Review 2016: #09 – Boa Noite, Mamãe!

Terror austríaco chega finalmente aos cinemas brasileiros depois do trailer assustador e bizarro causar rebuliço no mundo virtual no ano passado


 

Se você esteve antenado nos trailers lançados em 2015, com certeza deve ter assistido ou pelo menos ouvido falar de Boa Noite, Mamãe!, filme austríaco que estreia hoje nos cinemas brasileiros, depois de tanto tempo, que causou rebuliço no mundo virtual com o trailer mais assustador e bizarro dos últimos anos. Caso você não tenha visto, recomendo que o faça imediatamente! Estarei aguardando…

Já viu? Bem, Boa Noite, Mamãe é o longa-metragem de estreia da dupla Severin Fiala e Veronika Franz, novas faces do terror austríaco. É, sem dúvidas, o terror proveniente da Áustria mais comentado desde Violência Gratuita, de Michael Haneke. Apesar de ter sido rodado em 2014 e lançado em 2015, só chegou aos cinemas brasileiros agora.

No filme, dois irmãos gêmeos se mudam para uma nova casa isolada com sua mãe, depois que ela passou por uma cirurgia facial. Mas por baixo das bandagens, existe alguém que as crianças não reconhecem.

A mais evidente e maior qualidade de Boa Noite, Mamãe! é sem dúvida alguma a estética. O filme tem uma fotografia de tirar o fôlego e explora as imagens belíssimas do campo e da mansão em que se passa, além de outras localidades, para construir uma narrativa totalmente visual. O filme tem pouquíssimos diálogos, deixando a maior parte do desenvolvimento do enredo por conta das ações sutis dos personagens.

Goodnight-Mommy (1).jpg

Mórbida semelhança

É importante realçar a sutileza, pois o filme é dos mais lentos, um verdadeiro exercício de paciência, facilitado pela beleza das imagens. Esqueça os famosos jumpscares e barulhos ensurdecedores repentinos, Boa Noite, Mamãe! é um filme de atmosfera.

As atuações e interação entre os atores são ótimas, principalmente por parte dos irmãos, que garantem ao filme o status de “crianças macabras do cinema da vez”. Apesar disso, já é perceptível a exaustão de tal subgênero. Crianças macabras já não são tão impactantes ou surpreendentes desde o sucesso pop de A Órfã. 

A dinâmica familiar estranhíssima que existe dentro da casa e que é o principal elemento do enredo do filme, tenta se sustentar em um plot twist, ou reviravolta inesperada, no entanto, assim como o público em geral já está em grande parte dessensibilizado para crianças macabras, também não se impressiona ou se deixa levar com tanta facilidade por tais reviravoltas, ainda mais uma tão manjada. (NE: nem vou entrar no mérito de A Inocente Face do Terror, até lançado recentemente em DVD pele Versátil). Essa percepção é, no entanto, muito subjetiva e muito dependente do olhar direcionado ao filme. Assistindo-o de maneira mais casual, a reviravolta pode muito bem se mostrar surpreendente.

Um dos fatos mais curiosos a respeito de Boa Noite, Mamãe, foi uma indicação que recebeu. O filme foi indicado pelos próprios austríacos como concorrente do país ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Caso conseguisse, entraria para o pequeno grupo dos filmes de terror que já passaram pela premiação, mas não foi o caso.

goodnight-mommy.jpg

Só observo!

 

 


Daniel Rodriguez
Daniel Rodriguez
Fã de horror em suas diferentes formas, principalmente cinematográfica. Incapaz de adentrar igrejas, pelo risco de combustão espontânea, dedica sua vida pagã a ensinar inglês, escrever sobre o gênero e, mais recentemente, fazer seus próprios filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: