HQRROR #10 – Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço

Acho que bateu a bad…


“Parafusos, zumbis e monstros do espaço… Mas que raio de nome é esse?!”. Foi a primeira coisa que passou pela minha cabeça quando topei com esta, que é a primeira obra publicada de Juscelino Neco.

Dolfilander é um nerd idealista preguiçoso. Depois de abandonar a faculdade de jornalismo para escrever um romance épico de ficção científica, ele dispara por acidente um parafuso que fica cravado no meio de sua testa de modo inoperável e se torna um agente secreto de uma organização não-governamental.  Achou loucura? Juscelino nem começou a esquentar os motores dessa história.

Junto com um traço simplificado, remetendo o leitor a obras underground, Jucelino cria uma história surpreendente nos termos mais divertidos possíveis. Não temos certeza, em nenhum momento, para onde o álbum nos levará. Elementos da cultura pop que povoaram adolescência de toda uma geração, educada por filmes B e pelo Cartoon Network, são sobrepostos uns sobre os outros de uma forma extremamente cômica e tarantinesca, fazendo com que queiramos chegar ao final o mais depressa possível para saber como essa insanidade vai acabar. É como se a HQ impusesse o ritmo da leitura, tanto pelas ilustrações quanto pelo roteiro.

PZM-80_final

Jucelino é um artista foda! Em outros trabalhos menores, que ele divulga em seu blog pessoal, a faceta tragicômica que eu acreditei ter percebido em Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço se confirmou. Durante todo o desenrolar do álbum, percebemos a insignificância do protagonista. Quando ele questiona as situações em que ele está inserido, vemos que isso é usado como recurso para trazer aos olhos o quão ridículo ele é.

Isso se estende as vestimentas, a motivação e ao modo de combate dele. Esses elementos juntamente com a resolução da trama, me fez sentir um leve vazio existencial, criando em mim a ideia de que Jucelino buscou encarnar todas as frustrações – sonhos não vividos e um mundo não explorado – de uma prole bombardeada por informação e metas, mas desprovidas de meios.

Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço é um trabalho grandioso em muitos sentidos, que se disfarça em meio ao no sense do próprio mundo em que foi concebido. Tendo 112 páginas e lançado pela Editora Veneta, essa HQ serve com esmero tanto para aqueles que buscam um entretenimento rápido quanto para outros mais interessados em viagens existenciais vertiginosas.

Agora, tudo o que eu consigo imaginar é como seria essa montanha-russa em cores… Espero que Jucelino se proponha a fazer isso. Logo.

PZM-73_final


Tauami de Paula
Tauami de Paula
Estudante de Letras e de Filosofia, esse apreciador do absurdo e do inexplicável sempre encontrou mais sentido na arte do que na vida. Sendo raramente visto fora de casa, passa os dias lendo, escrevendo e criando teorias sobre tudo aquilo que não entende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: