634 – O Duende (1993)

leprechaun_poster_01

Leprechaun

1993 / EUA / 92 min / Direção: Mark Jones / Roteiro: Mark Jones / Produção: Jeffrey B. Mallian; Michael Prescott, Davis Price e William Sachs (Coprodutores); Jim Begg (Supervisor de Produção); Barry Barnholtz (Produtor Associado); Mark Amin (Produtor Executivo) / Elenco: Warwick Davis, Jennifer Aniston, Ken Olandt, Mark Holton, Robert Gorman, Shay Duffin

 

Sério, não há muito que falar de O Duende. Acho que o episódio do Horrorcast do dito cujo diz tudo por si só. Trasheira horrorosa, que grita anos 90 na tela e mostra por A + B porque o cinema de terror foi para o buraco durante a tal “década perdida” com essas produções classe Z sendo lançadas direto para o mercado home video (e ainda teve a proeza de vender menos de 100 mil cópias).

Mas, como sempre tudo tem um mas, O Duende é um daqueles filmes que ficaram inseridos no imaginário popular da molecada da época e fez relativo sucesso nas locadoras de bairro aqui do Brasil e claro, quando exibido no saudoso Cine Trash da Band. E também hoje é conhecido como o “primeiro filme de Jennifer Aniston” antes de ser a Rachel de Friends ou casar com Brad Pitt. Essa vergonha ela nunca poderá apagar de seu currículo, ainda mais em tempos de torrent, filmes completos no Youtube e tudo mais.

Com um modesto orçamento de 900 mil doletas, filmado em 1991 mas lançado apenas dois anos depois, a pérola escrita e dirigida por Mark Jones, produzida pela Trimark Pictures de Mark Amin (que mais tarde se fundiria com a Lionsgate) tem no elenco além de uma Aniston na flor dos seus 24 aninhos, o anão mais famoso de Hollywood antes de Peter Dinklage: Warwick Davis, vivendo o papel do duende vilão do título. Você já deve tê-lo visto em filmes como Willow – Na Terra da Magia, ou embaixo de uma fofinha fantasia peluda como um Ewok em O Retorno de Jedi ou Caravana da Coragem.

A trama traz um espevitado e cruel duende irlandês (de onde mais ele seria?) que tem seu ouro roubado (aquele que fica no pote ao final do arco-íris, sabe?) por um espertalhão. Buscando vingança por ter sido enganado, ele vai atrás do sujeito, mata sua esposa, só que acaba se dando mal quando é aprisionado em uma caixa protegida por um trevo de quatro folhas. Ele fica trancafiado durante 10 anos, até que Tory (Aniston) e seu pai J.D. (John Sanderford) mudam-se para a residência. O local está sendo pintado e reformado pelo gostosão estilo anos 90 Nathan (Ken Olandt), o gordinho atrapalhado que lê quadrinhos e só faz gordice (mais estereótipo impossível) Ozzie (Mark Holton) e o fedelho Alex (Robert Gorman), que acidentalmente libertam o vingativo ser mitológico.

Jennifer e seus "amigos"

Jennifer e seus “amigos”

Feio de dar dó, um humor negro ácido, tiradinhas sacanas, apetite assassino e com uma tara por lustrar sapatos, o duende tentará de qualquer forma recuperar seu saco de ouro (encontrado por Ozzie e Alex) e deixará um rastro de cadáveres pelo caminho, ludibriando a todos com suas traquinagens psicóticas. Cabe a Jennifer e seus “amigos” (ah, muito boa essa!) salvar suas peles e enfrentar a criaturinha diabólica (e sua lambreta) vinda da Terra de São Patrício.

Um ponto positivo? A maquiagem aplicada em Warwick (que na verdade tem uma atuação muito boa, mesmo nunca tendo feito nenhum grande papel no cinema – RÁ) feita por Gabriel Bartalos, assistente de maquiagem de filmes comoSexta-Feira 13 – Parte 6 – Jason Vive e Do Além, e membro da equipe de Rick Baker em Gremlins 2 – A Nova Geração e de Darkman – Vingança sem Rosto de Sam Raimi. Um ponto negativo? O conjunto da obra.

E pasmem, O Duende ganhou outras CINCO continuações, incluindo uma lançada no ano passado. Ou seja, essa ode ao mau gosto durou mais de VINTE anos. Depois vai me dizer que isso é sorte de irlandês? Não assisti nenhuma das sequências antes que me perguntem. E mais, rondou durante algum tempo a ideia da Lionsgate em fazer uma refilmagem, a ser lançada em 2013. Esse pelo menos não viu o pote de ouro no final do arco-íris.

Sério, você assistir O Duende quando é criança é uma coisa. Depois de adulto, velho, barbado, sem saco, só mesmo tomando um pint de Guinness ou uma dose de Jameson para aguentar, porque olhe, é duro de engolir essa porcaria.

Um grande vilão!

Um grande vilão!

Assista ao episódio do videocast do 101 Horror Movies comentando O Duende:

Serviço de utilidade pública:

O DVD de O Duende não foi lançado no Brasil.

Download: Torrent + legenda aqui.

 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Papa Emeritus disse:

    Pior que eu não vi esse filme quando criança. Vi depois de adulto. Achei uma porcaria só o que não me deu vontade nenhuma de ver as continuações (e acredite, por pior que um filme seja, se tiver um único elemento interessante nele eu fico curioso de ver as continuações, kkkkkkkkkkkkk). Mas no caso do Duende… nhecas. Agora, eu fico me perguntando, será que podemos classificar O Duende como um Slasher Movie? Ele (o Duende) é praticamente um psicopata deformado em que as vítimas são jovens idiotas. kkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  2. Leandro disse:

    Uma porcaria total. Eu tinha em vhs até o quarto filme, e pasme, se passa no espaço. Pois é, o que é ruim, pode piorar. Abraço

  3. Tainara disse:

    Posta de novo o link está fora do ar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: