TOPE NOVE – Filmes de terror dirigidos por mulheres

Além das minas personagens fodonas no gênero que a Niia Silveira listou aqui, saiba você que temos filmes de terror incríveis dirigidos por mulheres – que aposto que muito marmanjo trouxa nem sabia!

Eu como editor do 101HM e macho, não me cabe discursar sobre, só apontar esse TOPE NOVE empoderador!


9) Garota Infernal (2009)

Dirigido por Karyn Kusama e escrito pela musa Diablo Cody, Megan Fox se transforma em uma criatura das trevas e vai se vingar dos babacas de uma banda que a usaram para um sacrifício em troca de fama e sucesso. E se liga que ela lança esse ano ainda o tão elogiado e aguardado The Invitation!

movies horror hot megan fox god

CLARO QUE É MEGAN! <3


8) Encaixotando Helena (1993)

O nome da mina que dirige esse filme é Jennifer Chambers Lynch. CONHECE ESSE SOBRENOME? LYNCH???? Então sabe que ela é filha DO CARA e esse filme é dos mais bizarros ever, por conseguinte!

Num pisca assim que eu gamo, Helena!


7) Garota Sombria Caminha Pela Noite (2014)

O filme indie iraniano P&B dirigido por Ana Lily Amirpour coloca uma vampira vingadora nas ruas da fictícia Bad City sugando a jugular dos misóginos e pedófilos da cidade, e que ainda escuta o disco do White Lies em seu quarto numa das mais linda cenas que o cinema de horror já viu!

a girl walks home alone at night movies horroredit filmedit movieslist

GATAS!


6) Mortos de Fome (1999)

Um dos mais originais e mórbidos filmes sobre canibalismo, Mortos de Fome tem em um de seus maiores triunfos o nome de Antonia Bird na direção, mandando benzaço na direção de atores (só gente do calibre de Guy Pearce e Robert Carlyle) e na forma como mistura horror e humor negro de uma forma magistral.

film horror western ravenous

I’m Batman! Não, pera…


5) Cemitério Maldito (1989)

Sim, um dos grandes clássicos de Stephen King e que te fez borrar de medo na infância foi dirigido por uma mina, Mary Lambert, que antes disso comandou os clipes das músicas “Borderline”, “Like A Virgin” e “Like A Prayer”, de ninguém menos que a Madonna. POW POW!

love movie film valentines day 1989

Amor, estranho amor


4) Quando Chega a Escuridão (1987)

Antes de Kathryn Bigelow roubar o OSCAR de melhor diretora das mãos de seu ex-marido, um tal de James Cameron, a mina dirigiu um dos filmes mais fodas e referenciais de vampiro dos anos 80, que faz Os Garotos Perdidos parecer brincadeira de criança.

horror vampire 80s movies terror kathryn bigelow

Vampira AND poeta!


3) Psicopata Americano (2000)

Mary Harron foi a responsável por arrancar uma atuação soberba de Christian Bale, com seus monólogos sobre “Sussudio” de Phil Collins e correr pelado ensanguentado em um apartamento com uma serra elétrica na mão, na adaptação do polêmico livro de Bret Easton Ellis. E vem filme da Família Manson, dirigido por ela, por aí.

american psycho movie working out patrick bateman exercising

De todas brincadeiras que eu gosto a melhor é PULAR CORDA!


2) The Babadook (2014)

Ser mãe é padecer no paraíso, ou no inferno, segunda a metáfora cinematográfica sobre a maternidade de Jennifer Kent. Aliás, a australiana SÓ dirigiu o melhor filme de terror de 2014 e certamente um dos melhores da década, viu?

screaming the babadook horror

Scream Queen!


1) O Massacre (1982)

O que começou com uma paródia dos slasher movies, que sempre tiveram um cunho sexista e misógino, se tornou no cult filme contra-cultura da diretora Amy Holden Jones, com roteiro de Rita Mae Brown, com doses cavalares de sangue, humor negro implícito e uma cacetada de referências ao cinema de terror, com a benção de Roger Corman!

horror party massacre slumber

Quem nunca?

 

 

 

 

 


Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. Só assisti Babadook e uns trechos de Garota Infernal quando passou na globo. Mas acho ótimo mulheres terem feito obras tao boas quanto as mostradas, que o cinema dê mais espaço para elas

  2. Ana disse:

    Acabei de assistir “The Babadook” e achei que é realmente perturbador e angustiante. É difícil saber qual é o limite entre o real e o imaginário na luta da mãe e do filho contra o monstro. Mas vamos falar a verdade, terror msm é aguentar aquele pivete, que moleque chato dos infernos, assombração corajosa essa para querer levar o pivetinho com voz estridente que não para de falar um minuto tá loco kkkkk!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: