819 – Atividade Paranormal (2007)

Paranormal Activity


2007 / EUA / 86 min / Direção: Oren Peli / Roteiro: Oren Peli / Produção: Jason Blum e Oren Peli, Amir Zbeda (Produtor Associado), Produtor Executivo (Steven Schneider) / Elenco: Katie Featherston, Micah Sloat, Mark Fredrichs


Apesar de ter sido lançado comercialmente nos cinemas em 2009, Atividade Paranormal foi produzido em 2007 e o diretor e roteirista israelense Oren Peli vinha exibindo-o em festivais e sessões da meia-noite desde então, além de entregar DVDs para amigos e distribuidoras sem obter muito sucesso em sua empreitada, apesar de ter agradado os fãs do gênero.

Porém só quando ele recebeu a devida importância, dinheiro, e a máquina comprossora de marketing da indústria Hollywoodiana, além de uma forcinha de ninguém menos que Steven Spielberg, que o filme virou um dos maiores fenômenos de bilheteria do final do século passado. Um desses DVDs “demo” foi parar na mão de executivos da Dreamworks em 2008, que prontamente foi entregue a Spielberg, que segundo reza a lenda, não conseguiu dormir à noite quando o assistiu pela primeira vez.

Produzido com supostos 15 mil dólares, rodado na própria casa do diretor, com um roteiro extremamente simples e com toda aquela estética mockumentary para dribrlar possíveis problemas de orçamento, Spielberg comprou os direitos do filme por 300 mil dólares e decidiu mexer algumas coisas na fita original, reeditnado-a, adicionando novas cenas, invertendo sequências e criando um novo e mais apelativo final. Como a Dreamworks foi comprada pela Paramount, o lançamento do filme acabou sendo adiado. Foi aí que começou o burburinho pela Internet e pelas redes sociais, algo extremamente parecido com o que havia acontecido com A Bruxa de Blair há exatos dez anos, e vendo o enorme potencial da produção em mãos, a Paramount começou a lançá-lo em um circuito menor para ir expandindo depois que o marketing boca a boca começou a aumentar a procura pelo filme. E deu no que deu. Faturou quase 200 milhões de dólares pelo mundo, tirou o sono de muita gente por aí e gerou uma franquia (claro!!!!).

Na história, somos testemunhas oculares de um casal que é atormentado por um poltergeist, que faz de tudo para não deixá-los dormir à noite. Como não há efeito especial, maquiagem e nada, Oren Peli apenas usa do medo básico e primal do ser humano pelo desconhecido e sobrenatural e vai insinuando sugestões de eventos assustadores que acontecem quando estão dormindo, captados por uma câmera amadora, comprada exatamente para gravar esses fenômenos. Você inclui nesse pacote portas se mexendo sozinhas, baques vindo do interior do local, barulhos de passos subindo a escada, sussurros, vultos no quarto e por aí vai.

A vida como ela é.

E diferente de outros supostos mockumentaries ou found footage, como REC, Cloverfield – Monstro e Diário dos Mortos, que apesar de também ter esse tom documental, contam com efeitos especiais, edição precisa, jogo de luz e sombra, atores de verdade e tudo mais, Atividade Paranormal aumenta as doses de realismo de formas cavalares exatamente por ser quase amador, parecendo mais um vídeo do Youtube, ter dois atores que são péssimos e parecem mesmo com nossos vizinhos e nos aproximar demais deles, fazendo com que fiquemos íntimos de sua vida conjugal e assim vamos acompanhando junto com eles o aumentar dos seus problemas espirituais e vendo somente o que a câmera deles registra.

Quando você faz uma rápida enquete de qual gênero do terror mais mete medo nas pessoas, sempre os que envolvem espíritos e fantasmas estão em primeiro lugar do ranking. E por isso que Atividade Paranormal fez tanto sucesso. Explora esse medo de uma presença fantasmagórica invadir a tranquilidade do seu lar e vai sugerindo muito mais do que mostrando, como realmente aconteceria na vida real, e prendendo a tensão do aspectador que fica se contorcendo na poltrona do cinema até seu ritmo ir se acelerando no final para o susto derradeiro.

Claro que muita gente também não vai sentir um pingo de medo e vai achar o filme ridículo e sair achincalhando por aí. Mas ele tem muitos méritos, não só pelo status que alcançou, já que isso foi mais campanha de marketing do que qualquer outra coisa, mas também pela sua realização simples e por cumprir o que promete, sem falsas expectativas (que se foram criadas não foi por Oren Peli e sim mais uma vez pelo fantasma do marketing) sendo aterrorizante de verdade. As pessoas realmente curtem sentir medo. Eu mesmo achei assutador da primeira vez que assisti, de verdade. Depois perde completamente a graça quando se assiste de novo. Mas se você entrar no clima do filme e ativar o seu botão da suspensão de descrença, você realmente vai aproveitar essa viagem apavorante.

Big Brother Fantasma


 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. MARCOS É VERDADE QUE VOCÊ, SE ASSUSTOU COM ESSE” FILME”? CARA, TÁ BRINCANDO, NÉ? SABE AQUELES PROGRAMAS DE TELE VENDA, COMO SHOPTIME E ETC…POIS EIS QUE DESCOBRI, QUE FORAM COMPLETAMENTE INFLUENCIADOS POR ESSE “FILME”. PO, O FILME SEGUE A PREMISSA DOS PROGRAMAS OU VICE-VERSA, MOSTRAM UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS DE TODO TIPO, COMO LUSTRES, SOFÁ, PANELAS E POR AÍ VAI E É SOMENTE ISSO!!!!! EU TENHO PAIXÃO PELOS 2 CAPÍTULOS DE INSIDIOUS E BATO PALMAS PARA INVOCAÇÃO DO MAL. REALMENTE NÃO FOI POR AUSÊNCIA DE BOA VONTADE, EU TENTEI ASSISTIR MAS É TÃO TEDIOSO E MONÓTONO QUE SEMPRE DORMIA. BOM GOSTO É COMO… CADA UM TEM O SEU , E O MEU SENSO CRÍTICO ME AVISA QUANDO ESTOU INDO ME DEPARAR COM “FILMES” COMO ESSE. GRANDE ABRAÇO E VIVA AS DIVERGÊNCIAS.

  2. Papa Emeritus disse:

    Não entendi, faltam 10 filmes pra terminar sua lista, ou 10 filmes pra postar no site?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *