636 – Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira (1993)

jason-goes-to-hell-poster

Jason Goes to Hell: The Final Friday

1993 / EUA / 87 min / Direção: Adam Marcus / Roteiro: Dean Lorey, Jay Huguey / Produção: Sean S. Cunningham / Elenco: John D. LeMay, Kari Keegan, Kane Hodder, Steven Williams, Steven Culp, Erin Gray

 

Eu deveria, em forma de protesto, nem escrever nada sobre a afronta que é Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira. Mas preciso aproveitar esse espaço para conseguir achincalhar o filme de todas as formas que eu puder.

Que ele é o pior da franquia, não há discussão. Você pode vociferar quanto a ausência de Jason em Sexta-Feira 13 – Parte 5 – Um Novo Começo, a garota telecinética de Sexta-Feira 13 Parte 7 – A Matança Continua ou todos os absurdos e pataquadas do serial killer em Manhattan em Sexta-Feira 13 Parte 8 – Jason Ataca Nova York. Mas nada, absolutamente nada se compara a essa vergonhosa porcaria homérica.

Sabe na boa, o que os roteiristas (Dean Lorey e Jay Huguey, com ajudinha do diretor Adam Marcus na concepção da história), o produtor Sean S. Cunningham, que criara a série lá em Sexta-Feira 13 no ano de 1980 e os engravatados da New Line, uma vez que a Paramount vendera os direitos depois do recorrente fracasso de bilheteria de uma sequência pífia depois da outra, tinham na cabeça para escrever, produzir e lançar um material tão ruim?

To com o c* pegando fogo!

To com o c* pegando fogo!

Sério, como alguém pode pegar uma franquia slasher oitentista inteira, que tinha lá sua mitologia, e simplesmente jogar no buraco, e reinventar toda uma explicação faceira sobrenatural esdrúxula, onde o Jason de verdade é um PARASITA (???!!!) que sai da boca das pessoas e pode ser transferido de corpo, e de repente, surgem uma IRMÃ (???!!!) e SOBRINHA (???!!!), fazendo com que o vilão só pudesse de fato ser morto e renascer (???!!!) por um Voorhees? Ah, não dá né?

Primeiro que já começa ignorando DE ACORDO o final da oitava parte. Pera aí, o Jason num tinha sido derretido por lixo tóxico nos esgotos da Big Apple? Então como diabos ele aparece inteirão, com uma cabeçorra cheia de brotoejas nos cocuruto (interpretado mais uma vez por Kane Hodder), perseguindo uma garota com seu facão lá no matagal aos redores de Crystal Lake? Que na verdade é uma AGENTE DO FBI (???!!!) gostosona que foge do assassino dando piruetas, até ele cair em uma armadilha e ser fuzilado pela SWAT e depois explodido em diversas partes, mas, com um detalhe importantíssimo para a trama: seu coração mantém-se inteiro.

O médico legista ao praticar a autópsia em seus restos mortais acaba sendo, hã, seduzido (???!!!) pelo coração ainda palpitante de Jason e NHAC!, dá uma mordida, transferindo então essa força sobrenatural do assassino para ele, que sairá em uma busca insana pelos seus familiares que ainda vivem lá em Crystal Lake. Jessica Kimble (Karl Keegan) é filha de Diana (Erin Gray), atualmente garçonete AND irmã de Jason. Ela acaba sendo morta, e sobra então apenas Erin, agora casada com um apresentador de programa televisivo sobre assassinatos e investigação criminal, Steven Freeman (John D. LeMay) e seu bebê como possíveis receptáculos para a volta à vida do maníaco, ou capazes de destruí-lo.

Ops. Acho que errei de filme...

Ops. Acho que errei de filme…

Só que o único que tem o conhecimento de como finalmente mandar Jason dessa para uma melhor, e a arma certa para fazer isso, que seria uma espécie de adaga especial, é o arrogante caçador de recompensas Creighton Duke (vivido por Steven Williams, de Anjos da Lei, a série, e um dos informantes de Fox Mulder em Arquivo X, que está de volta! \o/). Então ele se junta ao ex-namorado e paixão platônica de Jessica, Robert Campbell (Steven Culp) que de um boçal loser vira um propenso Ash no decorrer da trama e dá andamento na patifaria toda.

Um único, ínfimo quesito que minimamente preste em Jason Vai Para o Inferno são os efeitos especiais e de maquiagem, assinados pela sempre fodástica K.N.B. Effects Group, do trio Kurtzman, Nicotero e Berger. Algumas mortes são realmente duca, como o sujeito derretendo no chão ou quando o Jason ataca um casal transando (ah, vá!) em uma barraca de camping e separa o cara no meio com seu facão. Mas olha, nem todas as mortes, gore ou peitinhos e bundinhas aparecendo (e também nu masculino, só para variar do sexismo gritante dos filmes slasher) poderia salvar essa tranqueira.

E nem mesmo a famigerada mãozinha do Freddy Krueger (uma vez que agora os dois movie maniacs eram propriedade da New Line) saindo debaixo da terra para arrastar a máscara de hóquei vale a pena no final de Jason Vai Para o Inferno – A Última Sexta-Feira. Na época, claro, causou um baita estardalhaço, um alvoroço, um burburinho, um frenesi, deixou os fãs em polvorosa, mas agora como já sabemos a bomba que foi Freddy vs Jason, então posso constatar que tudo foi em vão.

Jason com trombose

Jason com trombose

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent `+ legenda aqui.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

13 Comentários

  1. ramon disse:

    Além da mão de freddy Krueger, não podemos esquecer que o necronomicon de evil dead tbm aparece no filme, dentro da casa dos vorhees (não faço a menor idéia do Pq ele estaria lá, mmas,enfim)

  2. Papa Emeritus disse:

    Tem duas semanas que eu vi um mega documentário de 6 horas sobre Sexta-Feira 13 chamado “Crystal Lake Memories”. Lá mostrou como cada filme da franquia foi feito (incluindo o Remake de 2009), e o documentário é todo narrado pelo Corey Feldman (o Bocão dos Gonnies, que fez a Parte 4). Cara, daí eu vi a arrogância do diretor de “Jason Vai Pro Inferno”. Ele acredita piamente que fez um puta filme. Hahahahahaha. E detalhe, a cena da mulher sendo partida ao meio (quando tá transando) só existe numa versão director’s cut, na versão dos cinemas essa cena foi cortada. Aí eu percebi o seguinte: Sexta-Feira 13 parte 5 não tem o Jason como assassino (ele só aparece no sonho do Tommy), mas tem mortes legais. Sexta-Feira 13 parte 7 tem o lance da garota paranormal (a Tina) mas tem o melhor visual do Jason e o filme foi MUTILADO na censura conforme o documentário fala (tinha cenas bem gore que foram cortadas), o que deixaria o filme muito melhor. Sexta-Feira 13 parte 8 é broxante em sua proposta, mas ainda contém a cena da “luta de boxe” no telhado de um prédio, cena muito legal. Jason X é uma pataquada, mas eu encaro ele quase como auto-paródia pois você percebe que o filme não se leva a sério. Agora, Jason Vai Pro Inferno, não tem absolutamente nada que se salve, exceto essa cena da garota sendo cortada ao meio e o cara derretendo, mas ainda assim é muito pouco. Aliás, recomendo esse documentário, é muito interessante.

  3. Filipe Roque disse:

    Me julgue,mas eu posso tirar uma coisinhas boas desse filme.Não estou dizendo,que é bom,é sim o mais fraco da franquia,mas por outro lado,foi o primeiro que teve uma história mais desenvolvida (O grande problema é que a história é absurda e ignora tudo que aconteceu no filmes anteriores),as cenas de ação,tem (Poucas) boas ideias (Será que só eu gosto da trama envolvendo a família Vorhees? Essa é uma boa ideia que foi desperdiçada,já que os filmes quase sempre ignoram o passado do Jason e se focam nas matanças,além de envolverem Evil ) e ainda deixa uma ponta pro Freddy x Jason (Pode falar mal o quanto quiser,mas esse é um dos filmes mais divertidos das duas franquias).
    Eu sei que Sexta-Feira 13 já cometeu vários erros e posso até o apontar o porque de ter dado errado:
    Falso Jason (Roy Burns) na Parte 5: Outra ideia interessante (A do copycat killer),mas foi muito,mas muito mal construída.Colocar o Tommy virando psicopata não foi tão ruim,mas nem tentam enganar o espectador (Ou apenas deixá-lo tentando resolver o quebra-cabeça de quem está matando no lugar do Jason).Já entregam de cara que era o paramédico,mas ele aparece tão pouco que ninguém sequer lembra dele.Podiam ter feito um mistério mais desenvolvido,explorando mais os personagens…Mas não! O filme foca em mortes a cada 7 minutos e o final é frustrante.
    Garota médium (Tina) na Parte 7: Novamente,uma ideia interessante,mas desta vez frustrada pela censura e pela enrolação.Sexta-Feira 13 compartilha o mesmo universo de Evil Dead e A Hora do Pesadelo,então uma paranormal não me parece algo tão absurdo assim.Mas o filme foca demais no draminha dela.Se pelo menos tentassem criar algum sentimento real…Mas é tão clichê,arrastado e artificial que chega a dar sono.E também, tem o Jason,que aqui parece não ter nada a ver com a trama,só está lá pra fazer suas mortes habituais (Que foram censuradas,também tem esse detalhe.Mas pelo menos tem um visual bacana).
    Jason em Manhattan na Parte 8: Desta vez não vou defender a ideia,mas digo que se fosse feita direito,teria rendido um filme mais divertido.Poha,o Jason ir pra Nova York é absurdo e acaba com clima de terror da série.Mas repito: Poderia ter saído algo bacana daí! Então vou simplesmente vou falar o que todo mundo já sabe: O problema do filme é ter o Jason em um barco durante a maior parte do filme.Propaganda enganosa,apenas isso.
    E Freddy x Jason é divertido pra carai.
    Eu,que pretendo me tornar roteirista,faria um trabalho bem melhor (Sem querer desmerecer a série) usando umas ideias mal-aproveitadas dos filmes aqui e ali.Como também já li os quadrinhos de Sexta-Feira 13 (Que são bem interessantes,principamlente os da WildStorm).Quem sabe eu torno minhas ideias em fanfic um dia desses…

  4. luiz beagle disse:

    o horror o horror,esse é indefensável

  5. Elias Pacheco disse:

    Hahaha… Eu gosto desse filme. Acho um dos melhores da série, juntamente com o Jason X e talvez o terceiro filme. Vai ver que é por eu não ser tão fã de slasher movies. Gostei justamente da avacalhação que Jason vai para o Inferno representou, muito mais que a sexta parte (que acaba sendo um quase besteirolzinho). A gente sabe que a partir de certo ponto todas as continuações são desnecessárias e não convencem, mesmo. A palhaçada que foi esse filme o torna, pra mim, um belo exemplo de trash.
    Ainda assim, eu daria nota três estrelas em cinco pra ele (não tenho a série em grande consideração, já dá pra ver) porque a avacalhação ainda poderia ter sido maior, o fator “exploitation” poderia ter sido maior. Isso aí tinha potencial pra ser um road movie bagaceira e gore.

  6. MATHEUS L. CARVALHO disse:

    Bem, 101 Horror Movies, eu acho que, depois da Parte 4, essa é a única continuação que presta.
    Vou explicar: as Partes 2, 3 e 4 são ótimas, inclusive, eu acho que a série deveria ter acabado mesmo no chamado “Capítulo Final”, subtítulo do 4º filme. Mas, sabemos que a coisa não foi por aí… A Parte 5 é um lixo, a 6 é interessante, a 7, foi um exagero, e a 8, tem seus atrativos…
    Mas, na minha opinião, esta é a única continuação que se salva. É uma história absurda, verdade, mas, tem seus agrados.
    Para terem uma idéia, aluguei esse filme em VHS há muitos anos, mas, me assustou tanto, que devolvi na locadora no dia seguinte – o mesmo que aconteceu com o primeiro EVIL DEAD.
    Mas, vendo o filme hoje, percebo que julguei-o mal e até gosto dele.
    E a mão de Freddy… acho que não precisava… E se repararem, encontrarão o Necronomicon do primeiro EVIL DEAD em uma cena, só não lembro qual, mas, me recordo de ver o Livro dos Mortos no filme. Agora, o que ele estava fazendo… não sei…
    A tirada da agada… não precisava mesmo, nem essa de que um Voorhees pode matar Jason…
    Bom, eu gosto de JASON VAI PARA O INFERNO.
    Desculpem a sinceridade. Adoro seu blog, me divirto pra caramba com seus vídeocasts… Mandarei sugestões.
    Abraços.

  7. Cinéfilo disse:

    Daria 2 estrelas, pelos efeitos e algumas poucas idéias, só. Tirando tudo de ruim que já foi bem apontado na crítica, acho o visual, mais deformado e inchado do que nunca, coerente, a contar pela trajetória do monstrengo. A ideia do cerco dos federais a cristal lake foi um acerto, afinal, depois de tanto tempo, cadáveres e histórias, tava ficando estranho apenas tiras caipiras darem as caras para morrer em seguida.
    A ideia do parasita, apesar de inusitada, poderia render sim se os roteiristas tivessem a dignidade de desenvolvê-la melhor, já que algo deveria ter acontecido ao jovem Jason no lago além de um mero “afogamento” para explicar sua imortalidade.
    De resto, o filme foi um lixo mesmo.

  8. Jorge André disse:

    Esse filme é tão ruim que eu tive que assisti-lo até o final. Mas tem sim seus (poucos) méritos, sobretudo no visual.
    Adorei a mãozinha do Freddy no final, e sim, amo Freddy vs Jason, é um filme extremamente divertido, respeita as duas franquias e tem ótimas lutas e mortes.
    Outra curiosa homenagem desse filme é para a franquia Halloween, na cena em que a protagonista diz:
    -Vi Steven em Lake Road!
    -Onde em Lake Road?-policial
    -Passando a casa dos Myers!
    Muito bacana

  9. […] cinesérie que realmente achavam que estava arrasando, como as partes 5, 7, 8 e claro, o infame Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira, aquele que ganha o troféu abacaxi com […]

  10. 150689ecn disse:

    Eu ri muito com o teu comentário sobre o filme e você tem toda razão. Lembro-me que vi essa merda quando criança e me perguntava na época: “Por que o médico comeu o coração do Jason?”, “Por que o Jason troca de corpo?” além de não entender o motivo daquelas bolas na cabeça dele. Mas, felizmente, você respondeu à pergunta: o cara foi “seduzido” pelo coração. HAHAHHAHAHAHAHAHAHAH, óbvio, como não pensei nisso.
    Claro, na época eu tinha 12 anos e tinha essas dúvidas querendo buscar alguma coerência na trama.
    Mas, se é algo que eu sempre vou gostar é da franquia Sexta-Feira 13; desde os meus 6 anos assisto à franquia e eu devo ser a única criatura do mundo que gosta da parte VIII, kkk.
    Conheci esse blog há pouco tempo, estou gostando e vim dar um “oi” e é sempre bom ler outras opiniões, é divertido e gera reflexões.
    Abs

  11. Braiam Caratti disse:

    O terceiro melhor da série! E o primeiro que vi em VHS. Muito fodão esse filme. Um dos melhores dos anos 90!

  12. Erisson disse:

    Não lembro qual foi o primeiro filme do Jason que assisti, só lembro que aos 7/8 anos passava todo sábado a noite na rede tv, filmes de teror e sempre exibiam os filmes do Jason.
    Esse Jason vai para… eu lembro que assisti em vhs e em 2002 eu mudar pro canal max prime e tá sendo exibido num sábado/domingo a tarde!
    Sempre gostei dessa cena das garras do Freddy no final!

    Descobri hoje esse blog e gostei bastante, vou procurar ler todas as resenhas que me interessarem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: