Notice: Undefined variable: post_id in /home/horromov/public_html/wp-content/themes/betheme/includes/content-single.php on line 38

865 – The Loved Ones (2009)

loved-ones-poster-02

2009 / Austrália / 84 min / Direção: Sean Byrne / Roteiro: Sean Byrne / Produção: Michael Boughen, Mark Lazarus; Christopher Mapp, Bryce Menzies, Matthew Street, David Whealy (Produtores Executivos) / Elenco: Xavier Samuel, Robin McLeavy, Victoria Thaine, Jessica McNamee, Richard Wilson, John Brumpton


The Loved Ones é um dos filmes mais DO CARALHO feitos na década passada. Falo sem correr o menor risco de parecer leviano, porque não sou. Essa pérola direto de Victoria, na Austrália, é simplesmente sensacional!

Completamente retardado, transgressor, aflitivo, insano e com um plot twist daqueles para soltar um alto e sonoro WHAT THE FUCK!, o longa do diretor Sean Byrne, é dos melhores e mais surtados exemplos de torture porn já feitos, misturado com horror adolescente, de um frescor tão grande, que é um dos grandes expoentes dessa nova safra do cinema de terror vindo da Oceania, pós movimento Ozploitation dos anos 70 e 80, que atualmente se destacam como das melhores coisas feitas mundialmente no gênero.

O grande mérito é como uma história batida e previsível em diversos sentidos, consegue ser direcionada de uma forma completamente nova e interessante, e como todo aquela previsibilidade é distorcida de uma maneira tão disruptiva, quando apresentado um elemento aí nunca imaginado, que deixa qualquer um de boca aberta quando surge em tela e subverte todo o padrão estabelecido até então.

O longa começa com Brent (Xavier Samuel) tendo aulas de direção com seu pai em uma estrada que corta o outback australiano, quando ao desviar de uma figura sinistra na rodovia, atinge uma árvore provocando um acidente fatal que tira a vida de seu pai. Seis meses depois, ainda profundamente abalado pela tragédia, o garoto tenta levar sua vida a diante, mesmo deprimido, se culpando e autoflagelando, com a ajuda de sua namorada, Holly (Victoria Thaine), e está preste a se formar no high school, com o fatídico baile de formatura se aproximando.

Jantar na casa dos sogros!

Aquele jantar na casa dos sogros!

Lola (absurdamente interpretada por Robin McLeavy), a típica menina esquisita, antissocial e nada popular do colégio, tem um crush pelo garoto e resolve convidá-lo para o baile, devidamente rejeitada. Pronto, o circo está armado para a menina se mostrar uma psicopata completamente desequilibrada, que com a ajuda de seu pai, interpretação igualmente fodástica de John Brumpton, tão pirado quanto a filha, sequestram Brent e levam-no como refém para sua casa afastada, resolvendo fazer seu próprio baile de formatura particular.

Primeiro de tudo se você nunca tiver assistido The Loved Ones, faça esse favor a si mesmo e veja AGORA MESMO, e depois volte aqui, pois o texto vai conter alguns muitos SPOILERS do filme daqui para frente.

Voltou? Ficou por aqui? Beleza, até aí tudo bem, vamos ver a insanidade da menina chegando em altos níveis, ancorada por seu pai, em uma cena de jantar que lembra muito O Massacre da Serra Elétrica, junto de Brent todo amarrado numa cadeira e uma mulher em estado vegetativo chamada de “Olhos Brilhantes”, e um caminhão de cenas angustiantes de tortura com o garoto comendo o pão que o diabo amassou, com direito a ter seus pés pregados ao chão e seu peito todo talhado por uma faca, onde delicadamente a garota joga um POTE DE SAL em cima!

Mas isso tudo nem é o pior! Rejeitando a garota em todos os sentidos, a forra virá na forma de uma lobotomia caseira, onde eles tentam fazer um furo na testa de Brent, usando uma furadeira, e jogar ÁGUA FERVEDO em seu interior, para transformar o sujeito em um zumbi sem vida, um vegetal autômato como a tal “Olhos Brilhantes”. O desenrolar dessa sequência toda é dirigida por nada menos que maestria por Byrne. Só que a cirurgia improvisada não vai dar muito certo, e aí que vai entrar a cereja do bolo de The Loved Ones, por conta do seu acachapante e nada esperada reviravolta de roteiro.

Pose para a foto do IG

Pose para a foto do IG

Okay, a gente nessa altura do campeonato do filme já descobriu que Brent não é a primeira vítima de Lola, mas não fazemos a menor ideia do que ela tem feito com os outros pobres coitados raptados e torturados. Eles estão sendo mantidos no porão sujo e escuro da casa, regredidos em estado primitivo por conta da lobotomia, tratado como animais e se alimentando de CARNE HUMANA!!!! É nesse momento que The Loved Ones explode sua cabeça e o filme sai completamente da curva. Como se não bastasse isso, há uma ligação entre o acidente de Brent que resultou na morte de seus pais, os “zumbis” de Lola, o melhor amigo de Brent e a garota gótica seu date para o baile de formatura, concatenando todas as linhas narrativas e amarrando a história para explodir no típico final de fuga pela sobrevivência e um payback sensacional.

Lola é um show à parte conforme já disse. Uma dessas icônicas psicopatas vilãs do horror moderno sem a menor sombra de dúvida. Interessante que sob as instruções de Byrne, a atriz Robin McLeavy se preparou para dar vida à personagem pesquisando a vida de Jeffrey Dahmer – afinal o canibal de Milwaukee de certa forma tentava criar seus zumbis sexuais usando uma técnica parecida com a usada por Lola – assim como assistir Kathy Bates em Louca Obsessão, Assassinos por Natureza e o trabalho de Quentin Tarantino. Deu no que deu!

Repito: The Loved Ones figura na lista dos melhores filmes de terror da década passada, e fique de olho no nome de Sean Byrne, que depois de seis anos, dirigiu seu filme seguinte, The Devil’s Candy, que vem rodando por festivais, mostrando-se um dos mais aguardados e esperamos logo uma rápida distribuição.

Trabalhos manuais

Trabalhos manuais

 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Papa Emeritus disse:

    Eu vi esse filme. É bem doido. rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *