OST# 18 – Linkin Park

Dono de um potente vocal e com uma legião de fãs, o cantor Chester Bennington nos deixou na última semana e se abriu uma enorme lacuna no mundo da música. Hoje a seção OST é em homenagem a banda Linkin Park com sua participação musical no mundo do horror.

Independentemente se os filmes que listarei abaixo são bons ou ruins (deixarei o julgamento com vocês…), garanto que as trilhas sonoras de cada um deles é de excelente bom gosto. Cheias de detalhes, com letras fortes e é claro, com o vocal do insubstituível Chester Bennington. Vários filmes usaram as canções do grupo formado por Bennington, Joe Hahn, Brad Delson, Rob Bourdon, David Farrell e Mike Shinoda. Este que também possui um projeto paralelo chamado Fort Minor com produção executiva do rapper Jay-Z.

Drácula 2000

Com o ator Gerard Butler no papel principal, o longa foi lançado nos anos 2000 e mostra a história de ladrões que entram em uma câmara esperando achar obras de arte, mas ao invés disso, acordam o terrível Conde que sai a procura da última descendente de Van Helsing para sua vingança final. A trilha sonora tem a faixa “One Step Closer” do primeiro single da banda Hybrid Theory.

O Dia do Terror

O longa lançado em 2001 tem David Boreanaz (na época, o Angel da série Buffy – A Caça Vampiros) no elenco e conta a história um tanto clichê sobre quatro amigas de colégio que já adultas, passam a receber ameaças macabras. Muitos gritos e tombos como sempre, fazem parte do slasher. Já a trilha conta com a última faixa do álbum Hybrid Theory, “Pushing me Away”. Som pesado e marcante que vale a pena conferir!

A Experiência

O longa alemão também lançado em 2001 mostra uma experiência governamental com civis onde pessoas são escolhidas para ocupar uma prisão, sendo algumas como presidiários e outras como carcereiros. Lógico que a coisa sai do controle e rola muita porrada, facada e chute no saco! A trilha sonora escolhida foi novamente “One Step Closer”, já usada em Drácula 2000 um ano antes e que para alguns fãs foi uma decepção, pois estavam acostumados com músicas mais pesadas e menos comerciais.

Crepúsculo

Pois é minha gente! Tem Linkin Park nessa saga de amor vampírico adolescente e chata pra caralho. O vampiro-que-brilha-no-sol Edward Cullen vivido por Robert Pattinson (aquele que não curte higiene pessoal segundo tablóides e sites) vive uma paixão impossível com a mortal Bella, papel de Kristen Stewart (aquela que chifrou Robert Pattinson – será q foi porque ele é fedido?). Brincadeiras a parte, o filme faturou muita grana e deixou o elenco, diretores e afins com os bolsos cheios e muito felizes. A trilha se destacou por ser uma baladinha romântica que embalou o amor dos personagens. Dessa vez, extremamente comercial e difere muito do estilo da banda. A faixa é “Leave all the Rest” do álbum Minutes to Midnight.

Anjos da Noite – O Despertar

Após passar anos em estado de coma induzido, a vampira Selene desperta e descobre que tem uma poderosa filha metade lobisomem, metade vampira. Agora Selene precisa defender a menina de um grupo de assassinos de lobisomens. O longa lançado em 2012 faz parte da franquia que também rendeu muito e traz um remix da música “Blackout”, faixa do disco A Thousand Suns lançado em 2010.O som tem tudo a ver com o filme e mostra muito mais a identidade da banda.

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

Bizarro no mínimo, seguindo a linha de mashups, tipo Orgulho e Preconceito Zumbi, conta a história do décimo sexto presidente dos EUA que jura se vingar da morte de sua mãe que foi mordida por um vampiro. Tornando-se um caçador que age na clandestinidade, tenta dar cabo dos vampiros que querem dominar a terra do Tio Sam. O que é muito interessante no filme é a paleta de cores e claro, a música “Powerless”  faixa do álbum Living Things, quinto álbum de estúdio da banda.

E não podemos esquecer, é claro, a participação de Chester Bennington em Jogos Mortais – O Final, tentando escapar de uma terrível armadilha automobilística de Jigsaw.

Descanse em paz aí, Chester!


Val Vallone
Val Vallone
Paulista, professora de inglês, foi apresentada aos primeiros filmes de terror por sua mãe ainda criança, apaixonando-se por Christopher Lee, Peter Cushing e Bela Lugosi. Quando adolescente, conheceu o universo dos games e também os incluiu em suas prioridades de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *