712 – Possuída (2000)

uploads_d4c488cb-55a6-4b14-9397-4cb1114482dd-5y3unrwngp8pgams5heudubhshl

Ginger Snaps

2000 / Canadá, EUA / 108 min / Direção: John Fawcett / Roteiro: Karen Walton / Produção: Karen Lee Hall, Steve Hoban; Tina Goldlist (Produtora Associada); Dan Lyon, Alicia Reilly Larson, Noah Segal (Produtores Executivos) / Elenco: Emily Perkins, Katherine Isabelle, Kris Lemche, Mimi Rogers, Jesse Moss, Danielle Hampton

 

Olhe, eu não tenho lá muita propriedade para escrever sobre os subtextos de Possuída, simplesmente pelo fato de ser homem, nunca ter sido uma garota adolescente e não ter passado pelos problemas e revelações da menstruação, começar a virar uma “mocinha” e a amizade fraternal entre irmãs.

Mas o que eu posso dizer com toda certeza é que a nada usual produção canadense é excelente, mistura perfeita de terror, comédia de humor negro e dramas existenciais adolescentes e familiares, um dos melhores exemplares de filmes de lobisomem da década passada e um dos que receberam um dos tratamentos mais lixos aqui nesse nosso Brasil varonil, tendo um lançamento porco e limitadíssimo, além de ganhar um título absolutamente nada a ver, afinal, NINGUÉM FICA POSSUÍDO NESSA BAGACA!

Nossas protagonistas são as duas irmãs adolescentes trevosas maníacas-depressivas com tendência suicidas, apreço pela morte e sem qualquer traquejo social ou popularidade na escola, Gigner (Katherine Isabelle) e Brigitte (Emily Perkins). Ambas vivem em um tedioso subúrbio canadense onde vez ou outra, cachorros aparecem mutilados sem explicação.

Certa noite, as duas resolvem pregar uma peça em uma das garotas do colégio que praticava bullying com elas, e durante a peripécia acontece a primeira menstruação de Ginger, que acaba por atrair uma criatura lupina, o verdadeiro devorador dos cães das redondezas, que ataca a menina (em uma cena que lembra muito Um Lobisomem Americano em Londres). Por sobreviver ao ataque, obviamente ela ficará amaldiçoada e se transformará em um licantropo.

Idade da loba

Idade da loba

Diferente da convenção normal dos filmes de lobisomem, em Possuída a licantropoia é infectável por um vírus e transmitida por contato sanguíneo (e pode até ser transmitido por relações sexuais, como uma DST, mais outro subtexto adolescente aí). E todas as mudanças de comportamento em Ginger acontecem concomitantemente com sua chegada a puberdade. Não bastasse a loucura dos hormônios adolescentes femininos descontrolados, há também hormônios de lobo no organismo da garota. PENSE no martírio da coitada!

Além de um comportamento violento, crescimento do apetite sexual e hostilidade, a moçoila passa a sofrer uma transformação física, com o crescimento de pelos, caninos e… uma cauda! Cabe então a Brigitte, a qual era unha e carne e é jogada para escanteio pela irmã metamorfa, ajuda-la tanto em esconder os corpos que ela vai deixando pelo caminho, assim como, com o auxílio de Sam (Kris Lemche), o dealerzinho do colégio, tentar encontrar uma cura para a licantropia, nesse caso, farmacológica, por meio de uma solução feita com uma planta chamada acônito, ou a famosa mata-lobo.

Mais importante que tudo isso, é o fato de Possuída ajudar um subgênero tão combalido, como de lobisomens, que apenas vez ou outra surge uma produção decente, e também fugir dos padrões do cinema de terror adolescente que vinha sendo feito naqueles finais dos anos 90 e começo de 2000, todos crias do Pânico de Wes Craven (RIP, mestre!). Isso além do esperto roteiro que claro, fora escrito por uma mulher, Karen Welton, pois o potencial para dar merda se fosse um machão o escriba, seria alto. Outro ponto interessantíssimo é a boa presença de gore e também os efeitos visuais tradicionais (o diretor John Fawcett se recusou ao usar CGI), ao bom e velho estilo de maquiagens e prótéticos de nomes como Rick Baker e Rob Bottin, somado a criatividade oriunda do parco orçamento de cinco milhões de dólares.

Possuída é um filme obscuro que fez bastante sucesso em sua terra natal, arrancando elogios em festivais e até do compatriota David Cronnenberg, gerando mais duas continuações. Aqui ganhou uma atenção de merda e poucas pessoas tiveram o prazer de assisti-lo (e se serve de consolo, nem teve lançamento oficial no Reino Unido, aqui pelo menos saiu em DVD pela Imagem Filmes). Ainda bem que a Internet tá aí para retificar esse erro.

Lobismuié

Lobismuié

Serviço de utilidade pública:

O DVD de Possuída está atualmente fora de catálogo.


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Matheus L. CARVALHO disse:

    Não tem link pra fazer download.

  2. Leandro disse:

    Filmaço! Me surpreendeu quando vi, pois não esperava nada. Tenho em vhs, já que o dvd está em falta há anos.

  3. alucardcorner disse:

    Muito bom filme, e a Katherine Isabelle cresceu.. muito bem.. ;DDD

  4. Papa Emeritus disse:

    Um dos melhores filmes de Lobisomem que já vi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: