HQRROR #57 – Gideon Falls Vol.1 – O Celeiro Negro

A nova série de quadrinhos (TV) de terror do queridinho dos quadrinhos mainstream


Se você lê quadrinhos há algum tempo já deve ter ouvido falar de Jeff Lemire, um dos maiores queridinhos do meio e escritor prolífico que vai do realismo carregado de nostalgia aos super-heróis cheios de ação; do apocalipse povoado por crianças hibridas de animais, à ficção científica existencialista. Entre seus detratores, estão aqueles que alegam que Lemire não entrega gibis mensais tão bons quantos seus trabalhos mais longos e autorais. Fato. Mas até aí, qualquer roteirista faz a mesma coisa, o que indica que talvez o único motivo de tais críticas seja o fato de que os holofotes agora estão apontados para ele.

Dentre seus trabalhos mais celebrados estão as séries do Arqueiro Verde e de O Velho Logan, desenvolvidas ao lado do artista Andrea Sorentino, muito bem recebidas pela critica especializada e pelos fãs. Junta-se à dupla, o lendário colorista Dave Stewart e é natural que Gideon Falls, a mais recente série de Lemire a chegar ao Brasil, tenha sido tão aguardada e comentada lá fora.

Publicada nos EUA pela Image, e lançada por aqui simultaneamente pela MINO, Gideon Falls é um gibi de terror psicológico com elementos muito comuns ao universo das séries de TV sobre cidadezinhas esquisitas, iniciado lá nos anos 90 por Twin Peaks e, explorado mais recentemente em Wayard Pines e Castle Rock.

Arte de Andrea Sorrentino.

Este primeiro volume da série apresenta dois personagens, aparentemente sem qualquer ligação entre si, Norton, um jovem com transtornos psiquiátricos que vive recolhendo lixo pela cidade, e Wilfred, um padre desacreditado, transferido às pressas para Gideon Falls após a trágica morte do pároco anterior. Suas histórias aos poucos se conectam em torno da lenda do Celeiro Negro, uma misteriosa estrutura que aparece e desaparece em diversos lugares diferentes.

Lemire conhece muito bem as regras deste tipo de história e apresenta sua Gideon Falls como uma verdadeira série de TV. Cada capítulo é um episódio, apresentando as tramas, os personagens e suas conexões, e todo o mistério vai se intensificando até o gancho final da temporada. Se isso visava uma provável venda dos direitos para uma adaptação televisiva, não posso afirmar, mas fato é que Gideon Falls está sendo trabalhada para a TV pela Hivemind, produtora que está adaptando o game The Witcher para a Netflix.

Ainda que Lemire siga a velha cartilha das histórias sobre cidades estranhas e misteriosas, todas as dúvidas em torno do Celeiro Negro são intrigantes e nos deixa ansiosos por mais detalhes. Principalmente após o último capítulo, quando ele nos fornece alguns vislumbres na medida certa para satisfazer e atiçar a curiosidade igualmente. Esse mistério é muito bem traduzido visualmente através da arte de Andrea Sorrentino em conjunto com as cores de Dave Stewart. O cenário é escuro e opressivo, transmitindo de maneira ideal o clima de medo e tensão que envolve os personagens.

Arte de Andrea Sorrentino.

Ainda que as figuras humanas de Sorrentino sejam um pouco estáticas devido ao seu estilo fotorealista, deixando os personagens meio presos e travados em cena, o mesmo não pode ser dito de sua narrativa gráfica, extremamente solta e experimental. Em algumas páginas o leitor terá que passar algum tempo explorando os quadrinhos para entender como aquela configuração foi adotada para transmitir uma sensação ou ideia específica do roteiro. Isso enriquece ainda mais a leitura.

Outro ponto curioso são as capas originais da série, que apresenta cada um dos personagens como mapas, reforçando a conexão deles com a cidade. Todas as capas estão presentes como extras no miolo do encadernado da MINO, que possui capa dura e papel de ótima gramatura. Só faltou mesmo um editorial falando um pouco sobre a série para situar o leitor. Uma prática que parece ter sido abandonada pelas editoras brasileiras e que às vezes faz falta.

Ainda que Gideon Falls não figure entre as melhores obras de Jeff Lemire, deixando o leitor com uma bagagem maior fique com aquela sensação de deja vu referente ao conteúdo, sua forma consegue envolver e intrigar, fazendo com que o leitor fique ansioso para a próxima temporada. Isso imprime à série um enorme potencial para se tornar um dos melhores títulos de horror recentemente publicados no Brasil.

Enquanto isso, vamos bolando nossas teorias sobre o Celeiro Negro, como bons telespectadores que somos.

3 pregos tortos e meio para Gideon Falls Vol.1 – O Celeiro Negro.

Ficha Técnica
Título: Gideon Falls Vol.1 – O Celeiro Negro
Roteiros: Jeff Lemire
Arte: Andrea Sorrentino e Dave Stewart
Editora: MINO
Páginas: 160 páginas
Formato: 26,7 x 17,5 x 1,5 cm
ISBN-13: 978-8569032410
Preço: R$ 79,90


Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Designer, roteirista da HQ Carniça, coautor dos livros Medo de Palhaço e Narrativas do Medo. Fã e pesquisador de quadrinhos e cinema de horror. Tem mais gibis em casa do que espaço pra guardar e tempo pra ler, mas quem nunca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: