do “terrir” insuportável da década, e apresentar o conceito dos Cenobitas, criaturas que vivem em uma dimensão paralela, todos marcados por profundos cortes, roupas pretas e instrumentos de dor e tortura ligados em seu corpo, como é o caso de Pinhead (eterno Doug Bradley) com os pregos espetados por todo seu rosto. E falando em Pinhead, o personagem se transformou em um ícone do horror desde sua primeira fala quando aparece para Kristy, dizendo que eles são exploradores das regiões profundas da experiência. Demônios para uns, e anjos para outros. Sinistro!

Barker acerta muito a mão tanto na direção quanto na história, e abusa de momentos gráficos repleto de sangue, nojeira e violência ainda que para escapar do MPAA, diversas cenas tiveram de ser retiradas para evitar cair na nefasta agenda de tom do órgão regulador: uma cena de marteladas consecutivas, dedos entrando na carne, sexo S&M com espancamento praticado por Julia e Frank, estocadas durante a cena de sexo, e por aí vai.

Outro ponto alto é a transformação de Frank, graças ao excelente trabalho de maquiagem. Maquiagem essa que também chama bastante atenção na caracterização dos Cenobitas. A única derrapada foi nos efeitos especiais do final da fita, quando o orçamento pífio de um milhão já havia ido para o espaço e Barker e um “cara grego” animaram essas cenas à mão, bêbados, durante um final de semana.

Hellraiser – Renascido do Inferno depois deu origem a uma extensa franquia, com outras nove continuações até então, sendo que Doug Bradley interpretou Pinhead em todas elas, exceto o mais recente, Hellraiser – Revelações de 2011. Quanto a cinesérie, vale parafrasear o cabeça de chester: “bons para um, uma porcaria para outros”.

Torça para nunca trombar um Cenobita por aí

Serviço de utilidade pública:

Compre o DVD de Hellraiser – Renascido do Inferno aqui.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. […] Alexandre Bustillo e Julien Maury desistiram de dirigir o remake que Hollywood preparava de Hellraiser – Renascido do Inferno porque acharam o roteiro palha, eu descobri que precisava muito assistir ao primeiro filme deles. E […]

  2. […] do sucesso de A Invasora, os promissores diretores franceses rejeitaram assumir o remake de Hellraiser – Renascido do Inferno por diferenças criativas e colocaram suas forças em seu novo filme autoral, depois de quatro anos […]

  3. Lucas Henderson disse:

    Hellraiser é minha franquia de Horror favorita, além de filmes, tem HQs, livros e até a participação de Pinhead no Scream awards 2006. Não me surpreendi o filme estar nessa lista. Perguntas: Qual as melhores sequências do filme e eles irão estar presente na expansão de 1001 filmes?

    • Salve, Lucas. Então, nessa primeira expansão as sequências não estarão presentes. Mas na Fase 3 do blog eu quero fazer um especial resenhando todas e postando um filme da franquia por dia!

      Obrigado.

      Abs

      Marcos

  4. luiz beagle disse:

    uma das minhas séries favoritas tenho os dvds da parte 1 até a parte 4

  5. alucardcorner disse:

    Hellraiser é um filme fantástico, mas sofre com aquelas sequelas “amadoras” que apareceram mais tarde.

  6. Obrigado pelo post. Hellraiser é um filme foda e o Pinhead é meu personagem ed filme de terror favorito, ao lado do Freddy Kruger.

  7. Niia Silveira disse:

    “Jesus wept.” <3

    Não acho nenhum exagero quando dizem que Hellraiser é um dos melhores filmes do gênero. Além de ser um dos raros casos onde a sequência consegue manter se mesmo nível.

  8. mnasom disse:

    Sei nao…esse filme ja tem quase 30 anos e eu nunca assisti por completo.O pouco que assisti achei nojento,porqueira mesmo…aff Meu estomago nao aguenta!Acho que vou sair do genero terror..kkkkk

  9. cutrim disse:

    um dos meus animes favoritos berserk pegou muitos elementos desse ótimo filme

  10. V disse:

    Hellraiser uma das franquia de Horror mais fodidas que poderia haver ,parabéns pela postagem !!!

  11. Gustavo Henrique de Souza Amaro disse:

    A legenda está em ingles

  12. […] a importância e o tamanho do clássico visceral de Clive Barker, Hellraiser – Renascido do Inferno, lançado em 1987. Simplesmente um dos melhores filmes de terror de todos os tempos com seu excesso […]

  13. […] por um, pelos bonecos assassinos. A gangue da pesada é formada por: Pinhead (que não é aquele de Hellraiser) aquele com a cabeça fininha e todo forçudo; Tunneler, o que tem a broca giratória na cabeça; […]

  14. […] leu, comente sobre, por favor) poderia render algo espetacular, que rivalizaria com os Cenobitas de Hellraiser – Renascido do Inferno, a mais importante obra de Barker nos cinemas até […]

  15. […] os slashers citados e o filme baseado na obra de Clive Barker, que se iniciou no clássico eterno Hellraiser – Renascido do Inferno, é que a pegada aqui sempre foi mais sombria e visceral que os demais filmes oitentistas, e […]

  16. […] um personagem icônico no panteão dos movie maniacs (segundo de Barker, depois de seu Pinhead de Hellraiser – Renascido do Inferno), faturar mais de 25 milhões de dólares de bilheteria (mediante o baixo orçamento de seis […]

  17. joão disse:

    esse é classico e bom demais!!

  18. […] o sujeito despontou para o mundo escrevendo, produzindo e dirigindo Hellraiser – Renascido do Inferno, um clássico absoluto e dos mais importantes filmes de terror por levar de volta às perversões […]

  19. […] as sequências (até aqui e principalmente posteriores) jogando o nome da sua maior criação em Hellraiser – Renascido do Inferno, na lama. Aliás, esse Hellraiser IV – Herança Maldita foi o último a ser exibido nos cinemas e […]

  20. […] trazer o típico terror escatológico e pervertido do escritor britânico, inspirado por seu Hellraiser – Renascido do Inferno, o que deixa mesmo um sentido de frustração quanto ao O Enigma do Horizonte é mesmo pensar que […]

  21. […] Inferno, o quinto filme da franquia iniciada por Clive Barker lá em 1987 com o genial Hellraiser – Renascido do Inferno, já é o suficiente para entender porque o filme não funciona, mas ao mesmo tempo, tem lá seus […]

  22. […] Frank Cotton, o sujeito que tentou ludibriar Pinhead e cia limitada no clássico dos clássicos, Hellraiser – Renascido do Inferno, interpretada mais uma vez por Ashley […]

  23. […] e Farmer querem contar a história de Frank Cotton, personagem de Sean Chapman em Hellraiser – Renascido do Inferno, de Clive Barker, e que o filme seja uma prequela que traga a busca do hedonista personagem pela […]

  24. […] para correr atrás de possíveis financiadores para o filme, e o resto é história: o filme Hellraiser – Renascido do Inferno foi lançado em 1987 e é considerado um dos maiores clássicos do terror, imortalizando o líder […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *