Bibliofobia #33 – Medo de Palhaço

Ria de desespero!


Em 2016 foram reportados vários casos de avistamento de palhaços assustadores em locais como escolas e parques. Os primeiros incidentes aconteceram nos Estados Unidos e, subsequentemente, em outros países. O caso inicial parece ter ocorrido na Carolina do Sul, quando um garoto de 9 anos contou para a mãe que dois homens, devidamente caracterizados de palhaços, estavam tentando atraí-lo para o meio de uma mata isolada. Em outubro daquele ano vários outros casos transcorreram em quase todo os Estados Unidos, em 13 das 18 províncias do Canadá e em mais 18 países.

Só de imaginarmos esse tipo de evento desenrolando-se na nossa vida já sentimos um calafrio correr pela espinha. Por quê? Por que uma imagem que deveria nos trazer alegria e descontração é capaz de provocar terror? Desde quando esse medo existe? Será que esse horror é universal? Bom, esses questionamentos vira e mexe dão as caras e o livro Medo de Palhaço – A enciclopédia definitiva sobre palhaços assustadores na cultura pop tenta trazer aos interessados algumas respostas.

Nos dois primeiros capítulos do livro, após a introdução, temos um interessantíssimo apanhado de informações sobre a figura do bufão e de como ela chegou na configuração que possui hoje. Dados pertinentes para o entendimento desse ícone do horror e da alegria, como por exemplo as possíveis origens da palavra “palhaço” nos diferentes cantos do mundo e como a relação entre o arlequim os circos itinerantes surgiu, são apresentados de modo claro, agradável e resumido. As explicações sobre o que é a coulrofobia, ou fobia de palhaços, também são feitas dessa mesma forma sucinta.

Os próximos dois capítulos trazem ao leitor duas lendas urbanas: a do palhaço que roubava órgãos e a do palhaço Clóvis. Mais adiante, o livro vai tratar do caso de John Wayne Gacy. Esse serial killer americano muito provavelmente foi o responsável por colocar em voga no mundo do horror a imagem dos grandes lábios pintados e das roupas coloridas. Após um extenso dossiê dos casos envolvendo esse assassino, começa o conteúdo que preenche a maior parte do livro: resenhas de filmes.

bocaDaqui para frente, todos os textos que nos trazem conteúdos objetivos sobre a figura do palhaço são seguidos por análises dos filmes onde essa figura surge. Aproximadamente 120 obras cinematográficas são resenhadas. Os reviews começam referenciando filmes que se inspiraram no supracitado serial killer, vão para outros palhaços matadores do cinema, seguem até os pierrôs sobrenaturais e os bufões em forma de brinquedos que existem nessa mesma mídia. Logo depois temos uma exposição das faces repletas de pó de arroz nas mídias televisivas, literárias e dentro dos quadrinhos.

O subtítulo “a enciclopédia definitiva” traz uma série de expectativas referentes ao conteúdo do livro, como por exemplo análises referentes a imagem do palhaço no mundo real e ficcional, uma curadoria de resenhas críticas baseada em algum critério específico ou até mesmo textos de teor mais acadêmico que debatessem essa questão tão divisiva do palhaço como fonte de diversão para uns e medo para outros.

No frigir dos ovos, o que temos é um gigantesco apanhado de resenhas das mais diversas. Não há como negar a grandiosidade do trabalho de pesquisa para coletar todos esses filmes, mas falta clareza no que tange a escolha das obras que compõem esse trabalho. Há ainda a inclusão de películas, desenhos e seriados humorísticos que tem pouca ou nenhuma relação com o horror, dando a impressão de um acréscimo de volume.

Além das análises de obras específicas, estão presentes análises pormenorizadas, de palhaços icônicos tidos como os mais populares, pelos criadores do livro. Pennywise, o palhaço do filme It – Uma obra prima do medo e os personagens do filme Palhaços Assassinos do Espaço Sideral ganham, seções especiais próprias, onde vários aspectos dos filmes e dos personagens são destrinchados. O mesmo ocorre quando a obra trata dos palhaços nos quadrinhos. O personagem Coringa, conhecido inimigo do Batman, e o Violador, antagonista da série Spawn, também ganham sessões só para eles.

Enfim, o livro Medo de Palhaço – A enciclopédia definitiva sobre palhaços assustadores na cultura pop opera como uma grande compilação de resenhas e uma ótima fonte de referências e curiosidades, mas que poderia ter se aproveitado de posicionamentos mais diretos de seus criadores em relação ao medo de palhaço em si, no sentido de tentar entender melhor a pergunta que ainda fica no ar: O que faz dos palhaços assustadores?

 

Ficha técnica:

Medo de Palhaço – A enciclopédia definitiva sobre palhaços assustadores na cultura pop

Autor(es) – Marcelo Milici (org.), Filipe Falcão, Gabriel Paixão, Matheus Ferraz e Rodrigo Ramos

Editora Évora – 2016


Tauami de Paula
Tauami de Paula
Estudante de Letras e de Filosofia, esse apreciador do absurdo e do inexplicável sempre encontrou mais sentido na arte do que na vida. Sendo raramente visto fora de casa, passa os dias lendo, escrevendo e criando teorias sobre tudo aquilo que não entende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *