635 – Fogo no Céu (1993)

8u3yrbGGq93aSkYl6wHxvQfvrHz

Fire in the Sky

1993 / EUA / 109 min / Direção: Robert Lieberman / Roteiro: Tracy Tormé (baseado no livro de Travis Walton) / Produção: Todd Black, Joe Wizan; Nilos Rodis-Jamero, Robert Strauss, Tracy Tormé (Coprodutores); Wolfgang Glatters (Produtor Executivo) / Elenco: D.B Sweeney, Robert Patrick, Craig Sheffer, Peter Berg, Henry Thomas, Bradley Gregg, Noble Willingham

 

Existem dois acontecimentos dos anos 90 que aguçaram a minha curiosidade e interesse sobre o tema alienígenas, OVNIS, abduções e por aí vai, e me fizeram adorar a questão e hoje assistir com um sorriso no rosto as elucubrações de Giorgio A. Tsoukalos no History Channel: Arquivo X (óbvio, melhor série de todos os tempos e que ESTÁ DE VOLTA! \o/) e esse filme, Fogo no Céu.

Aliás, que MEDO DO CACETE que eu tive desse filme e de abduções alienígenas por extraterrestres famigerados que fazem experiências com humanos sequestrados por sues discos voadores. Lembro que assisti pela primeira vez a fita lá em meados dos anos 90, em alguma madrugada qualquer no SBT, e assistir numa madruga, sozinho em meu quarto, foi meu grande erro. Juro que fui fiquei com um cagaço da porra!

Talvez Fogo no Céu seja o filme definitivo sobre abduções alienígenas. Apesar da pegada calcada logicamente na ficção científica e no terror e angústia das escabrosas experiências pelas quais o personagem raptado passa, a grande tônica do longa dirigido por Robert Lieberman é o drama vivido pelas testemunhas oculares do evento, desacreditados por toda a população da pequena cidade montanhosa que vivem, investigados e acossados pela polícia, sendo suspeitos até de assassinato.

Veeeeeeeeeeeenha!

Veeeeeeeeeeeenha!

Bom, tem também o fato de que Fogo no Céu seja baseado em misteriosos fatos reais, no caso da abdução de Travis Walton no ano de 1975, quando ele ficou desaparecido durante cinco dias e o caso chamou atenção das autoridades e população local, além de jornalistas de todo o mundo. A abdução de Walton é um dos mais famosos estudos de caso da ufologia, e o livro sobre sua experiência foi publicado em 1990, servindo como base para essa produção, apesar da enorme licença poética e pitacos e pressão da Paramount Pictures.

Bom, depois de uma tarde de trabalho, Walton (D.B. Sweeney) e outros cinco amigos que cortavam árvores na floresta do Parque Nacional Apache-Stigreaves, na cidade de Snowflake, Arizona, avistam um irradiação colorida avermelhada no céu, parecendo que a floresta está pegando fogo. Ao se aproximarem, descobrem o OVNI pairando sobre a região. Walton desce da camionete, caminha em direção à luz e é atingido por um poderoso feixe, sendo derrubado. Em pânico, os demais homens, liderados por Mike Rogers (Robert Patrick) fogem às pressas, achando que o amigo está morto, mas ao voltarem 15 minutos depois, descobrem que ele desaparecera.

Então, Rogers que antes era um pilar da comunidade, pai de família, passa a ser acusado, junto com seus companheiros de trabalho, pelo desaparecimento de Walton e possível assassinato, enquanto também passa a ser ridicularizados por polícia e moradores ao manterem a versão original dos fatos: que todos viram o UFO e que Walton havia sido abduzido. No decorrer do processo da investigação, que resultou em uma crise conjugal e perda do contrato de trabalho, Rogers e os demais se vêm obrigados até a passar por um controverso teste de polígrafo, mais de uma vez, que deu como resultado que todos estavam falando a verdade.

Só observo...

Só observo…

Depois de cinco dias, entramos na segunda parte do longa quando Walton regressa, completamente perturbado, com lapsos de memória do que acontecera. O rumo da investigação passa a ser outro, quando o investigador Frank Waters (vivido pelo veterano ator James Garner) agora acredita que tudo não passou de uma armação do grupo em busca de fama ou dinheiro. A experiência recorrente nos é mostrada em forma de flashback, onde Walton se vê preso na nave e passa a ser testado e torturado por humanoides alienígenas, no único momento do filme que pende ao exagero caricato, porém de extremo impacto e aflição.

O grande problema é que acompanhamos o drama das testemunhas e principalmente de Rogers, mas quando Walton regressa e estamos curiosos em saber pelo que diabos ele passou durante a abdução, mesmo com as cenas pesadas de desespero enquanto os alienígenas enfiam brocas em seus olhos e sondas estomacais, o personagem de Walton em nenhum momento causa empatia com o público, e o desfecho em si é meio brochante, não explorando os desdobramentos seguintes e culminando em uma espécie de redenção após uma apressada elipse de tempo.

Sendo cético ou crente (Scully ou Mulder), vale dar uma conferida em Fogo no Céu, principalmente se você é daqueles fãs de filmes sobre ufos, contatos imediatos, abduções e experiências genéticas feitas por raças alienígenas superiores que vem para nosso planeta com a sádica intenção de nos botar em uma mesa gelada para vivissecção. MEDO!

Você vai sentir só uma picadinha de leve...

Você vai sentir só uma picadinha de leve…

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Fogo no Céu está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent + legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

18 Comentários

  1. Nito Franzoni disse:

    Caraca! Eu não deveria estar aqui…
    ‘Fogo no Céu’, junto com aquela maldita autópsia do ET no ‘Fantástico’, foi responsável por uma porrada de traumas. Se restava alguma dúvida da crueldade dos seres extraterrenos para com os terráqueos, ela se diluiu nas fatídicas tardes vendo ‘Cinema em Casa’, que reprisava o filme sem cortes, dó, nem piedade de seus telespectadores mais desavisados. Só a simples menção do título já traz à tona todas aquelas imagens indeléveis de experiências e torturas, evocadas sadicamente nessa resenha em plena madrugada! Deu até vontade de rever o VHS do filme que conservo até hoje, já que o dvd nunca deu as caras por aqui. Mas tá guardado numa caixa muito difícil, junto com o disco do ‘Sinais’… Deixa quieto!!!

  2. joaoprs disse:

    De todos os medos que adquiri na infância esse talvez seja o único que ainda persiste: Medo de aliens (que ficou mais “forte” depois da “Autopsia” no Fantástico). E olha que ao longo dos meus 28 anos surgiram outras coisas assustadoras como a gangue dos palhaços assassinos, as bocas de fumo e a Joelma da banda calypso.
    O que mais me causa medo é o que eu não consigo, de maneira minimamente racional, refutar (ETs e fantasmas).

    Chefe, seus textos mexem com nossos medos infantis…kkkkkkk

  3. Diego disse:

    Cara, descobri o blog por acaso tem nem um mes e ja virei um grande fã. Parabens pelo trabalho. Pude rever grandes classicos e acompanhar outros que sempre tive vontadade, mas não a oportunidade de assistir.
    Tenho uma duvida sobre um filme, se bem que eu acho q é um episodio de uma dessas séries de terror, como Alem da imaginação, contos da Cripta, não sei. Mas é sobre uma menina que vivia presa dentro de um quadro, pendurado na parede, um garotinho sempre via o quadro e reparava que a posição da menina mudava. E era possivel ouvir ela pedindo por socorro, bem baixinho. Sei que me cagava de medo disso quando pequeno.
    Parabens novamente e rumo aso 1001 filmes.

  4. oscar_b disse:

    Quando li “Existem dois acontecimentos dos anos 90 que aguçaram a minha curiosidade e interesse sobre o tema alienígenas, OVNIS, abduções e por aí vai” eu logo pensei: ET de varginha e o Chupacabra!!!

  5. Papa Emeritus disse:

    Esse filme é muito legal. Me metia medo na infância também. Agora, o que me deixa puto é vir ufólogo falando que o filme é ruim porque “distorce os fatos”. Porra, Amadeus de 1984 é um ótimo filme e distorce fatos da vida de Mozart. Pra mim o que interessa é se o filme é bom, independente do que esta ali é fiel aos fatos ou não.

  6. João Gabriel disse:

    Esse filme, junto com Intruders foram os que me deixaram intrigados com abduções e alienígenas. E claro, me abriram a mente para os filmes de terror (os quais hoje são meus favoritos). Parabéns pelo site, descobri ele a algum tempo e acompanho semanalmente para ler as críticas e baixar alguns filmes. Se algum dia precisar de ajuda com os filmes, seja em legendas ou aonde encontrá-los, só dar um grito. Valeu pelo entretenimento e pelos sustos!

    • Valeu, joão!

      Nossa, lembro de Intruders também. É um que preciso rever.

      Grande abraço e obrigado por acompanhar o blog e comentar.

      Abs

      Marcos

      • Cristiano disse:

        Realmente nos anos 90 os ets da forma como foram mostrados acabaram
        aterrorizando toda uma geração, conheço pessoas com traumas até hoje!

        Aqui você pode ver nesta palestra o professor Laércio Fonseca contar a história como realmente aconteceu

        Quem quiser baixar o filme Intruders eu upei aqui:
        http://migre.me/prJvi

        A propósito o filme Fogo no Céu foi lançado em blu-ray, vc acha na net uma versão dual audio.

  7. MATHEUS L. CARVALHO disse:

    Filme Nota 10!!!!

  8. ticoololdman disse:

    Muito bom filme!Parabéns pelo site!Pelo ótimo trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: