538 – O Padrasto (1987)

9RYaQbnI0RxfAUSVGDKTOxFCrJM

The Stepfather

1987 / EUA / 89 min / Direção: Joseph Ruben / Roteiro: Donald E. Westlake; Carolyn Lefcourt, Brian Garfield e Donald E. Westlake (história) / Produção: Jay Benson / Elenco: Terry O’Quinn, Jill Schoelen, Shelley Hack, Charles Lanyer, Stephen Shellen

 

O Padrasto é aquele típico suspense do Supercine. Quem tem lá seus 30 anos nas costas sabe bem de que tipo de filme estou me referindo, que passava direto na sessão de cinema da Rede Globo nos sábados à noite.

O roteiro de O Padrasto é baseado no livro de Brian Garfiled, que por sua vez é vagamente inspirado na história de John List, um sujeito de Nova Jérsei que matou sua família em 1971 e ficou foragido até 1989, quando a exibição de seu perfil no programa “America’s Most Wanted” foi ao ar na televisão. Dirigido por Joseph Ruben, trata-se um suspense correto, redondo, com todos os elementos necessários do gênero.

Quem realmente pega o filme e coloca embaixo do braço é o ator Terry O’Quinn, o famoso carequinha Locker de Lost, que interpreta o psicopata Jerry Blake, o tal padrasto do título. Completamente entregue ao papel, com uma atuação verdadeiramente visceral, O’Quinn convence o espectador tanto como o maníaco frio, calculista e completamente desequilibrado (como a emblemática cena em que extravasa sua raiva no porão e é pego com a boca na botija por sua enteada) como o bondoso homem de família, que tenta ser um bom marido, um bom pai substituto, um bom corretor imobiliário e pregar veementemente os valores familiares.

Tá olhando o quê?

Tá olhando o quê?

Logo no começo somos apresentados ao personagem em sua visão mais cruel, após tomar banho, fazer a barba e cortar o cabelo em um banheiro, e lavar mãos e rosto ensanguentados. Ao descer as escadas, arrumado para ir ao trabalho, vemos o estado brutal em que deixou sua atual família mutilada, com sangue por todo o lado e uma criança assassinada com seu ursinho de pelúcia. Jerry sai pelo quintal, pega o jornal, assobia “Camptown Race”, que acaba se tornando uma marca registrada do maníaco, e sai incólume à barbárie que cometeu.

Um ano se passou, a polícia não descobriu nenhuma pista do assassino, e Jerry entra na vida da viúva Susan (Shelley Hack) e sua filha “adolescente” Stephanie (Jill Schoelen). Adolescente entre aspas porque ela tinha 23 anos simulando 16, o que rendeu para nós marmanjos uma sensacional cena no banho quase no final da fita. A enteada vive revoltada por conta da morte do pai, arruma confusão na escola e detesta o novo relacionamento da mãe, acreditando que alguma coisa há de errado com o padrasto, claro sem imaginar que o buraco é bem mais embaixo.

Ainda temos uma história paralela de Jim Ogilvile (Stephen Shellen), irmão da menina morta no começo do filme, que tenta fazer justiça com as próprias mãos e vem caçando o assassino desde o acontecido, sem conseguir ajuda da polícia (que encerrou o caso por não possuir mais provas) e da imprensa. O suspense vai crescendo com as investigações em cima de Jerry e uma reviravolta na sua conciliação com a garota após ele ter matado seu psiquiatra. Mas só então no terceiro ato que veremos a face monstruosa de Jerry por completo, quando ele começa a se perder em seu alucinado estado de múltipla personalidade (uma vez que ele vem criando vários alter egos e sempre entra em um novo papel, mudando de emprego e conhecendo a próxima vítima, pouco antes de assassinar a família atual).

Judiação

Judiação

ALERTA DE SPOILER. Pule para o próximo parágrafo ou leia por sua conta e risco. Pois bem, o final reserva toda a intensidade das perseguições em um ambiente fechado (no caso dentro da residência) deste tipo de thriller, com o maníaco tentando dar cabo de Susan e Stephanie. Vale citar a participação nula e completamente imbecil de Jim, que procura o sujeito pelo filme todo e ao conseguir encontra-lo é morto no mesmo instante com uma facada, fazendo com que o imprestável não sirva para nada, exceto ter levado uma arma até a casa que será usada mais tarde por Susan para alvejar o psicopata.

Os pontos fracos do filme são as atuações dos demais atores que são todos engolidos com farinha por O’Quinn e a trilha sonora esdrúxula que destoa completamente do teor de suspense da fita, mas que reflete muito bem os famigerados anos 80, composta por Patrick Moraz, ex-tecladista da banda de rock progressivo Yes. Em compensação a direção de Ruben é precisa, vai criando um escalar de acontecimentos e envolvendo o espectador até a explosão psicótica do personagem do nosso vilão.

O Padrasto não teve uma vida próspera nas bilheterias americanas, faturando apenas pouco mais de dois milhões de dólares, mas acabou fazendo fama e tornando-se cult quando seu lançamento em VHS e nas infinitas reprises na TV aberta, incluindo aqui no Brasil. Ainda gerou mais duas continuações e uma refilmagem em 2009 (que para variar é muito inferior ao original).

Um distinto cavalheiro

Um distinto cavalheiro

Serviço de utilidade pública:

O DVD de O Padrasto não foi lançado no Brasil.

Download: torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. reneesalomao disse:

    EU ASSISTI A VERSÃO MAIS NOVA COM AQUELE ATOR DA SÉRIE NIP TUCK…. RSRSRSRRSRSRSRSRSRSRSRS ACHEI LEGALZINHO…. VOU ASSISTIR Á ESSA VERSÃO ORIGINAL E VER SE É LEGALZINHA COMO O REMAKE,

  2. lucas fernandes disse:

    Pow queria saber se realmente não tem essa versão dublada, é horrivel filme legendado namoral.

    • Oi Lucas. Na moral, minha opinião é inversamente proporcional a sua. Filme dublado é horrível. Então aqui, você só vai encontrar os filmes em seu idioma original. 😉

  3. Bruna disse:

    Oi tudo bem! Primeiro parabéns pelo site, só filmes legais! A Legenda está fora de sincronia, teria como me ajudar? Existe alguma forma de sincronização no proprio player? Obrigada

    • Oi Bruna. Obrigado!

      Eu acho que tem sim, na verdade existem teclas de atalho pelo próprio player que adianta ou atrasa a legenda. Dando um google eu acho que você descobre isso bem fácil.

      Bjos

      Marcos

  4. Oi , tudo bom? eu estou tentando baixar o filme mas ele sempre para no 19,2% (por cento) , como faço para continuar baixando?

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: