03/10/2018

Review 2018: #58 – Mandy

Nicolas Cage além do arco-íris negro
28/09/2016

Review 2016: #44 – O Demônio de Neon

A masturbação visual de Nicolas Winding Refn é tão fútil, vazia, pedante e chata quanto o próprio universo da moda pode ser