TOPE NOVE: Boris Karloff

Há exatos 128 anos, nascia na Inglaterra William Henry Pratt, nome de batismo do ator Boris Karloff. Ele estreou na vida artística em 1916 mas só em 1931 conseguiu alcançar o estrelato ao dar vida ao monstro de Frankenstein, consagrando-se um mito do terror.

Karloff morreu em 1969, aos 81 anos, deixando para o cinema um enorme legado, que resumimos brevemente nesse TOPE NOVE de hoje. Parabéns, mestre!


 

9- A Maldição Do Altar Escarlate (1968)

Um Karloff já bem velhinho e debilitado interpreta um professor especialista em artes ocultas, numa trama que envolve bruxaria e vingança e conta também com Christopher Lee, Michael Gough e Barbara Steele no elenco. Foi o último filme lançado do ator enquanto vivo. 🙁

Eu bebo, sim… ♪


 

8- O Túmulo Vazio (1945)

Aqui Karloff dá vida ao cocheiro John Gray, o ladrão de corpos que dá nome ao título original desse filme que é uma adaptação de um conto de Robert Louis Stevenson. Filmaço!

Senta aqui, presta atenção.


 

7- O Gato Preto (1934)

Karloff fazendo parceria com Bela Lugosi pela primeira vez no cinema, nesse filme que é levemente inspirado (e bota levemente nisso) no conto homônimo de Allan Poe. Karloff é o morador de um enorme castelo, que resolve hospedar um jovem casal e um médico, que não fazem a menor ideia de que o anfitrião é um adorador do Tinhoso.

Só de olho na mina, hein…


 

6 – O Corvo (1935)

Lugosi e Karloff de novo num filme que também é inspirado num conto de Poe, pero no mucho. Aqui Karloff é um criminoso foragido que acaba sendo vítima das chantagens de um Lugosi vingativo e obcecado.

Um olho no peixe, outro no Lugosi.


 

5- A Casa Sinistra (1932)

A Universal também se enveredou pelo subgênero das casas assombradas que tanto fizeram sucesso, numa história tipicamente gótica, onde Karloff é o mordomo mudo e feioso de uma família bem bizarra e cheia de segredos.

A culpa é sempre do mordomo…


 

4- Morte Para Um Monstro (1965)

Levemente baseado num conto lovecraftiano (tava virando moda…), esse sci-fi conta a história de um meteorito que caiu na Terra e que contém uma poderosa carga radioativa, e é guardado num porão pelo fazendeiro Nahum Witley (Karloff) que iria se utilizar do fragmento para fazer a plantação vingar…

É o rock das aranhas ♫


 

3- As Três Máscaras do Terror (1963)

Karloff, enfim, num filme de outro mestre do horror: Mario Bava. Antologia que mostra três histórias bem construídas e narradas pelo nosso aniversariante. Obrigatório pros fãs de ambos os mestres.

Karloff, o stalker.


 

2- A Múmia (1932)

Mais uma aposta da Universal em utilizar Karloff como o monstro principal. Nesse, ele interpreta o sacerdote egípcio Imhotep, que foi mumificado como castigo por fazer um encantamento proibido e retorna a vida 3000 anos depois, acidentalmente durante uma expedição arqueológica.

Tá amarrado em nome de Rá!


 

1- Frankenstein (1931)

Com direção de James Whale, esse filme baseado na obra da escritora Mary Shelley catapultou Boris Karloff para o estrelato e inseriu o monstro de Frankenstein no gênero, gerando várias continuações e adaptações. Karloff está sensacional, graças a maquiagem de Jack Pierce e, é claro, a sua brilhante interpretação que o transformou num astro do cinema de horror.

Até o próximo TOPE NOVE, tchau!

 


Niia Silveira
Niia Silveira
Francesco Dellamorte em versão feminina, mas que já leu outros livros além da lista telefônica. Foi criada em locadoras e bibliotecas e se apegou ao universo do horror ainda pequena. Não cresceu muito em estatura de lá pra cá, mas sua paixão por sangue e desgraça aumenta a cada dia.

0 Comentários

  1. Papa Emeritus disse:

    Eterno Karloff.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: