61 – A Vingança do Homem Invisível (1944)

The_Invisible_Man_s_Revenge-789029559-large


The Invisible Man’s Revenge


1944 / EUA / P&B / 78 min / Direção: Ford Beebe / Roteiro: Bertram Millhauser / Produção: Ford Beebe / Elenco: John Hall, Leon Errol, John Carradine, Evelyn Ankers, Gale Sondergaard, Lester Matthews


 

A Vingança do Homem Invisível é o último filme de mais uma das famosas franquias de monstro da Universal. Com a chegada da metade da década de 40 e o constante desinteresse do público, o período mais feroz e derradeiro da Segunda Guerra Mundial, além do despontar de um novo tipo de cinema de horror graças aos filmes produzidos por Val Lewton, era natural que uma hora a fonte da Universal secasse (e já vinha secando há tempos).

Com sua galinha dos ovos de ouro enchendo os cofres do estúdio desde o começo da década de 30 e após alguns excelentes filmes, não havia mais para onde levar seus monstros, instalando-se uma estagnação e repetição de ideias, e por fim, um a um foi minguando com sequências desnecessárias, extraindo até o bagaço da laranja. Mas dentre todas as sequências, sempre em franca decadência, A Vingança do Homem Invisível é uma que teve um resultado até que satisfatório, em minha opinião.

Talvez o que tenha mantido a série um pouco mais, digamos, original, foi que ela não se limitou a trazer sempre os mesmos personagens, recauchutando suas histórias, como aconteceu com as continuações de Drácula, Frankenstein e A Múmia, por exemplo. Desde O Homem Invisível, dirigido por James Whale em 1933, passando por A Volta do Homem Invisível, A Mulher Invisível (que é mais uma comédia de situação que um filme de terror em si), Agente Invisível (propaganda ideológica americana da Segunda Guerra) e finalmente A Vingança do Homem Invisível, sempre foram apresentados personagens diferentes (alguns com ligações sanguíneas com o personagem original) e com motivações díspares, para obter o uso da poção da invisibilidade.

Na trama dessa fita em específico, como o próprio título obviamente sugere, um novo Homem Invisível está em busca de vingança. Robert Griffin, interpretado por Jon Hall, que apesar do sobrenome, não tem nenhum parentesco (ou que pelo menos seja explicado na trama) com o Homem Invisível original, é um condenado foragido de um manicômio, que ficou durante seis anos preso em uma escavação na África, perdendo completamente a sanidade e sendo trancafiado logo depois de conseguir escapar já sem um pingo de juízo.

Vou te dar um chá de sumiço

Vou te dar um chá de sumiço

Acreditando que foi traído pelos seus antigos amigos e parceiros da expedição, Griffin retorna sedento por vingança contra os Herrick, família formada pelos irmãos Jasper e Irene, além de Julie, antigo caso amoroso de Griffin. O injustiçado quer sua parte na descoberta da escavação dos minérios, porém os Herrick acreditaram que o antigo parceiro estava morto, por isso, gastaram toda a grana e não tem a menor intenção de dividir o pouco que sobrou com o reaparecido. Então a polícia é chamada e Griffin é expulso do condado em uma noite chuvosa.

Em sua andança, puto da vida, ao procurar abrigo, ele se depara com o estranho cientista louco, Dr. Durry (papel de John Carradine), que também desenvolveu uma fórmula capaz de transformar qualquer animal em invisível, de forma irreversível. Griffin aceita ser uma cobaia humana do doutor, que busca reconhecimento e um passaporte para a sociedade científica. Mas como Griffin não bate bem da cachola e é desequilibrado, ele resolve usar seus poderes recém-adquiridos para arquitetar seu plano de vingança, primeiramente se livrando do professor, matando-o estrangulado.

Diferente dos demais filmes da franquia, aqui Griffin descobre uma forma de voltar a tornar-se visível, através da transfusão sanguínea de outra pessoa. Temporariamente até todo o sangue novo se esvair de suas veias, o vilão consegue readquirir sua aparência em carne osso, para que com o passar do tempo, volte a ficar translúcido até tornar-se invisível novamente. Para conseguir se manter, ele deve sempre matar outras pessoas e assim ficar nesse vai e vem. Isso até ele ser detido e morto por um cachorro. Sim, um cachorro! Na verdade o cachorro do Dr. Durry, que assim como o personagem de Griffin, foi atrás de vingança quando seu dono foi assassinado. É mole?

A Vingança do Homem Invisível é um filme mediano, mas que tem seus pontos interessantes, tratando-se dos efeitos especiais, sempre muito bem elaborados para a época, principalmente nas cenas de transfusão. Além disso, ele traz uma figura do personagem muito mais vilanesca e insana que nos outros filmes, sem princípios para cometer assassinatos e sem precisar do famoso efeito colateral da duocaína, ou monocaína, dependendo do filme, para perder a sanidade de vez.

Se alguém perguntar, você não me viu!

Se alguém perguntar, você não me viu!



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

3 Comentários

  1. Walace disse:

    Onde encontro a legenda?? please

  2. João disse:

    Em algum lugar eu achei um video com uma legenda em azul, mas achei ruim de ler. Achei outra legenda aqui http://legendas.tv/download/57d9cea9b5c63/The_Invisible_Man_s_Revenge/The_Invisible_Man_s_Revenge_1944

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *