71 – O Monstro do Mar (1953)

beast_from_20000_fathoms_poster_02


The Beast from 20,000 Fathoms


1953 / EUA / P&B / 80 min / Direção: Eugène Lourié / Roteiro: Lou Morheim, Fred Freiberger (baseado na obra de Ray Bradbury) / Produção: Jack Dietz; Bernard W. Burton, Hal E. Chester (co-produção) / Elenco: Paul Christian, Paula Raymond, Cecil Kellaway, Kenneth Tobey, Donald Woods, Lee Van Cleef


 

O Monstro do Mar é uma espécie de divisor de águas no cinema de terror e sci-fi da década de 50. Foi um marco, pois a sua estética de criatura gigante que é acordada pelos efeitos de testes nucleares e resolve sair por aí destruindo navios e cidades costeiras, seria depois copiada à exaustão.

E olhem só, O Monstro do Mar, que é um filme obscuro e pouco conhecido, foi lançado dois anos antes do mais famoso lagartão pré-histórico do mundo detonar com Tóquio. Até o über clássico Godzilla foi influenciado pelo que foi realizado anteriormente em O Monstro do Mar.

Utilizando técnica de stop motion criada por Ray Harryhausen, misturada com sobreposição de imagens e maquetes, esse filme do russo radicado francês Eugènie Louiré, traz como vilão animalesco um Rhedossauro, réptil pré-histórico que estava congelado no ártico, tataravô do Tiranossauro, que é acordado de seu sono de 100 milhões de anos por testes nucleares (sempre eles) realizado pelos militares na região polar.

O cientista Prof. Tom Nesbitt (Paul Hubschmid) foi a única testemunha viva que viu o dinossauro andando pelas geleiras, antes de ser atingido. Mas claro que ninguém vai acreditar na história dele, achando que na verdade ele está perdendo a razão. Inclusive o Coronel Jack Evans (Kenneth Tobey). Mas quando uma onda de ataques a navios, faróis e cidades costeiras começam a pipocar, com a ajuda do paleontólogo Prof. Thrugood Elson e sua assistente Lee Hunter, eles descobrem a origem do animal e mobilizam todo o exército e marinha para tentar caçar a criatura.

The beast will tear the city apart, again

The beast will tear the city apart, again

Até que navegando pelas águas do sul seguindo a corrente do ártico, o Rhedossauro chega até Nova Iorque, saindo do mar para dar um rolê pela Big Apple destruíndo tudo por onde passa e devorando um humano aqui e ali. E voltando a Godzilla, veja você como Roland Emmerich é um dos piores diretores do mundo, pois sua refilmagem do clássico monstro japonês aterrorizando NY em 1998, é praticamente uma cópia atualizada de O Monstro do Mar na verdade.

O grande problema é que o sangue do dinossauro é tóxico, e assim quando ele é ferido libera uma toxina mortal para os humanos. Então Nebbit junto do soldado Stone (interpretado por um novato Lee Van Cleef) encurralam o monstrengão na montanha-russa de um parque de diversões e utilizando uma roupa contra radiação, por fim, dão um jeito na criatura de uma vez por todas.

Não confunda O Monstro do Mar com outro filme que ganhou um nome parecidíssimo aqui no Brasil (e ambos anos luz de distância de seus incríveis títulos originais), O Monstro do Mar Revolto. Ainda mais por que Ray Harryhausen foi o responsável pelos efeitos especiais dos dois filmes (sendo o segundo muito mais famoso) e o ator Kenneth Tobey também fez um papel de milico em ambos.

Com todos os aspectos dos filmes B da época, O Monstro do Mar teve um orçamento baixíssimo, de 200 mil dólares e foi um sucesso de bilheteria, rendendo cinco milhões do dólares. Acabou sendo esquecido pelo tempo, mas tem todo um valor cultural que influenciou pencas de filmes posteriormente.

Sangue no farol

Sangue no farol



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. […] como O Monstro do Mundo Proibido (que é a versão original do filme de gorila Poderoso Joe) e O Monstro do Mar (outro título original incrível: The Beast from 20,000 Fathons) Ele é o responsável pelo polvo […]

  2. Diego disse:

    o link pra download não funciona. conserta, please!

  3. Diego Souza disse:

    Tem legenda no formato SRT?

  4. Diego Souza disse:

    Baixei através desse link e deu certo. Tá no formato “ASS”. Só não gostei da fonte, que tá enorme e não sei como faço para diminuir. Mas valeu assim mesmo, dá para assistir numa boa. Abraço.

  5. […] por Ray Harryhausen), possui pôsteres no seu quarto de filmes como A Maldição da Aranha e O Monstro do Mar e lista entre seus preferidos Frankenstein, O Templo do Pavor, O Monstro do Ártico e O Terror que […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *