Bibliofobia #47 – Hellboy – Estranhas Missões

O universo fascinante criado por Mike Mignola contado em prosa por grandes autores

Criado por Mike Mignola em 1993 como uma brincadeira para ilustrar o guia impresso da San Diego Comic-Con, Hellboy ganhou sua primeira HQ no ano seguinte. O herói, mestiço entre uma feiticeira e um demônio, foi conjurado por Rasputin durante a Segunda Guerra para servir como uma arma mística dos nazistas. Hellboy foi adotado pelos soldados americanos que frustraram os planos do monge louco e levaram o pequeno demônio para ser criado pelo professor Trevor Bruttenholm como filho e, posteriormente, um dos maiores agentes do B.P.D.P, o Bureau de Pesquisa e Defesa Paranormal.

O que veio depois, como dizem, é história. E algumas das melhores histórias, diga-se de passagem. Hellboy se tornou um dos personagens mais fascinantes e queridos dos quadrinhos. O universo impressionante criado por Mike Mignola cresceu e se expandiu, levando o detetive paranormal para o cinema em dois filmes de Guillermo Del Toro, e prestes a estrelar sua terceira película, dois longas animados, vídeo-games, quadrinhos e, é claro, livros.

Responsável pela publicação do personagem no Brasil há mais de vinte anos, a Mythos acaba de trazer para o país o livro Hellboy – Estranhas Missões, uma antologia de contos passados no universo do herói escrita por diversos autores consagrados. Ao todo são catorze contos nos mais variados estilos, indo do horror grotesco ao humor negro, escritos por gente do calibre de Stephen Bissette, colaborador de Alan Moore durante seu run no Monstro do Pântano, Greg Rucka, Nancy Collins e Poppy Z. Brite, pra citar alguns. O próprio  Mignola escreve uma história ao lado de Christopher Golden e ilustra as páginas que separam os contos.

A primeira coisa que salta aos olhos do leitor mais atento é que, mesmo se tratando de uma antologia, que normalmente costumam possuir altos e baixos, a qualidade do conteúdo é bastante homogênea. Isso se deve ao cuidado com que Mike Mignola sempre tratou sua criação, selecionando a dedo todos os envolvidos em seus projetos, do cinema à literatura. Obviamente alguns contos são melhores que os outros, mas a variedade de estilos e interpretações do universo de Hellboy mantém a barra lá no topo a cada conto.  

O destaque vai, sem sombra de dúvidas, para “Quebra-Cabeça”, história de Stephen Bissette. Perturbador, o conto envolvendo uma cabeça mumificada que realiza desejos, explora o lado negro da alma humana, diferente daquilo que o leitor de Hellboy está acostumado. Bissette mostra que não é só um excelente ilustrador do horror, mas também um escriba de primeira. Ler um conto de Hellboy que envolve sexo de maneira tão grotesca é algo curioso.

Em “Onde Seu Fogo Não É Extinto”, Chet Williamson entrega um ótimo conto que também explora temas pouco abordados nos quadrinhos do personagem. Hellboy é chamado para investigar o que, aparentemente, se trata de um caso de combustão espontânea em uma série de igrejas no interior dos EUA. O conto aborda o preconceito racial e religioso e debate a natureza do mal, dando camadas e relevância social à história.

Com características próprias, é fácil imaginar cada um dos contos com os mais diferentes visuais que o personagem já teve ao longo dos seus vinte e cinco anos. Alguns servem perfeitamente à arte sombria de Mignola, outros parecem se encaixar no universo cinematográfico criado por Del Toro para o personagem e até na série animada.

Ao final da leitura de Hellboy – Estranhas Missões, a impressão que fica é que acabamos de assistir a uma temporada de uma série de TV de Hellboy, nos moldes de Arquivo X, com o herói viajando pelos Estados Unidos, enfrentando fadas carnívoras, monstros lendários, políticos, racistas, demônios e até uma espécie de Mickey Mouse “vida loka”.

Tem como isso ser ruim? Claro que não!

Ficha Técnica:

Título: Hellboy – Estranhas Missões

Autor: Mike Mignola (org.)

Ano: 2018

Editora: Mythos

Páginas: 216

ISBN: 978-8578673086

 


Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Designer, roteirista da HQ Carniça, coautor dos livros Medo de Palhaço e Narrativas do Medo. Fã e pesquisador de quadrinhos e cinema de horror. Tem mais gibis em casa do que espaço pra guardar e tempo pra ler, mas quem nunca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: