756 – Medo (2003)


Janghwa, Hongryeon / A Tale of Two Sisters


2003 / Coreia do Sul / 115 min / Direção: Kim Ji-woon / Roteiro: Kim Ji-woon / Produção: Oh Jeong-wan, Oh Gi-Min; Choi Jae-Won e Oh Jung-Wan (Produtores Executivos) / Elenco: Kim Kap-su, Yum Jung-ah, Lim Su-jeong, Moon Geun-Young


Sabemos que não é só de Japão que o cinema de terror asiático vive. A Coreia do Sul tem o seu ótimo representante no horror de olhos puxados, conhecido como K-Horror, com o incrível Medo (um dos títulos em português mais infelizes e safados da história). Um poético drama sobrenatural, com um aspecto visual lindo, fotografia impecável, roteiro brilhante e trilha sonora sublime.

Nesse novo século, com toda certeza o cinema coreano é um dos mais revigorantes e criativos, sendo sinônimo de produções do mais alto nível, deixando, por exemplo, o cinema convencional ocidental no chinelo. Medo é um dos seus maiores expoentes, mas nessa leva podemos incluir diversos outros títulos, não só necessariamente de terror, como Oldboy, O Hospedeiro, Sede de Sangue, Eu Vi o Diabo e Mother – A Busca Pela Verdade.

Dirigido com maestria por Kim Ji-woon, Medo tem a capacidade de nos emocionar e assustar na medida certa. Ao mesmo tempo em que segue o mesmo padrão do J-Horror, cenas arrastadas, câmera estática, expressões exaltadas de medo e um fantasma com longos cabelos escuros, ele foge completamente dos padrões por causa da sua grande dose de drama e seu roteiro complexo com duas reviravoltas eletrizantes na trama.

Baseado em um milenar conto coreano chamado Janghwa, Hongryeon, que significa Rosa e Lótus Vermelho (que também é o título original do filme), foi completamente rearanjado para contar a história de duas irmãs adolescentes, Su-mi e Su-yeon que voltam para a casa do pai depois de ficarem internadas em uma instituição psiquiátrica. Só que ao retornarem ao lar, uma série de conflitos com a madrasta começam a chacoalhar ainda mais a disfuncional família. A terrível madrasta é responsável por torturar psicologicamente a irmã mais nova sempre que tem uma oportunidade e vive em eterno conflito com a mais velha. O pai ao contrário é extremamente submisso e ausente, tentando levar a vida como se nada de extraordinário estivesse acontecendo.

Rosa e Lótus Vermelha

Como se tudo isso não bastasse, há uma presença maligna na casa, que aparece tanto para Su-mi quanto para sua madrasta, Eun-ju. E coloca maligna nisso, porque ela é um dos fantasmas mais assustadores de todo o cinema oriental. Entre as cenas impactantes, há uma de gelar a espinha quando Su-mi vê o fantasma espreitando na cama e outra em um fatídico jantar com os tios, onde uma das convidadas começa a passar mal, tendo praticamente um ataque epilético se estatelando no chão, e vê de vislumbre alguma coisa embaixo da pia, que nem conseguimos reparar, no primeiro momento, para depois o diretor filmá-la em close para nos fazer pular da cadeira.

E entre esse conflito das irmãs com a megera e a distância e passividade do pai, somos presenteados com atuações espetaculares e algumas cenas que são aulas de cinema, mostrando todo o elenco em verdadeira sintonia fina. E ao começar a surgir as questões do que é o tal fantasma, e o porquê dele estar ali, as respostas começam a aparecer gradativamente em forma de flashback e seguindo uma estrutura narrativa não linear que vai explodir em dois twists no roteiro que com certeza, você não estará nem um pouco preparado.

Pode até soar clichê, já que esse expediente de finais bombásticos já tem se tornado comum no cinema atual. Mas acredite, não é. E de forma complexa, até a última cena, o diretor vai lhe jogando essas informações, para um desfecho dramático. E apesar das cenas de horror puro, há momentos belíssimos sempre pontuados por uma simples e envolvente trilha sonora.

Medo é um dos melhores filmes de terror do século, e olha que ele nem pode ser creditado como somente um filme de terror. É daqueles que agrada quem quer levar um bom susto, como também quem gosta do cinema de arte com riqueza visual, dramas psicológicos e atuações fortíssimas.  Foi um mega sucesso e quebrou todos os recordes de bilheteria na Coreia do Sul. Aqui no Brasil levou uma eternidade para ser lançado (graças a boa e velha Internet, eu já tinha assistido), mas depois veio em um DVD duplo caprichado da Europa Filmes, tirando o ordinário nome que acabou ganhando. Claro que como toda produção oriental de sucesso, ganhou uma refilmagem yankee, que aqui no Brasil ganhou o nome de O Mistério das Duas Irmãs, ironicamente fiel ao título internacional do original coreano (A Tale of Two Sisters).

Madrasta gente boa!



Marcos Brolia
Marcos Brolia
Jornalista, editor e idealizador do 101HM, é fanático por filmes de terror (ah, vá!) desde que se conhece por gente, dos classudos aos mais bagaceiras. Adoraria ter um papo de boteco com H.P. Lovecraft e virar um shot toda vez que ele falasse a palavra “indizível”.

0 Comentários

  1. leo disse:

    o trailler é meio tosquinho kkk mas ao que parece pelo texto o filme é foda bagari

  2. Tiffany disse:

    ALELUIA JESUS ACHEI PRA BAIXAR
    É PRA GLORIFICAR, DE PÉ IGREEEJA!

    Enfim, esse filme é realmente INCRÍVEL! Mas você tem que tem cabeça (o cérebro não serve só para separar as orelhas, gente)
    Muita gente diz que não gostou porque não é inteligente suficiente para entender o que acontece no filme. Isso é o cúmulo da ignorância!

  3. Matheus L. CARVALHO disse:

    FILME EXCELENTE!!!!!
    ASSUSTADOR PRA CARAMBA!!!!!!!!!
    UM DOS MELHORES DO INÍCIO DO SÉCULO!!!!!!!!!!

  4. djsldjsk disse:

    Obrigado por disponibilizar o torrent

    sds

  5. Vou fazer uma pergunta bem idiota, mas… o remake presta?

  6. Carol disse:

    Outro filme coreano muito bom, mas não de terror, é Memórias de um Assassino.

Deixe uma resposta para leo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: