TOPE NOVE – Melhores de 2018 por Rodrigo Ramos

Um mundo perturbado gera filmes de terror de primeiríssima qualidade!

Dizem por aí que em tempos de perturbação social, a ficção de horror floresce e traz o que há de melhor. Não é à toa então que, de uns anos pra cá, o cinema tenha produzido alguns dos melhores e mais interessantes filmes de terror do Século XXI. Do racismo institucionalizado aos problemas advindos da era digital, nada passa incólume ao escrutínio do cinema de horror.

E, em um ano que milhões foram às ruas gritar contra o retrocesso, violência, racismo e misoginia, não surpreende que o cinema de horror tenha entregue filmes tão interessantes e diversos em temas, estilos e origens. Índia, Turquia, Europa, Estados Unidos e, principalmente, o Brasil, usaram a sétima arte para expor seus medos e tecer suas críticas ao presente e futuro de nossa sociedade.

Alguns chegaram nos últimos dias de 2018, outros, que considerávamos imbatíveis lá no primeiro semestre, foram caindo e acabaram fora da lista ao longo do ano. A cada filme que chegava às telas, uma nova lista de melhores do ano se reconfigurava, resultando em um dos mais difíceis TOPE NOVE de todos os tempos! Confira.

9. Cam

Em tempos de “banheira de Nutella” e “Baleia Azul”, Cam levanta uma ótima discussão sobre os limites da fama digital e até onde podemos ir para conseguirmos algumas curtidas a mais. O final, inicialmente, pode parecer anticlimático, mas faz todo o sentido dentro do mundo online, onde todos devem se reinventar cada vez que os acessos e cliques caem.

Yes! Entrei no TOPE NOVE!!!


8. Operação Overlord

Quando pensávamos que o cinema de horror de qualidade estava relegado às plataformas de streaming e a métodos alternativos de acesso, eis que um ótimo blockbuster de terror surge do nada e surpreende a todos com uma história divertida, cheia de ação desenfreada, horror claustrofóbico e efeitos práticos da melhor qualidade! E, o melhor de tudo, nazistas apanhando, explodindo, sendo devorados… ou seja: levando o que merecem.

Sinto cheiro de nazista queimando!


7. O Animal Cordial

O cinema nacional de terror talvez nunca tenha sido tão relevante quanto em 2018. O Animal Cordial é um daqueles filmes com um timing perfeito, lançado em um ano em que se falou tanto do tal “homem de bem”. A obra despe esta figura mítica e vira do avesso, expondo sua verdadeira natureza.  O filme peca um pouco por seu discurso muito literal, o que o fez cair algumas posições na lista.

Eu sou homem de bem, porra!


6. Aniquilação

Eu queria muito ter visto este filme no cinema. Horror cósmico de primeira, com um ótimo elenco e direção, e que explora o ladro negro da psique humana. Uma obra sobre autodestruição, perda, uma metáfora sobre o câncer, e uma adaptação literária. Aniquilação é daqueles filmes que ficam na cabeça depois dos créditos e te faz pensar sobre o que viu e sobre o que você é.

Acho que chegamos à sexta posição.


5. Ghost Stories

Com produção impecável, elenco de primeira e um ar saudosista que remete às melhores antologias de horror da Amicus e Hammer, Ghost Stories é um baita filme de horror, com um roteiro inteligente e uma reviravolta que torna o filme melhor ainda. Pena que a história dependa muito deste plot twist. Só por isso, ela fica aqui no meio da nossa lista.

I see dead people!


4. The Ritual

Enquanto o cinema de horror do Século XXI se aproxima mais do nosso interior, com monstros humanos, mais reais e violentos, as criaturas foram sendo deixadas de lado. Portanto quando alguém consegue criar um filme de monstro com um dos exemplares mais assustadores e originais do cinema de horror recente, com roteiro e personagens muito bem desenvolvidos, ele merece estar na lista de melhores do ano!

Querida! Cheguei!


3. As Boas Maneiras

Belíssimo filme nacional que não tem medo de se assumir como uma produção de gênero. As Boas Maneiras também possui um discurso inclusivo, falando sobre amor independente do sexo e da classe social. Tudo com uma roupagem original que homenageia o cinema clássico, dos contos de fadas, e musicais como O Mágico de Oz aos pilares do horror da Universal.

Quem quiser ir pro Tope Três, põe a mão aqui!


2. Hereditário

Um dos melhores filmes do ano, Hereditário possui algumas das cenas mais fortes do cinema de horror de todos os tempos. Com um clima opressivo, pesado e uma direção e elenco capaz de produzir interpretações inesquecíveis, o filme de Ari Aster só não assume a pole position por toda a exposição presente nos últimos momentos do filme, que entrega um mapa e um guia desnecessários para uma viagem tão fascinante ao inferno.

Como assim, “segundo lugar”???


1. Um Lugar Silencioso

Ir ao cinema hoje em dia é uma tarefa que exige muita paciência. Pelo menos para aqueles que levam a sétima arte a sério e não querem ter a sua experiência perturbada por celulares acesos e papos incessantes na plateia. Então, quando um filme de horror consegue manter uma sala inteira de cinema em silêncio por seu enredo de tirar o fôlego, além de suas inúmeras qualidades técnicas – menos a superexposição do monstro de CGI – ele merece vir para a primeira posição de melhores do ano. Lógico que se você viu ele em casa, mexendo no celular, perdeu metade do espetáculo.

Escuta… São os haters chegando…

As tradicionais menções honrosas vão para A Mata Negra, HalloweenMandy, O Nó do Diabo, The Terror (TV), A Maldição da Residência Hill (TV) e O Mundo Sombrio de Sabrina.

Bora pra 2019 e que ele seja melhor ainda no quesito cinema de horror, já que em outros, não temos como ser muito otimistas…


Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Designer, roteirista da HQ Carniça, coautor dos livros Medo de Palhaço e Narrativas do Medo. Fã e pesquisador de quadrinhos e cinema de horror. Tem mais gibis em casa do que espaço pra guardar e tempo pra ler, mas quem nunca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: