TOPE NOVE – HQs nacionais de terror no FIQ 2018

Prepare a água benta e o crucifixo e parta na caça destes quadrinhos malditos pelos corredores do FIQ

Embora algumas dúvidas quanto à sua continuidade tenham circulado pelas redes sociais no ano passado, é oficial: o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos está de volta!

A edição deste ano do festival, um dos maiores e mais importantes do gênero no Brasil, ocorre entre os dias 30 de maio e 03 de junho na Serraria Souza Pinto em Belo Horizonte, capital mineira.

Ao todo serão mais de 200 lançamentos programados para o evento, entre editoras e independentes, e para facilitar a sua vida, o 101 Horror Movies organizou uma lista com nove quadrinhos de terror nacionais pra você adquirir no FIQ 2018!

Ah! Vale a pena citar que este é um Tope Nove diferente. Não estamos organizando a lista de melhor para o pior, mas sim listando nove quadrinhos nacionais que valem a busca. Boa leitura!

9 – Catrinomicon de Carol Cunha, Cecília Marinho, João Borgo e Lucas Freitas (Mesa 16)

Também conhecida pelo carinhoso título de “Histórias de Ninar Para Crianças Psicopatas”, Catrinomicon é uma antologia de quadrinhos de terror inspirada nas antigas revistas da EC Comics, nos clássicos nacionais como Calafrio e em animações como Gravity Falls. Todas as histórias são narradas pela sinistra garotinha de gostos peculiares e grande imaginação chamada Catarina.

Não é uma fofura?


8 – Sombras do Recife Vol.1 de Roberta Cirne (Mesa 64)

A quadrinista recifense, Roberta Cirne, transformou quase vinte anos de pesquisa sobre as histórias assustadoras da capital pernambucana na antologia de horror brasileiro Sombras do Recife. A HQ mistura lendas como a do folclórico Boca de Ouro a relatos reais e ficção em um trabalho primoroso que merece ser reconhecido pela dedicação e pesquisa dedicados ao projeto. Corre lá na mesa 64 e prepare-se para não dormir à noite!

Cuidado com o Boca de Ouro!


7 – A Maldição de LaFey de Matheus Moura e Angelo Ron (Mesa 65)

Inspirada na obra do músico King Diamond, mais especificamente nos álbuns Abigail e Abigail 2, A Maldição de LaFey conta a história de um jovem casal do século XIX que se muda para o interior para viver em uma mansão herança de família. Aos poucos o casal irá descobrir a verdade por trás daquela casa e uma história de vingança que ultrapassa gerações. Um dos gibis mais curiosos desta lista.

Terror e metal!


6 – Rio Negro de Ikarow (Mesa 79)

Rio Negro mistura criaturas lovecraftianas ao folclore brasileiro com algumas pitadas de Discovery Channel em uma história sobre um casal que parte em uma expedição ao coração da floresta amazônica para encontrar um misterioso peixe. Mas, é claro que, como toda boa história de terror, esta aventura levará ao casal aos limites da sanidade ao se deparar com horrores cósmicos. Ikarow está lançando no evento a segunda edição da minissérie. O leitor que passar por sua mesa ainda pode levar a HQ A Bruxa, sobre a temível Cuca.

Sempre há um peixe maior.


5 – Insubstituível de Mavian e Marcel Bartholo (Mesa 79)

Ao se deparar com um estranho objeto encontrado no peito de um cadáver, um médico legista se torna obcecado pelo artefato e passa a tentar desvendar suas origens e razões. Esta obsessão o levará aos limites da sanidade. Este é o mote de Insubstituível, HQ com múltiplas interpretações e uma arte de cair o queixo. Quem dar um pulinho na mesa 79 ainda pode levar o gibi Carniça, primeiro roteiro para quadrinhos escrito por este que vos fala, e ilustrado por Marcel Bartholo.

Horror pra se guardar do lado esquerdo do peito.


4 – Raiz de Dudu Torres (Mesa 88)

Uma HQ independente sobre o primeiro contato de uma criança com a morte e a tomada de consciência sobre a finitude das coisas. Como são estas lembranças e como as crianças absorvem este conhecimento. Dudu possui uma arte sinistríssima que cai como uma luva prum tema pesado como este. Passa lá na mesa 88 e garanta a sua Raiz.

Tudo acaba. Inclusive o FIQ. 🙁


3 – Monstruário Vol.1 de Lucas Oda e Mario Cau (Mesa 91)

Em um mundo onde os seus medos são parte indissociável de sua identidade, um órgão do governo registra todos os seus monstros particulares. Mas o que aconteceria se um funcionário público encarregado de digitalizar antigos arquivos descobrisse uma pessoa sem um monstro pessoal? Sua investigação particular para descobrir o paradeiro desta pessoa sem medos o leva em uma jornada de horror, mistério e suspense.

Tenha medo de quem não tem medo.


 

2 – Horas Escuras de Cristal Moura e Leander Moura (Mesa 93)

A HQ criada pelo casal Cristal e Leander Moura conecta três histórias através do horror, loucura e morte. Um homem em busca de redenção com seu passado, uma mulher esperando por algo terrível e uma vila aterrorizada por uma desgraça sem precedentes. Os autores bebem na fonte de Edgar Allan Poe e H.P. Lovecraft para criar uma história de horror nos moldes das antigas lendas transmitidas por gerações através da tradição oral.

Bata antes de entrar. Reze para sair;


 

1 – Almanaque Salomão Ventura de Giorgio Galli e Allan Alex (Mesa 195)

Criado em 2010, Salomão Ventura é um misterioso aventureiro que vaga pelo Brasil enfrentando criaturas míticas do nosso folclore. Profundo conhecedor das artes místicas, Salomão Ventura possui como missão evitar que os humanos normais entrem em contato com estas criaturas sobrenaturais. O primeiro volume do Almanaque Salomão Ventura traz a republicação da primeira aventura do personagem e mais dois contos inéditos.

Seu nome é Ventura. Salomão Ventura.

Se você é quadrinista ou leitor e tem algum trabalho que ficou de fora da nossa lista, deixe aqui nos comentários!

Para mais informações, acesse o website official do evento e a página do FIQ no Facebook.


Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Designer, roteirista da HQ Carniça, coautor dos livros Medo de Palhaço e Narrativas do Medo. Fã e pesquisador de quadrinhos e cinema de horror. Tem mais gibis em casa do que espaço pra guardar e tempo pra ler, mas quem nunca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: