688 – Halloween H20 – 20 Anos Depois (1998)

HALLOWEEN-H2O-poster

Halloween H20: 20 Years Later

1998 / EUA / 86 min / Direção: Steve Miner / Roteiro: Robert Zappia, Matt Greenberg / Produção: Paul Freeman; Malek Akkad (Produtor Associado); Bob Weinstein, Harvey Wenstein, Kevin Williamson (Coprodutores Executivos); Moustapha Akkad (Produtor Executivo) / Elenco: Jamie Lee Curtis, Adam Arkin, Michelle Williams, Adam Hann-Byrd, Lodi Lyn O’Keefe, Janet Leigh, Josh Hartnet, LL Cool J, Joseph Gordon-Levitt

 

Lá nos idos de 1978, John Carpenter lançava seu seminal Halloween – A Noite do Terror, onde introduziu no cânone do cinema de terror o serial killer Michael Myers e ditaria as regras dos slasher movies dali para frente. Do começo dos anos 80 até meados dos anos 90, o subgênero de assassinos perseguindo adolescentes invadiu as salas de cinema, franquias foram estabelecidas e histórias recauchutadas à exaustão, até a perda completa de interesse de público.

Foi somente em 1996 que Wes Craven, que já havia criado a cinesérie A Hora do Pesadelo e concebido Freddy Krueger, um dos “filhos” de Myers, que os slashers ressurgiram e uma nova leva de filmes foi produzida, dessa vez muito mais asséptica, com tramas até mais envoltas em suspense e investigações particulares dos adolescentes em questão, em detrimento do banho de sangue, alta contagem de cadáveres e nudez de seus antecessores. Com o subgênero rendendo grana fácil aos seus produtores, Moustapha Akkad e os irmãos Weisntein resolveram que era hora de trazer Michael Myers de volta à ativa e celebrar os 20 anos de lançamento do original.

Assim surgiu Halloween H20 – Vinte Anos Depois, que tem três brutais pontos de superioridade com relação a todos os seus irmãos slasher 2.0 da época. O primeiro é Michael Myers, que dispensa apresentações e é querido por 11 a cada 10 fãs do horror. O segundo é a volta de Jamie Lee Curtis, a eterna Laurie Strode, a Scream Queen original. O terceiro é que eles resolveram simplesmente ignorar toda a pataquada de Halloween 4: O Retorno de Michael Myers para frente e suas pavorosas duas continuações, como se nunca tivessem existido, e a trajetória de assassinatos do psicopata na pequena cidade de Haddonfield tivesse se encerrado em Halloween 2 – O Pesadelo Continua.

Decisão acertadíssima por sinal! O roteiro original escrito por Robert Zappia passou por um tratamento não creditado adivinha por quem? Kevin Williamson, o cara que escreveu Pânico, Pânico 2 a Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado e estava na crista da onda no momento. Apesar de sua versão não ter sido usada por inteiro (tanto que ele foi creditado apenas como Coprodutor Executivo), fica claro ali a mão de Williamson em ajudar a rejuvenescer a franquia Halloween e aproximá-la de um novo público, acostumado agora com o padrão criado por ele mesmo e Craven ao meter uma faca na mão do Ghostface, dois anos antes.

Sangue do meu sangue!

Sangue do meu sangue!

Para a direção, outro veterano do gênero, Steve Miner, que dirigira Sexta-Feira 13: Parte 2 e Sexta-Feira 13 – Parte 3, ou seja, manja dos paranauê dos slasher. Isso e a volta de Curtis, quarentona revivendo a sua personagem mais famosa, Laurie, a infeliz irmã de Myers, ajudou também a trazer de volta os velhos fãs da franquia e os saudosistas de plantão. A receita de bolo estava prontíssima. Resultado: 55 milhões de dólares de bilheteria nos EUA (sendo 16 milhões só no final de semana de abertura, praticamente já se pagando), tornando-se até então a maior arrecadação da cinesérie, e depois mais 21 milhões no mercado de home vídeo. Sucesso absoluto, certo?

E olhe, H20 é um bom filme. Além de ser o único que preste desde o longínquo ano de 1981 quando a sequência entrou em cartaz. Presta todas as devidas homenagens ao original, diverte na medida, tem lá suas boas doses de suspense e sangue e tudo ocorre de forma redonda, correta, sem inventar moda, o que foi o grande pecado da quarta-parte para frente e toda aquela baboseira de runas, maldições celtas, sociedades secretas, manipulações genéticas e por aí vai. Não vamos entrar no mérito do enfermeiro indestrutível aqui.

A trama é simples: Laurie Strode envelheceu, mudou de nome, tentou deixar o pesadelo que passou nas mãos de seu irmãozinho querido para trás, mesmo sem nunca ter se recuperado inteiramente do trauma, ainda mais quando o Dia das Bruxas se aproxima, tornou-se um alcoólatra controlada (se é que isso existe), virou diretora de um internato e teve um filho, John, debute de Josh Hartnet no cinema. O corpo de Myers nunca fora encontrado após o incêndio no hospital de Haddonfield há 20 anos, e adivinha então quem vem para o Halloween?

Mr. Chandler e Marilyn!

Mr. Chandler e Marilyn!

O filho pródigo a casa torna após descobrir o paradeiro de sua mana ao invadir a casa de uma antiga enfermeira assistente do Dr. Sam Loomis (Donald Pleasence morrera durante as filmagens de Halloween 6 – A Última Vingança e não pode retornar aqui para reprisar o papel) e assassinar um pivete Joseph Gordon-Levitt com um patim de hóquei enterrado na fuça. Aliás, o legal de ver esses slashers 2.0 do final dos anos 90 é ver a cacetada de bons atores que eles revelaram. Sabe quem faz o papel da namoradinha do Josh Hartnet? Michelle Williams, ex-Sra Heath Ledger e quer seria indicada a três Oscars® futuramente e ganhadora de um Globo de Ouro.

Tá legal, o filme é cheio de clichês, mas qual slasher movie não é? E é muito bom ver Michael Myers de volta em sua melhor forma, caçando Jamie Lee Curtis, agora uma senhora muita mais badass do que a “adolescente” que só corria, chorava e gritava, e presta uma bela homenagem ao trabalho imprescindível que o João Carpinteiro fez para o gênero criando um personagem tão icônico.

Halloween H20 – Vinte Anos Depois funciona muito bem naquilo que propõe e ponto, e enterra os pecados cometidos nos últimos três filmes da série, sem contar o polêmico Halloween III: A Noite das Bruxas. Pena que a falta de escrúpulos não o fez parar por aí e depois um desastroso Halloween – Ressurreição fora lançado quatro anos depois. Isso sem querer citar um tal de Rob Zombie…

Bro?

Bro?

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Halloween H20: 20 Anos Depois está atualmente fora de catálogo.

Download: Torrent + legenda aqui

 

 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Leonardo disse:

    Mais um que vi no cinema, assim como quase todos os “terror teen” da época. Acho mais certo chamar assim do que de Slasher 2.0, pois essa onda também engloba filmes como Prova Final, do Robert Rodriguez, Comportamento Suspeito, Tentação Fatal, que foi a estreia na direção do Williamson e por aí vai. Gosto muito do filme, tem um suspense ótimo, gosto dessa idéia de poucos assassinatos e mais foco no suspense. Jamie Lee Curtis fodona e temos algumas referências à Psicose e à Pânico ao longo do filme. Inclusive até utilizam a mesma score do filme de Wes Craven em algumas cenas. Michelle Williams vinda diretamente do seriado Dawson’s Creek de Kevin Williamson.

  2. Papa Emeritus disse:

    Vi no cinema. E gostei do filme. Acho que se pegarmos o 1, o 2 e o H20 temos uma ótima trilogia de Halloween. Pena que na verdade não é uma trilogia, pois temos o 3, o 4, o 5, o 6, o Resurrection, e os 2 abortos cometidos pelo Rob Zombie.

  3. […] atrás das câmeras, que já dirigira Sexta-Feira 13: Parte 2, Sexta-Feira 13 – Parte 3 e Halloween H20 – 20 Anos Depois, então é um sujeito que manja do riscado, Pânico no Lago entretém na medida, com atuações bem […]

  4. Diego disse:

    Só eu que achei esse filme ruim? Talvez por causa dos dois primeiros serem ótimos e eu ter visto quase todos os filmes “Halloween” esse ano. Acho que me faltam só o 5 e o “Ressurreição”.

    • Ahhhh pode ser Diego… Realmente ver toda a franquia Halloween atualmente e numa tomada só, pode não ser tão interessante quanto ter visto os dois primeiros e só muito tempo depois o H20…

  5. […] o roteiro de seus variados derivados, como Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado, Halloween H20 – Vinte Anos Depois e Prova Final, entre […]

  6. […] – A Noite do Terror e Halloween 2 – O Pesadelo Continua), Myers voltou à ativa no decente Halloween H20 – 20 Anos Depois, cuja ideia era exatamente resgatar a personagem de Jamie Lee Curtis, a eterna Laurie Strode, e […]

  7. Esse é o último capítulo da franquia, sem dúvida!
    Michael Myers morreu decaptado! Pronto, fim de papo.
    Os primeiros vinte minutos da Parte 8 deveriam ser suficientes. Mas, não foi assim…
    Ótimo filme.

  8. Dave Santos disse:

    Fiquei bem feliz com este filme!!

    Se toda série tivesse um fim digno como este…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: