HQRROR #46 – Sasquatch, A Lenda do Pé-Grande

Uma das criaturas lendárias mais famosas sob a ótica controversa de Rob Zombie


Os nativos americanos contam histórias sobre uma lendária criatura meio homem meio macaco há séculos. Da mesma forma, histórias similares são contadas ao redor do mundo, com exceção da Antártida, mostrando que o fascínio pelo mito do “elo-perdido” é muito maior do que pode se imaginar. Um dos registros mais antigos data de 1884 em um artigo de jornal que conta sobre a captura de um ser parecido com um gorila próximo à cidade de Yale. Mas foi só em 1895 que um jornal americano usou o termo “Pé-Grande” pela primeira vez ao descrever um enorme urso que havia sido morto nos arredores de Fresno, na Califórnia.

Em 1930, J.W. Burns cunhou o termo “Sasquatch”, adaptando ao inglês a palavra indígena Sasq’ets, que significa homem selvagem ou homem peludo, uma criatura que, segundo os nativos Chehalis, possuía a habilidade de transitar entre o mundo físico e o espiritual. As supostas características dos Sasq’ets acabaram os associando ao Pé-Grande e, com o passar do tempo, ambos os termos se tornaram sinônimos, variando apenas pela localização do avistamento da criatura, que somavam, segundo o pesquisador John Green, mais de 1340 relatos até 2011.

A criatura sempre esteve nas páginas dos jornais e nas rodas de conversa nas cidades do norte americano desde então, até que em 1967, dois americanos registraram aquela que é considerada por muitos a prova definitiva da existência do Pé-Grande. Um vídeo curto, com pouco menos de 1 minuto mostrando-o andando pelo leito de um rio seco até que percebe estar sendo observada, se vira para a câmera, e parte em direção à floresta. Conhecido como o vídeo “Patterson-Gimlin”, este é um dos mais emblemáticos e controversos encontros com o monstro, e não à toa, foi escolhido para ilustrar a capa desta HQ.

Sasquatch, A Lenda do Pé-Grande surgiu da parceria entre o roteirista Steve Niles (30 Dias de Noite) e o roqueiro metido a cineasta Rob Zombie (Rejeitados Pelo Diabo) por meio da empresa que os dois montaram juntos, a Creep International, a fim de produzir histórias de terror nas mais diversas mídias. Para dar vida à história, juntou-se ao time o lendário desenhista Richard Corben (Espíritos dos Mortos) que ficou famoso na década de 70 por seu trabalho nas revistas Creep e Eerie e se tornou uma lenda do quadrinho underground americano.

A história começa em 1973 quando, durante um fim de semana no campo, o jovem Billy testemunha seus pais serem assassinados brutalmente por uma criatura assustadora meio homem meio macaco. A violência do ataque enche as páginas da HQ de uma maneira que, provavelmente, jamais seria retratada no cinema, dando ao leitor uma boa ideia do que vem pela frente. Para os mais sensíveis, sobra até para o cachorro da família. Décadas depois, uma série de crimes bizarros chama a atenção de Billy, que volta ao local da morte de seus pais para dar fim, de uma vez por todas, ao rastro de morte deixado pelo Pé-Grande.

Sasquatch, A Lenda do Pé-Grande é uma história de vingança escrita nos moldes dos clássicos slashers oitentistas, onde famílias e campistas desavisados são exterminados pelas garras da fera assassina, um gênero bastante familiar a Rob Zombie, que escreveu o enredo, roteirizado por Steve Niles. Não faltam os clichês do gênero: A história iniciando com um flashback que, obviamente, resulta em um trauma de infância que deverá ser expurgado; a morte durante o sexo; e é claro, o último susto. Sobra até espaço para Rob Zombie inserir suas marcas registradas, como cenas com “trilha sonora” (alguém lembrou de “Love Hurts” em Halloween – O Início?) e no cenário sujo hillbilly que o rockista adora.

Mas enquanto o roteiro Sasquatch, A Lenda do Pé-Grande não é nada surpreendente, sendo apenas uma e divertida história de horror, o mesmo não podemos dizer de Richard Corben que preenche cada quatro da HQ com violência gráfica e cenários de encher os olhos. O estilo do desenhista pode causar estranhamento nos leitores mais desavisados, mas o ritmo de sua narrativa e as estruturas de suas cenas são impecáveis. Sua luz e sombra e suas hachuras criam um clima perfeito.

Publicada nos EUA originalmente em 2005 pela IDW Publishing no formato de minissérie em quatro capítulos, Sasquatch, A Lenda do Pé-Grande foi publicado no Brasil pela Editora Devir  em 2009 no formato encadernado, que conta ainda com a galeria de capas, biografias dos autores e um pequeno artigo sobre o Sasquatch. Originalmente seu preço um tanto salgado, pode ter afastado os eventuais leitores curiosos, atraindo mesmo aqueles que são fãs dos trabalhos dos autores ou das lendas envolvendo o Pé Grande, mas hoje em dia é fácil encontrar alguns exemplares em promoção em grandes lojas online.

Ficha técnica:

ISBN: 978-8575323809

Páginas: 104 (colorido)

Formato: 23,9 x 16 x 0,5 cm

Autores: Rob Zombie, Steve Niles, Richard Corben

Preço de capa: R$ 37,00


Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Designer, roteirista da HQ Carniça, coautor dos livros Medo de Palhaço e Narrativas do Medo. Fã e pesquisador de quadrinhos e cinema de horror. Tem mais gibis em casa do que espaço pra guardar e tempo pra ler, mas quem nunca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: