80 – O Monstro do Mar Revolto (1955)

it_came_from_beneath_the_sea_xlg


It Came from Beneath the Sea


1955 / EUA / P&B / 79 min / Direção: Robert Gordon / Roteiro: George Worthing Yales, Hal Smith / Produção: Charles H. Schneer; Sam Katzman (Produtor Executivo) / Elenco: Kenneth Tobey, Faith Domergue, Donald Curtis, Ian Keith, Dean Maddox Jr.


 

Uma das coisas mais legais dos filmes B dos anos 50 são seus títulos. Depois de It Came from Outer Space, que aqui ganhou o título de A Ameaça que Veio do Espaço, agora temos o It Came from Beneath the Sea, que no Brasil foi traduzido com um título tão fantástico quando o original: O Monstro do Mar Revolto.

Fale se não enche a boca de se falar O Monstro do Mar Revolto? Tem um puta impacto! Mas enfim, deixando minhas divagações sobe nomes de filmes à parte, temos aqui mais um famoso exemplar do cinema sci-fi da década de 50, que traz como vilão uma terrível criatura radioativa, reflexo do medo pós-moderno (daquela época) da era atômica. E dessa vez, o bicho escolhido é um polvo.

Talvez em algum momento da sua vida, você já deve ter visto alguma cena desse filme em algum lugar, muito provavelmente sendo exibida em outro filme. Principalmente a cena em que um polvo gigantesco de massinha está com seus tentáculos enrolados na Golden Gate em São Francisco. Essa é a cena mais antológica de O Monstro do Mar Revolto.

Mega tentáculo

Mega tentáculo

Bom, a explicação para um molusco dessa magnitude fica na conta dos testes nucleares com bombas H realizados no pacífico, mais precisamente próximo das Ilhas Marshall, que despertaram o polvo que vivia nas fossas abissais e transformaram-no em uma criatura gigantesca e radioativa, que teve que emergir para a superfície já que, segundo a explicação científica do filme, os peixes, sua refeição natural, possuem uma espécie de contador Geiger interno, e com isso conseguiam detectar a presença do predador radioativo e escapar da morte certa. Com fome, sobrou para os humanos entrarem na cadeia alimentar do cefalópode.

Bom, no começo do filme somos apresentados ao Comodoro Pete Mathews (Kenneth Tobey), que em seu submarino nuclear navegando nas costas do Pacífico, tem o veículo atacado pelo polvo. Sem saber o que os atingiu, eles levam uma amostra da criatura que ficou presa no submarino para os experts em biologia marinha, o Dr. John Carter (Donald Curtis) e a independente, segura e bela Prof.ª Lesley Joyce (Faith Domergue) estudarem o material, e depois de semanas e semanas enfurnados no laboratório, deduzirem que foi realmente um polvo gigante que os atacou.

Claro que os dois vão virar motivo de chacota da Marinha, exceto por Pete Mathews, que fica perdidamente apaixonado por Lesley. Só que contrariando o estereótipo da mulher servil dos anos 50, Lesley é bocuda, independente e coloca em primeiro lugar sua carreira, não sendo submissa a nenhum homem e não pretendendo deixar de lado sua vida e futuro por um marido. Inclusive ao questionar o Dr. Carter sobre isso, Mathews fica atônito com esse “novo tipo de mulher”, segundo o cientista define.

Chame o capitão Nemo!

Chame o capitão Nemo!

Enfim, a Marinha só vai acreditar neles quando um navio é atacado pelo terríveis tentáculos do polvo gigante e os testemunhos da tripulação que escapou com vida corroborarem com a tese do molusco titã. Até que em um acesso de fúria, o monstro passa a atacar a baía de São Francisco, espalhando o caos e destruindo a cidade com seus longilíneos tentáculos e claro, despedaçar a Golden Gate, na cena já citada acima.

Óbvio que o visual do monstro é divertidíssimo. Criado pelo mago Ray Harryhausen, especialista na arte do stop-motion, que tem em seu currículo filmes como O Monstro do Mundo Proibido (que é a versão original do filme de gorila Poderoso Joe) e O Monstro do Mar (outro título original incrível: The Beast from 20,000 Fathons) Ele é o responsável pelo polvo de massinha com seis tentáculos (isso, são seis, porque por problemas de orçamentos típicos dos filmes B, ele teve de ter dois tentáculos a menos do que qualquer octópode normal). Depois, as cenas em stop-motion foram jogadas em sobreposição com as cenas da cidade ou da praia, além da utilização de maquetes. Uma pena só o polvo não usar uma de suas armas mais mortais da natureza: o seu jato de tinta naquim. Mas enfim (até rimou).

O Monstro do Mar Revolto é uma daquelas fitas imperdíveis para quem é fanático pelos filmes de monstro que literalmente invadiram o cinema de terror e ficção científica dos anos 50. Impossível passar incólume sem um sorriso no rosto quando se vê o cefalópode gigante aterrorizando tanto o mar quanto a terra. Trash de primeira classe.

Polvo aleijado

Polvo aleijado



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. […] filmes B realizados durante os anos 50 pela produtora Clover para a Columbia Pictures, entre eles O Monstro do Mar Revolto, O Ataque vem do Polo (sem dúvida o pior filme de monstro gigante de todos os tempos), O Cadáver […]

  2. […] responsável por filmes de baixo orçamento para a Columbia Pictures, como O Lobisomem já citado e O Monstro do Mar Revolto. Fred F. Sears, diretor desta pérola, foi indicado para Katzman como um jovem cineasta que estava […]

  3. […] por alguns filmes trashes da década de 50 dignos de nota (entenda isso como quiser), como O Monstro do Mar Revolto, O Lobisomem (que foi lançado em sessão dupla com Os Zumbis de Mora Tau) e O Ataque vem do Polo. […]

  4. Brother o Link do Torrent está errado… esta com o lindo do filme “Guerra Entre Planetas”!

    Espero que concerte logo! estou muito afim de adquirir este filme!
    Uma abração e continua com esse blog Classe A! ;D

  5. Nossa Meu! Muito Obrigado! Estava atrás deste Filme há um tempão… Amei o seu acervo… está de parabéns aew! eu tinha um Blog de Filmes assim… mais morreu por causa do Megaupload.. perdi todos os meus post…
    dá uma conferida… é uma parodia do Plano 9 do Espaço Sideral http://blog9doespacosideral.blogspot.com.br/

    Mais fiquei feliz ao ver o seu acervo! continue assim! virei fã!

  6. […] aqui no Brasil (e ambos anos luz de distância de seus incríveis títulos originais), O Monstro do Mar Revolto. Ainda mais por que Ray Harryhausen foi o responsável pelos efeitos especiais dos dois filmes […]

  7. […] de borracha do bicho, ou o animal de massinha de apenas seis tentáculos de Ray Harryhausen em O Monstro do Mar Revolto, produzido por Sam Katzman (já que estamos falando de picaretas […]

  8. Matheus L. Carvalho disse:

    Legal.
    Uma observação: O Polvo tinha seis tentáculos para facilitar o processo de animação.

  9. Ítalo Cirne disse:

    O filme que aparece cenas desse filme numa televisao é o Godzilla de 1998.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *